Season Pass de Assassin’s Creed Unity traz jogo inteiramente novo ambientado na China

Assassin’s Creed Unity ainda nem chegou e, como manda a tradição, seu season pass (pacote de DLCs) já foi anunciado. Mas, diferentemente do que é esperado para esse tipo de conteúdo adicional, o pacote traz não apenas uma nova campanha aos moldes de Unity, chamada Dead Kings, mas um jogo inteiramente novo da série: Assassin’s Creed Chronicles: China.

O novo jogo, que também será lançado individualmente, se passa na China do século XVI e traz como protagonista Shao Jun, último membro da Irmandade Chinesa. Quem acompanha o universo da série pode se lembrar de Jun do curta animado Assassin’s Creed Embers e do romance de Assassin’s Creed Revelations.

Assassin’s Creed Chronicles: China traz ação em 2D e cenários inspirados em pinturas chinesas, combinando lutas marciais e mecânicas stealth.

O season pass de Unity também traz a campanha Dead Kings, que avança a história do jogo, levando o protagonista Arno à Saint Denis, em 1794, onde reis franceses foram enterrados em uma necrópole. E, por se passar em ambientes subterrâneos, Dead Kings é também a campanha mais sombria já criada para a série, segundo seu diretor criativo Alex Amancio.

Assassin’s Creed Unity chega no dia 11 de novembro para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Veja o trailer no qual Dead Kings e Assassin’s Creed Chronicles: China são apresentados:

  • Renato Bena

    Bom, apesar de todos os males de um AC a cada ano, eu acho interessante essa jogada de incluir uma nova linha da história, eu só receio pelo como tudo isso será amarrado, 90% do meu interesse em AC está na história… (Connor maldito…)

    • PedroWoy

      Ainda me pergunto pq não largaram de mão o presente invez de ficar inventando desculpas toscas pra manter um ponto que na real, no one cares.

      • Gustavo Quintão

        I care!
        Mas sou um dos únicos mesmo! rss

  • PedroWoy

    Não me animo pra Assassin’s Creed desde o Brotherhood. No aguardo desse pra ver se vale a pena.

  • jprbessa

    Essa parte 2D me empolgou. Seria legal se fosse como o Mark of the Ninja. Ainda não o joguei mas vi alguns vídeos e parece-me bem interessante.

    Parece que a Ubisoft começou a mudar um pouco a postura com relação aos seus DLCs. Nunca comprei pois sempre achei que o investimento não valia. Os DLCs sempre me pareceram muito curtos. Espero que esse seja o começo de um novo olhar da empresa.

    • Angelo Dias

      Mark of the Ninja é magnífico, você deveria experimentar. Não é tão caro e é divertidíssimo.

      • jprbessa

        O problema é que não tenho PC pra jogar. Aí complica. Há anos que quero joga-lo. Aliás, acho até que já o tenho comprado. Queria tanto no console. Quem sabe com a chegada das Steam Machines, né?!

        • Angelo Dias

          pô, aí talvez seja negócio mesmo. É um dos poucos jogos que de fato terminei várias vezes.

  • Jorge Henrique

    Espero que façam mais jogos na temática oriental, sou um órfã de Tenchu. Esta faltando um jogo de mundo aberto que explore essa temática ninja.

  • Sinceramente, eu queria aguentar um pouco mais do jogo, mas não dá. Ainda não terminei o IV, mas já não tenho saco nenhum para a história principal do jogo. A única coisa que realmente se salva ainda é navegar.

    Sobre um AC 2.5D… Porra, Ubisoft, larga o osso. Sei que é uma das suas franquias mais fortes, mas não dá pra aguentar um jogo por ano, quanto mais 2 ou 3!

  • Ricardo Leite

    Honestamente, só quero saber quando poderei comprar apenas o PvP do jogo…

  • Pingback: Assassin's Creed Identity aparece na iTunes Store australiana()

  • Pingback: Novo trailer de Assassin's Creed Unity mostra trechos da Segunda Guerra Mundial()

  • Pingback: A Ubisoft quer compensar os problemas de Assassin’s Creed Unity dando DLCs e jogos grátis - Overloadr()