Que tal sentir seu sangue ser sugado de seu corpo a cada tiro levado em um shooter? Só não dá para dizer que a ideia por trás de Blood Sport é completamente doentia por que seus criadores pretendem doar o sangue coletado para instituições médicas. Mas, apesar da intenção nobre, é preciso ser muito sádico para querer experimentar a “brincadeira”. Quem iria querer se sujeitar a isso?

A dupla de publicitários Taran Chadha e Jamie Umpherson recorreram ao Kickstarter para tentar financiar o projeto, pedindo US$ 250 mil em arrecadações. A proposta é levar o equipamento, uma máquina simples de extração de sangue conectada a uma placa Arduino, que reconhece o dano sofrido pelo jogador a partir de sinais elétricos, a eventos de games ao redor do Canadá. Por mais bizarro que pareça, a dupla quer transformar o Blood Sport em um motivo para você doar sangue, fazendo uma ponte entre a comunidade de games e médica.

Pelo menos, diferentemente de seu personagem no jogo, você não pode morrer de verdade usando o Blood Sport: além de ser responsável por ativar a máquina de extração de sangue nos momentos certos, o chip mede a quantidade de sangue extraído de um indivíduo, levando em consideração seu peso, idade e condições médicas pré-existentes. Se o limite seguro de sangue for atingido, a máquina desliga-se sozinha – mas alguém ainda vai ter que arrancar aquela agulha da sua veia.

Se o projeto vingar, um evento de testes do Blood Sports será marcado para março, em Toronto, onde os apoiadores poderão ter o “privilégio” de serem os primeiros a ter seu sangue sugado.

Atualização: com pouco mais de US$ 3 mil arrecadados em dois dias, a campanha de Blood Sport no Kickstarter foi suspensa. Até o momento, nenhum esclarecimento foi dado pelos criadores do projeto.

Veja também:
Recurso Face Scan de NBA 2K15 está dando vida a criaturas monstruosas