Após novas ameaças, manifestação contra Gamergate se espalha pelo Twitter

Em 2012, usando a hashtag #1reasonwhy, milhares de pessoas se manifestaram no Twitter contra o sexismo inerente à cultura de videogames e em resposta aos ataques à crítica cultural e feminista Anita Sarkeesian. De volta ao presente, deste a noite desta terça-feira (14), o Twitter está sendo inundado de mensagens contra o movimento Gamergate, em parte como resposta coletiva à nova onda de ataques à mulheres integrantes da indústria ou cultura de videogames – não que a hostilidade tenha cessado durante todo este período.

Anita Sarkeesian-2Há mais de 10 horas, a hashtag #StopGamerGate2014 está listada entre os tópicos mais comentados do Twitter nos EUA, já tendo acumulado mais de 60 mil tweets, segundo o site Topsy. Naturalmente, nem todos os tweets que fazem uso da hashtag são legítimos, mas a mensagem que fica, em geral é: as pessoas estão cansadas da violência, ódio e intolerância inevitavelmente trazido pelo Gamergate.

Lamentavelmente, Sarkeesian é, novamente, uma das peças centrais a esses ataques: na noite desta terça-feira, sites de tecnologia e games noticiaram que a Universidade do Estado de Utah recebeu uma ameaça terrorista após anunciar uma palestra de Sarkeesian na instituição, similar ao que aconteceu no início do ano, durante a GDC 2014. Ao contrário da premiação da GDC, contudo, a palestra foi cancelada para evitar uma possível tragédia. Outro caso recente foi da game designer Brianna Wu, que teve que se retirar de sua casa, com sua família, ao receber ameaças de morte, após se posicionar contra o Gamergate.

Veja também:
– Como o discurso de Emma Watson na ONU nos ajuda a entender o Gamergate

Milhares de jogadores, desenvolvedores e jornalistas, inclusive brasileiros, estão contribuindo com mensagens contra o tumultuado movimento Gamergate. Embora seus apoiadores afirmem ter como alvo a “corrupção jornalística”, sua falta de consistência e organização acabou por torná-lo um movimento tóxico no qual mulheres da indústria e cultura de videogames são as maiores vítimas – como abordei neste artigo recente. Criado em meio à campanhas de ódio e difamação, o Gamergate acabou se tornando mais uma batalha cultural prejudicial à comunidade como um todo do que uma campanha legítima com alguma causa clara e justa.

Entre o mar de tweets de gente com algo a dizer contra o Gamergate (em sua maioria, desenvolvedores), fiz uma seleção rápida :