A hostilização nas redes sociais, de meras ofensas à ameaças de morte, tem sido uma das maiores procupações da comunidade de games nos últimos meses, atingindo em especial algumas mulheres. Em um momento delicado como este, proferir ameaças de morte à Gabe Newell, co-fundador da Valve, mesmo que “por brincadeira”, não é uma boa ideia se você possui um jogo em sua plataforma Steam. Na verdade, é uma péssima ideia em qualquer contexto.

Veja também:
GDC recebeu ameaça de bomba por homenagear Anita Sarkeesian

O desenvolvedor do jogo de tiro roguelike Paranautical Activity (que é até ok, financiado via Kickstarter no ano passado), Mike Maulbeck, descobriu isso da pior maneira possível. Embora seu jogo tenha chegado à versão final nesta segunda-feira (21), após mais um ano em desenvolvimento, o Steam ainda informava que ele estava em acesso antecipado (early access), o que, para Maulbeck, resultaria em confusão aos consumidores e acabaria prejudicando suas vendas.

Ao notar o problema, exaltado, ele proferiu uma série de provocações ao Steam via Twitter, que incluia tuítes no qual prometia matar Gabe Newell. Em entrevista ao Polygon, Maulbeck diz que “obviamente eu não queria ter dito aquilo, mas de qualquer forma foi inaceitável e resultado do calor da frustração que estava sentindo no momento.” Maulbeck também acusou a Valve de monopólio.

Após o acesso de raiva, o Steam removeu o jogo Paranautical Activity de sua loja. No dia de seu lançamento oficial. Ouch.

Segundo Doug Lombardi, representante da Valve, também em resposta ao Polygon, a companhia removeu o jogo de sua loja e cessou relações com o desenvolvedor devido a ameaça de morte.

Por mais que o jogo ainda esteja disponível na plataforma aos antigos compradores da versão em early access, Maulbeck afirma ter vendido apenas 12 cópias em plataformas não-Steam (incluindo Desura e Humble Store, que ironicamente são ativadas no Steam), nesta segunda-feira. Talvez a acusação de monopólio não seja, afinal, tão exagerada?

Após o incidente, Maulbeck afirmou que deixaria de trabalhar com videogames, uma vez que “não há como viver nesta indústria sem o Steam”, e dizendo que “foi uma porcaria enquanto durou”.