Obra de dois irmãos, Ricardo e Pérsis Duaik, em conjunto com mais dois amigos, Aritana e a Pena de Harpia foi eleito o melhor jogo pelo voto popular no BIG Festival deste ano. Apesar do reconhecimento, do lançamento no Steam e até uma versão em caixinha, ele ainda não deslanchou da maneira que seus criadores gostariam.

Em visita recente ao estande da equipe na Brasil Game Show 2014, conversei com Ricardo Pérsis, produtor de Aritana, sobre os tropeços dos meses seguintes ao lançamento do jogo criado ao longo de três anos e os esperançosos planos da equipe em lançá-lo para consoles. Acompanhe:

Overloadr: Considerando os custos elevados para estarem aqui no pavilhão indie, vocês acham que a BGS vale a pena para desenvolvedores independentes como vocês?

Duaik: Está sendo muito legal, muito positivo. Desde o começo a gente sabia que seria um valor alto, mas consideramos um investimento. É um público diferente, que tá conhecendo seu jogo agora, então até ele te dar uma primeira chance não é tão rápido. É mais pra você criar uma fanbase e é um investimento a longo prazo. Pensando dessa forma, esse gasto se justifica.

Está sendo positivo não só pelo contato com o jogador… pô, olha que coisa animal (ele aponta para um garotinho de aproximadamente quatro anos que, envolvido com o jogo, se acomodou no chão em frente à TV, com o controle na mão).

 

Overloadr: Deve ser muito gratificante pra vocês né?

Duaik: É demais. Ele sozinho, sem ninguém explicar nada pra ele, está chegando ao final da primeira fase. Ver o nosso design funcionando, ver a aceitação do público, ver o que eles mais gostam, onde eles largam o controle, isso é um feedback muito positivo.

Outra coisa positiva também é a parte de business. A gente imaginava que seria legal mas não tanto. Por mais que estejamos com uma barraquinha do lado dos gigantes, os gigantes estão caminhando por aqui. Então às vezes você esbarra com eles e conversa com o cara da Sony, da Microsoft e quando você vê você já está fechando algo com eles para os consoles.

 

Overloadr: E vocês já conseguiram fechar acordos para lançar o Aritana nos consoles?

Duaik: Eu não consigo dizer ainda com certeza, mas tanto a Microsoft quanto a Sony estão super abertas e são conversas que estamos levando adiante, então isso irá acontecer com certeza. Além disso, Globo, Record pararam aqui. Então se você for ver isso em valor de propaganda e contato, vale muito a pena.

Pra gente foi muito difícil estar aqui, pensamos duas vezes, mas como o Aritana desde o começo foi uma aprendizado pra gente, foi uma aposta. A gente se permitiu errar. Mas pelo menos até agora tem sido muito positivo.

Aritana (14)aritana_imagem_19Aritana (1)aritana_7Aritana (5)aritana_9aritana_10Aritana (2)Aritana (3)Aritana (4)Aritana (6)Aritana (7)Aritana (8)Aritana (9)Aritana (10)Aritana (11)Aritana (12)Aritana (13)Aritana (15)Aritana (16)Aritana (17)

Overloadr: O Aritana foi lançado há uns cinco meses, certo? Como têm sido as vendas do jogo desde então?

Ricardo Duaik: A gente brinca dizendo que fazer o jogo foi o mais fácil. Somos uma equipe de quatro, e essa parte de divulgação do jogo é muito difícil. A gente já sabia desde o começo que ele era um jogo difícil de vender, pois ele atinge um nicho muito específico: um jogo nacional com temática brasileira, de plataforma e bem desafiador. Então nessa parte de vendas nós estamos indo bem aos poucos.

