Se eu tivesse de resumir a Blizzard em uma frase, sairia algo nas linhas de “nós não inventamos, aperfeiçoamos”. É impressionante o que a empresa consegue fazer com estilos de jogos já consolidados. Criou o maior e mais bem-sucedido MMORPG de todos os tempos, transformou jogos de cartas em algo gigantesco e elevou o RTS ao nível de competição mundial. E agora é a vez de descobrir se conseguem manter a corrente de acertos com o seu FPS competitivo Overwatch.

Lançado para PlayStation 4, Xbox One e PC – o jogo não possui modo offline -, Overwatch é a aplicação do lema que citei acima: a Blizzard não revoluciona nada no gênero FPS, mas coloca um nível de qualidade tão alto em tudo relacionado ao título que é difícil não ficar impressionado com a capacidade da empresa.

Focado completamente no multiplayer competitivo, o jogo é uma disputa entre dois times com seis jogadores de cada lado. Cada competidor pode escolher entre 21 personagens que são divididos entre as categorias ataque, defesa, suporte e tanque (aqueles que conseguem absorver a maior quantidade de dano sem morrer).

Overwatch

As batalhas acontecem em 12 mapas divididos em quatro estilos de jogo diferente: mapas de Assalto (um time precisa conquistar pontos pelo mapa enquanto o outro apenas defende), Escolta (atacantes empurram uma carga de um ponto a outro do mapa enquanto os outros tentam impedir), Híbridos (misturam o modo Assalto com Escolta) e Controle (o mapa conta com um ponto de controle que um time precisa dominá-lo e defende-lo do oponente).

Observando friamente, nada do que descrevi acima é realmente interessante. Já vimos as classes e os modos de jogo em centenas de outros títulos. Mas são os detalhes que costuram Overwatch a fonte de sua força.

Fórmula de sucesso

OverwatchCada personagem conta com (normalmente) três poderes diferentes, sendo que um deles é a chamada “Habilidade Suprema”, que precisa de tempo e que o jogador cause dano com seu personagem para carrega-la. São poderes que vão desde lançar uma flecha que se transforma em dois dragões gigantescos que consomem tudo pela frente, até a criação de um portal que teletransporta seus aliados para o campo de batalha.

Só que mesmo com uma gama interessante de combatentes, cada um com seu estilo diferente e capacidades diversas, o trabalho de deixar o jogo acessível é louvável. Overwatch é um FPS para quem nunca jogou um Call of Duty ou Battlefield, seja pela “fofura” dos personagens, seja pela capacidade do título sempre mostrar ao jogador como ele é capaz de realizar coisas diferentes.

Ao contrário da sobriedade e dureza dos outros jogos de tiro, a força de Overwatch reside na capacidade de passar o sentimento de satisfação constante, que vai do iniciante ao profissional, já que o balanceamento dos personagens e mapas acompanha plenamente a melhoria dos jogadores: num primeiro momento você já achará divertido as arrancadas de Tracer – seja pelo efeito legal de velocidade, pela engenharia de som envolvida ou mesmo pelos risos sinceros da personagem enquanto pula de um lado para o outro –, mas assim que pegar o jeito, entenderá como utilizar a habilidade para transformar a vida de seus oponentes em um inferno.

Mais sobre o jogo:
Beta aberto de Overwatch registra mais de 9 milhões de jogadores no mundo inteiro
– Transmissão de Overwatch com os leitores
Shuffle do Beta Fechado

Além da dinâmica criada graças a estas habilidades, o design de fases brilha, mesmo que muitas acabem parecendo entre si. Todos os cenários contam com uma geografia interessante que ajuda cada personagem a explorar seus poderes de maneiras diferentes, sempre oferecendo rotas diversas para chegar ao objetivo e maneiras diferentes de emboscar seus inimigos. Com o passar do tempo pessoas irão descobrir novas maneiras de utilizar a barreira da Mei para atingir novos locais, ou maneiras diferentes de utilizar o boost da D.Va para atacar os inimigos pelos flancos.

OverwatchOverwatchOverwatchOverwatchOverwatchOverwatchOverwatchOverwatch

E mesmo sem precisar, Overwatch conta uma história de fundo para dar profundidade maior ao mundo e criar uma conexão melhor entre jogadores e personagens. Muito dessa história é contada com curtas-metragens que a Blizzard tem revelado nos últimos meses, ou então através de comentários aleatórios entre personagens antes de algumas partidas e HQs digitais gratuitas distribuídas diretamente no site oficial do jogo. De qualquer forma a história não é o foco e acrescenta apenas uma camada de charme ao jogo..

Além de brincar com sotaques, nacionalidades e gêneros, Overwatch se esforça para levar originalidade a cada um dos lutadores em um jogo que é pura mecânica. Isso faz com que os jogadores se afeiçoem não apenas pelo estilo de cada um dos personagens, mas também por como eles reagem a certas situações, suas motivações e os diálogos entre eles (que acontecem randomicamente antes do início de algumas partidas).

Overwatch é um jogo incrível e um marco no currículo da Blizzard explorando uma nova propriedade intelectual após passar décadas reutilizando as que já havia criado anteriormente. O visual e mecânicas do jogo o destacam da onda de militarismo que vivemos no FPS e acabam por agradar jogadores de qualquer estilo. Tudo aponta para mais um sucesso da empresa e um forte competidor para o cenário de eSports.

Análise - Overwatch
A Blizzard entrou no mundo do FPS arrombando a porta: Overwatch é o jogo de tiro tanto para quem não gosta do gênero quanto para quem está disposto a passar dias batalhando pelos seus cenários. O título acerta no design de fases, personagens e mecânicas balanceadas. Só falta descobrir se irão levar todo esse capricho para os campos de eSports.
5
  • Gostei do estilo, principalmente do character design mais cartunesco.

    Talvez eu confira isso.

    • Guilherme Garcia

      Meu único medo do jogo é pagar 200 e pouco (ps4) e depois de 1 mês enjoar,mas tudo no jogo me chama atenção, infelizmente não tive MT tempo de jogar a beta mas o q eu joguei foi MT bom.

  • reifison

    É uma pena não ter pra mac. Acho que é o 1 jogo deles que não sai nessa plataforma, eu queria comprar… mas…. vou ter que esperar até ter um ps4

  • Guilherme Gondin

    O único ponto negativo desse jogo é o preço, nem me importo de ser paga, mas está muito caro.

  • rodrigo

    achei que o heitor iria escrever a resenha… bacanissimo review