Goku e Raditz morrem juntos quando Picollo os atravessa com um de seus raios. Goku como Super Saiyajin 3 luta, ao menos por um tempo, de igual para igual com Majin Boo. Gohan como Super Saiyajin 2 consegue ser mais forte do que Cell.

Esses e outros fatos que muitos de nós vimos dezenas de vezes em Dragon Ball Z serão alterados em Xenoverse, próximo jogo que será lançado da franquia. No entanto, diferente de como ocorreu em outros títulos de Goku e cia., esses eventos alternativos não serão só uma modalidade de jogo separada, em que lutas que nunca ocorreram no desenho podem acontecer. A mudança de linha temporal será o cerne da trama de Xenoverse, causada por personagens novos, criados para a aventura.

Esses personagens novos são Mira, um ser artificial que busca se tornar a entidade mais forte de todo o universo, e Towa, um cientista vindo do mundo demoníaco (presumidamente o mesmo local de onde Dabura se origina). Junto a isso aparecem a Supreme Kai do Tempo e um pássaro chamado TokiToki, que aparentemente é capaz de produzir tempo, que devem auxiliar os heróis e entendem as motivações por trás dos planos de Mira e Towa.

Para lutar contra os dois antagonistas, os jogadores criarão seu próprio avatar, decidindo não só elementos de sua aparência como também de qual planeta ele vem (é possível criar Namekuseijins, por exemplo). Depois disso, será preciso escolher um dos personagens originais da série para serem nosso mestre, como Goku, Vegeta etc. Isso determinará quais habilidades e forças que nosso avatar terá. Se isso se traduzirá em mecânicas de fato interessantes é difícil dizer, porém é seguro afirmar que Xenoverse é um dos jogos de Dragon Ball mais ambiciosos dos últimos tempos. Algo necessários para a série, que se tornou um tanto maçante nos videogames nos últimos anos.

Dragon Ball Xenoverse será lançado para PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360, Xbox One e Steam.