Após anunciar a queda de quase 50% nos lucros em seu último ano fiscal, de €55,5 milhões para €26,9 milhões, a finlandesa Rovio, estúdio por trás de Angry Birds, cortará cerca de 16% de suas vagas de trabalho, o que acarretará na demissão de cerca de 130 pessoas.

No site da companhia, o CEO Mikael Hed anunciou que a Rovio passa por uma reestruturação, que envolve simplificar a organização da empresa com base nos pilares de maior potencial de crescimento: games, entretenimento e produtos de consumo.

2014 também marca a saída de Mikael Hed, atual CEO, que deixará o cargo para Pekka Rantala na virada do ano.

Ultimamente, além das incontáveis versões e spin-offs de Angry Birds, a Rovio tem investido na produção de conteúdo para TV e cinema – que, bem, também são baseadas em Angry Birds. Uma de suas maiores apostas é o filme de Angry Birds, previsto para estrear nos EUA em 2016.

  • jprbessa

    Ninguém pensa que o sucesso é algo passageiro?

    Cento e trinta cabeças no olho da rua por erro de projeção é triste.

  • Barbara Queiroz

    Credo, isso é erro feio de gestão, Angry Birds já passou da fase em que o produto “morre” faz tempo e eles ainda vão apostar num filme..? prevejo mais demissões..

  • Domingos Junior

    130 cabeças representando 16% dos funcionários atuais. Estou impressionado com o tamanho que a empresa tem hoje e chocado por eles não estarem trabalhando em nada alem do Angry Birds