A loja de distribuição digital GamersGate gostaria de deixar claro que, apesar de ter um nome parecido, não possui quaisquer ligações com o GamerGate. O GamerGate, para os que não sabem, é uma controvérsia que vem assolando a internet mais ou menos nos últimos dois meses. O grupo que carrega a bandeira afirma que seus ataques e protestos se baseiam no desejo de eliminar o que enxergam como corrupção no jornalismo de games, porém, na prática, vemos o nome mais frequentemente sendo usado em ataques sistemáticos e focados em mulheres, como assédios a ameaças que fizeram algumas, como Brianna Wu, deixarem suas casas, e também naqueles que desejam ver uma maior discussão de assuntos sociais na indústria.

Leia mais:
Após novas ameaças, manifestação contra o GamerGate se espalha pelo Twitter
GDC recebeu ameaças de bomba por homenagear Anita Sarkeesian

De forma a garantir que o nome da loja não fique associado a isso, o CEO do GamersGate, Theodore Bergqvist, deixou a seguinte mensagem no Facebook da empresa:

“Anúncio: GAMERSGATE.COM NÃO é Gamergate!

Como muitos de vocês sabem, recentemente tem havido uma discussão feroz e infectada sobre sexismo e ética no jornalismo na indústria dos videogames. Nós recebemos ameaças e palavras duras de todo o mundo, e queremos deixar claro para todos que o Gamersgate.com não faz parte dessa controvérsia, de forma alguma.

No ano que vem o Gamersgate.com celebrará seu décimo aniversário e desde o início nós estivemos vendendo jogos para download. Nós somos uma das plataformas de download originais e fazemos o máximo para apoiar jogadores, de forma que eles possam comprar e baixar seus jogos por bons preços. A qualquer hora, em qualquer lugar.

Por favor, compartilhe esta mensagem.”

O texto não deixa claro se isso chegou a impactar as vendas da loja, mas, de qualquer maneira, ser associado ao negativismo em torno do nome GamerGate e receber ameaças é o suficiente para entender o pedido de distanciamento.