Em um mundo ideal, todas as criações artísticas teriam legitimidade e valor. Porém, o fato é de que algumas coisas concebidas pela mente humana são simplesmente ruins. Alguns diriam que o ato de experienciá-las é apenas perda de parte do tempo que temos por aqui, com algo que não irá nos acrescentar nada, porém achamos que é igualmente interessante observar cuidadosamente as coisas que não dão certo e entender por que isso ocorre (e xingá-las no processo, é claro).

Após pensarmos nos piores títulos com os quais passamos tempo neste ano, reduzimos a lista a três candidatos de Pior Jogo de 2015.

ToroYasai NinjaSchrodinger's Cat and the Raiders of the Lost Quark

 

Toro (Shuffle)

Até agora temos dúvida se Toro foi alguma espécie de sonho febril. Trata-se de um jogo sobre touradas, que consiste basicamente de decorarmos sequências de botões e as fazermos em um tempo arbitrário, ativando uma animação. Não bastasse o tédio de sua mecânica, Toro tem uma aparência pior do que a de Mount & Blade tinha quando este foi disponibilizado pela primeira vez em 2004. A cereja do bolo são dois minigames inclusos no pacote, que te fazem questionar por que, em algum momento, algum ser humano achou que qualquer aspecto deles seria uma boa ideia.

 

Yasai Ninja (Shuffle)

Yasai Ninja é um brawler que seria ruim mesmo se tivesse sido lançado no PlayStation 2. Absolutamente sem nenhum atrativo, as animações de golpes são feias e os efeitos sonoros que deveriam acompanhá-los volta e meia não surgem. Seus cenários são repetitivos e sem graça, ocasionalmente colocando no caminho desafios de plataforma que não se dão bem com os controles. Para completar, alguns estágios tem uma taxa de quadros que, na melhor das possibilidades, é de 15 por segundo. Yasai Ninja é um desastre e, curiosamente, foi desenvolvido pela RECOtechnology, a mesma que fez Toro.

 

Schrodinger’s cat and the raiders the lost quark (Shuffle)

Schrodinger’s Cat não é nenhum momento ofensivamente ruim, e talvez isso o torne, em certos aspectos, pior do que os outros jogos. Simplesmente não há nada de chamativo aqui, nenhum elemento que você possa se lembrar sobre posteriormente, que seja marcante ou charmoso. Ele é como um vácuo de memórias, apenas um vazio de sentimentos e vontades. Não há exatamente o que se xingar aqui, mas na mesma medida, não há absolutamente nada que possa ser elogiado.

 

E o vencedor (ou perdedor) é

 

Yasai Ninja

Desde o início esteve muito claro que a competição aqui era entre Toro e Yasai Ninja, dois jogos tão terríveis que poderiam ser classificados como uma condição de saúde médica. Nosso critério de desempate se fixou no fato de que, ao menos, Toro às vezes (pelos motivos errados) nos fez rir. Ele quase cai naquela categoria de coisas péssimas que dão a volta e se tornam um leve entretenimento. Yasai Ninja, no entanto, não consegue fazer nada nem próximo disso. Na verdade, no âmbito dos sentimentos, a única coisa que ele conseguiu foi nos deixar tristes.

Quer saber como chegamos a essa escolha? Ouça a segunda parte de nossos podcasts especiais de fim de ano e acompanhe nossas discussões.

Nota: Por motivos claros, só consideramos jogos que ao menos uma pessoa da equipe tenha jogado e possa falar com propriedade.

  • Assistindo Toro eu ainda dei risadas, mas esse Yasai Ninja só me dava agonia!

    • Henrique Ribeiro

      Senti a mesma coisa. O Toro foi pelo menos divertido. Esse dá agonia de ver o vídeo.

  • PauloHDSousa

    COMO OUSAM INDICAR TOURO A PIOR JOGO?

    • Better Call Foggy

      MELHOR JOGO DE COMÉDIA DO ANO

  • Rodrigo Sales

    o design de personagens do Yasai ate que é legal, uma pena que seja um jogo ruim