BGS 2014: um passeio pela história da indústria no museu Evolução do Videogame

(Clique nas imagens acima para vê-las em tamanho completo)

Como já é tradição de toda a Brasil Game Show, a BGS 2014 trouxe, mais uma vez, o museu Evolução do Videogame, uma exposição do acervo pessoal de Marcelo Tavares, o idealizador da feira.

Devido ao espaço de sobra que a BGS teve neste ano (um dos pavilhões alugados foi transformado em espaço para filas devido à ausência de expositores), a locomoção no museu está mais confortável do que em anos anteriores. As peças já serão conhecidas daqueles que frequentaram outras edições do evento, no entanto, com o crescimento esperado do público, existem muitos que verão esses consoles e aparelhos pela primeira vez.

Acima, você o que está sendo exposto no local. A divisão por gerações é um tanto arbitrária e, na prática, ninguém a utiliza dessa forma, mas ela serve para dividir várias etapas pelas quais consoles e portáteis passaram através dos anos. Não é frequente, mas alguns dos anos marcados não estão corretos e algumas placas foram trocadas. No entanto, no geral, a informação diante de cada peça é confiável.

  • Barbara Queiroz

    Ah que saudades do meu mega drive, realmente queria saber o que minha mãe fez omc ele kk e… tinha um game da pocahontas.. eu não sei o que pensar disso, ams sei que jogar aquele portátil do guitar hero deve ser um inferno, por onde que se segura aquilo cara?!

  • Leonardo Calça

    Eu ainda tenho um Telejogo 2 guardado haha

  • Pingback: Ralph Baer, inventor do videogame, morre aos 92 anos()