Aquela ideia de que é só você entrar no Steam que está tudo garantido é um engano. Você precisa se planejar muito bem para o lançamento. Como o Aritana é um projeto em que a gente se permitiu errar, a gente ta errando em tudo que a gente consegue (risos). Nosso lançamento no Steam não foi muito bom. Nosso marketing está tropeçando bastante mas estamos começando a aprender. Quando a gente for lançar o Aritana nos consoles, vamos nos planejar melhor para fazer um lançamento mais forte. E queremos também aproveitar melhor as feiras de games, por que vemos que aqui as pessoas tem um contato muito positivo com o jogo e com a gente.

 

Overloadr: Então agora vocês estão se focando em levar Aritana para os consoles em vez de pensar num próximo projeto.

Duaik: Sim. Os próximos passos são fechar os contratos, para ter acesso aos dev kits dos consoles. Simultaneamente, também estamos analisando bastante gameplay de Youtube e o feedback do pessoal que ta jogando aqui, pra equilibrar melhor a dificuldade e trabalhar nos controles.

A gente sente que o jogo é difícil, e achamos que as pessoas entendem a proposta, mas achamos que elas ainda têm dificuldade no aprendizado do controle. Então a gente também está trabalhando em upgrades pra ensinar melhor os jogadores.

Um dos jogos que a gente curte muito é Dark Souls, que pede que o jogador seja mais calmo e cauteloso. A primeira vez que você enfrenta um desafio é muito difícil, mas depois que você pega o jeito, é mais fácil. O Aritana é muito assim também.

 

Veja também:
Com artista de GTA V e humor infame, ApocalypZ é jogo de zumbis ambientado no Brasil
Indies na BGS 2014: Get Over Here e Cheesecake Cool Conrad
Indies na BGS 2014: Shiny

 

Overloadr: Vocês estão buscando publishers para o lançamento do Aritana nos consoles?

Duaik: Estamos pensando, por que é muito difícil fazer o lançamento em quatro pessoas, ainda mais se for algo internacional. Talvez seja outro tiro no pé. Então estamos conversando com algumas publishers sim para este segundo lançamento. E queremos fazer melhor desta vez. Tem gente que nem percebeu ainda que o jogo já saiu nos PCs, sabe?

 

Overloadr: E o Aritana faria muito mais sentido num Xbox One ou PlayStation 4, por ser um jogo de plataforma tradicional, típico de consoles, não?

Duaik: Sim, a gente quer muito. Por mais que a gente jogue de tudo um pouco, a nossa pegada são os consoles, o que acabou tornando o Aritana mais compatível para eles. Até como influência do que nós jogávamos no passado, como Sonic, Mario. Até colocamos referências a estes jogos nele, como forma de agradecimento. Então acho que se lançarmos nos consoles, atingiremos nosso público alvo.

  • Michael Pereira

    Ótima Matéria, mas estou sentindo falta dos vídeos do Site. o quê aconteceu com os videos e as Lives do Twitch?

    • riquesampaio

      BGS atrapalhou um pouco nossa rotina. Somos apenas em três, então temos que nos desdobrar para fazer um pouco de tudo. Mas logo mais entra um Shuffle novo 🙂

      • Fabiano

        Vocês poderiam fazer um Shuffle sobre Aritana não acham? Se os criadores puderem participar ou dar uma entrevista ao mesmo tempo seria bem legal.

      • Michael Pereira

        Opa, valeu Rique, é que este é um dos sites que mais acompanho sobre games, junto com o Jogabilidade

  • Victor Hugo Machado

    Tentei gostar desse jogo. De verdade. Pelo apoio mesmo, mas ao menos pra mim, não rolou. =/

  • Puruluchu

    Acho que seria interessante uma série de vídeos de jogos Indie com os próprios produtores. Não sei a viabilidade disso, mas soa como algo que seria bem único ao site.

  • Vinícius Monteiro

    Henrique, eu normalmente gosto de suas entrevistas, mas sempre fico com a impressão que elas acabam repentinamente, parece que não caminham naturalmente para uma conclusão.

  • Pingback: Mais de 90% das cópias de Aritana foram pirateadas()