Criado pela 2K China, a versão original de BioShock chega para iPad e iPhone nas próximas semanas com suporte a controles bluetooth – mas também pensado para quem quer arriscar a jogatina com o dedão na tela.

Além disso, o jogo teve de receber alguns retoques em seus gráficos para que os processadores dos gadgets aguentem a pressão. O que isso significa? Luzes dinâmicas tiveram de ser retiradas da versão mobile. Porém, boas notícias aos que forem atrás da versão: o jogo chegará com o art book digital original do título.

Ainda não há data exata ou preço para o jogo, mas em entrevista ao site Polygon, o produtor assistente do título, Ben Holschuh, afirmou que BioShock para iOS chegará com preço “premium”.

Temos de lembrar nosso leitor que não são muitas produtoras “grandes” que conseguem entrar no mercado mobile, ainda mais quando cobram mais que os US$ 0,99 dos Angry Birds da vida, ou mesmo os “freemiuns” à lá Candy Crush.

Fique ligado:

BioShock foi lançado originalmente em 2007 para PC, Mac, Xbox 360 e PS3 e alavancou, novamente, o nome de Ken Levine, seu diretor, à categoria de uma das maiores mentes na indústria de games da atualidade.

  • Henrique Tavares

    Acho o argumento de expansão de público inválido, dado o descaso com o produto nesse caso.

    Digo, provavelmente eles estão fazendo o melhor trabalho possível nessa adaptação, mas a única coisa que consigo esperar desse jogo, numa tela de toque, é que ele vai perder muito da dinâmica rápida e interessante de combate do original, o que é errado, já que essa é uma parte crucial do trabalho como um todo

  • Luiz Augusto Pereira Rodrigues

    Eu nao comprei pq ta muito caro

  • Eu tenho o Bioshock Infinite e apesar de saber que é um ótimo FPS, eu n gosto muito do gênero. Poucos jogos nesse estilo, tipo Far Cry 3, conseguiram me prender.