Procurador dos EUA quer que você troque jogos violentos por sorvete

Ben & JerryO procurador do distrito de Marin, na California, Edward Berberian, acredita que jogos violentos e armas de brinquedo são igualmente prejudiciais às crianças e contribuem para a violência doméstica. Por isso, ele estabeleceu que durante o mês de outubro, famílias que levarem jogos e réplicas de armas a certos locais no destrito poderão trocá-los por sorvete da marca Ben & Jerry’s. O programa faz parte do Mês da Conscientização da Violência Doméstica.

Apesar da ação ter como objetivo contribuir com redução da violência no país, ela parece condizente aos argumentos conservadores da National Rifle Association (NRA), organização que defende os interesses dos produtores de armas e a segunda emenda da Constituição dos EUA, que prevê o direito ao uso de armas de fogo.

Em 2013, a NRA culpou os videogames pela violência doméstica e os recorrentes casos de massacre em escolas do país, pressionando o presidente Barack Obama a aprovar uma pesquisa, ainda a ser divulgada, sobre o impacto dos videogames violentos no comportamento dos jogadores. Ironicamente, o acesso à armas reais nos EUA continua sendo relativamente baixo, dando origens a histórias trágicas como a da garota de 9 anos que matou o instrutor de tiro com uma Uzi, por acidente, em agosto.

Além disso, a ação do procurador pressupõe que jogos violentos são automaticamente consumidos por crianças, ignorando a existência do rigoroso sistema de classificação etária e do fato de que cabe aos pais controlar o acesso dos filhos a jogos (ou filmes, livros, programas de TV…) com qualquer tipo de conteúdo inadequado à crianças.

  • Johannes Barreda Rechberger

    A claro pq um sorvete tem o mesmo valor de um jogo… não obrigado prefiro ser um serial killer por jogar jogos violentos…

  • Você disse tudo: enquanto isso, o armamento de fácil acesso continua indo muito bem, obrigado.

  • IcaroBrendel

    Quanto sorvete eu consigo com copias do MW2 e MW3?

  • jprbessa

    Armamento também, em si, não é o problema. Sempre tive acesso a armas de fogo quando criança. Até os 10 anos vivia em um sítio com minha família, até que pra facilitar a vida estudantil compramos um apartamento na cidade. Eu e meus irmãos sempre soubemos onde estavam as armas do meu pai e a munição. Mas fomos educados a não utiliza-las e nunca mexemos sem autorização. Em compensação, quando ganhei um kit do Jiraya, com máscara e espada, eu desci o cacete nos meus irmãos. Até que, após tomar uns safanões, conversaram comigo explicaram sobre responsabilidade e o ato covarde de bater armado em crianças menores. Não houve mais problemas nesse sentido.
    O que quero dizer é que essa teoria de compensação ou de responsabilização de um objeto está completamente errada. Sejam videogames, armamentos, drogas…
    Ou os pais e a sociedade ensina seus indivíduos ou o problema nunca deixará de existir.

    • André

      Quanto ao armamento a questão é menos simples que isso. Armas de fogo possuem um objetivo claro. Quem é contra elas argumenta pela ineficácia do seu uso em casa para a autodefesa (sobrando apenas o uso indevido que dá em merda, que você mencionou). Estatísticas devem ter aos montes por aí, não procurei, estou apenas apresentando o que se diz.

      A “discussão” (falsa) sobre violência e games passa longe disso, estes últimos servem perfeitamente de bode expiatório como as armas nunca servirão.

      • jprbessa

        De fato, mas responsabilizar qualquer que seja o meio é leviano.
        Concordo que a questão com armas de fogo é um pouco mais complexa, ainda mais nos EUA, mas o principal é a educação. Parece clichê, mas não é. É até estranho, pois na região rural onde morava os casos de violência envolvendo armas de fogo foi ínfima. Eles até dizem: “Arma falha, faca não.” Ou seja, por mais que a grande maioria tenha arma de fogo, um contraste muito grande com áreas urbanas, ela não é per se um agente agressor. Ainda mais que o maior problema que envolve armamento é a caça.

        Se algo muito maior, poderoso e prejudicial que são armas, ao meu ver não são o problema, mas sim quem as utiliza, quanto mais os games.

        Eu sou da época que se atribuía o mesmo tipo de violência ao RPG ou desenhos como Cavaleiros do Zodíaco. Outros vão se lembrar da época que diziam o mesmo dos quadrinhos. Enfim, essa merda nunca vai mudar.

        • André

          É como toda discussão falsa: quanto mais atenção aos elementos da discussão, menos ao problema que os antecede.

      • Carlos

        E mesmo assim, aqui no Brasil tem esses idiotas que acreditam na lorota do governo de que o cidadão armado gera violência. Como se o traficante, assassino, estuprador ou ladrão fosse entrar dentro de uma delegacia para preencher um formulário de requisição de porte de arma. Incrível como a mentalidade do povo brasileiro é tão facilmente manipulada…

      • Carlos

        Vivemos num país onde uma grande maioria de pessoas de bem acredita que armas geram violência apesar dos dados mostrarem que, quanto mais desarmada uma população, mais à mercê da violência ela fica… Isso é reflexo da desinformação (atualmente fortemente promovida pelo governo)…
        Veja só essa matéria: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1028

        • André

          Como disse, apenas esbocei o argumento e isso foi pra fazer o contraponto na comparação com os videogames. Não vou entrar nessa discussão sobre armamento aqui, vide meu comentário mais abaixo.

  • Fucking conservadores

  • Legal os sorvetes da Ben & Jerry’s são muito bons, mas esta ação parece bem tendenciosa, os jogos hoje já recebem um selo de classificação, se a molecada da violenta por causa dos jogos e brinquedos e culpa dos pais que não respeito a indicação etária e logo não sabem educar seus filhos.

  • Vinicius Medeiros

    Entendi a finalidade do projeto. Os garotos vão trocar um jogo de $60 pelo mesmo valor em sorvete. Logo rapidamente ficarão tão obesos e diabéticos que não conseguiram fazer mal algum as outros. Ótima lógica!

  • Ademar Abiko Jr.

    Daí as crianças fazem guerra de sorvete e eles banem os sorvetes.

  • André

    Troco meus jogos por sorvetes de sangue com cobertura de pólvora. Devem ter, né?

  • Power Otaku-Kun

    Mas que sorvete pequenino. Podia ser um sorvete mais caprichado =X

  • OfudouMyou

    gostei da solução de “procurador do distrito” lol lol já sofri muito com traduções de D.A.