Há ódio na internet. Qualquer um que já tenha participado de discussões em fóruns, compartilhado um artigo polêmico no Facebook ou simplesmente usado o Twitter sabe disso. No entanto, nenhum de nós precisa a aguentar a quantidade de assédio que Anita Sarkeesian aguenta.

Em seu blog Feminist Frequency, a criadora da série Tropes vs Women in Video Games compartilhou tweets direcionais a ela, xingando-a. ironizando-a e, frequentemente, fazendo ameaças de estupro e morte. Tudo proveniente de um comentário feito por Sarkeesian sobre como não deveria ser normal pessoas se ameaçarem de morte quando estão participando de partidas competitivas online, em jogos como Call of Duty. Um pensamento tão sensato e óbvio que só torna mais espantoso que tenha havido alguém a meramente se indignar com isso, quanto mais nesse nível.

Leia mais sobre Anita Sarkeesian:
Anita Sarkeesian terá duas novas séries que falarão sobre videogames
Anita Sarkeesian fala sobre Gamergate em horário nobre na TV norte-americana

Além do conteúdo abusivo em cada tweet, o que mais assusta é a quantidade das mensagens que foram enviadas à conta do Feminist Frequency. São dezenas e dezenas, e todos coletados no espaço de apenas uma semana. “Eu tenho sido alvo de abusos diariamente por jogadores ensandecidos com minhas críticas ao sexismo em videogames. Às vezes é difícil comunicar efetivamente quão ruim essa campanha constante de intimidação é,” diz Sarkeesian em seu blog. “Então eu tomei a liberdade de coletar o conteúdo de uma semana de mensagens de ódio mandadas a mim no Twitter.”

Exemplo dos abusos direcionados a Anita Sarkeesian

Eu tenho que admitir que nunca imaginei que o volume de mensagens ignorantes pudesse ser tão grande. Todos nós somos, vez ou outra, alvos de algum comentário negativo na internet e é lógico presumir que figuras públicas recebem tais intimidações em uma quantidade maior. Mas as dezenas de tweets no curto espaço de sete dias foi muito maior do que eu poderia conceber. Resta torcer para que, com isso, mais pessoas notem que essa atitude não deve continuar a ser sistêmica e deve ser combatida em qualquer contexto, não só em videogames.

Para ver a compilação de tweets acesse o blog do Feminist Frequency. Atenção: as mensagens enviadas são pesadas e difíceis de serem digeridas.

  • IcaroBrendel

    Não entendo porque a galera odeia tanto essa mina, ela não ta interferindo no jogo de ninguém.

    • Manoel Ricardo

      talvez pq ela só quer falar mas não escuta feedback de ninguém?

      • riquesampaio

        Quando 90% do feedback é FUCK YOU YOU WHORE é até compreensível que ela tenha dificuldade de ouvi-los. Mas, de qualquer forma, seu comentário é impreciso. Ela mesmo está trabalhando em uma série só com exemplos positivos de mulheres nos videogames, que era justamente um dos pontos mais criticados do Tropes Vs Woman in Video Games.

        • Manoel Ricardo

          existem muitos videos respostas bem interessantes no youtube de outros usuários, inclusive com mulheres. seria legal se ela trouxesse esse tipo de público pra ir compondo o discurso dela nos novos videos. era mais esse tipo de feedback que estou querendo dizer. provavelmente esses de xingamento em massa no twitter seja mais um reflexo do tipo de atitude que ela decidiu adotar de não querer ouvir o seu público. mas, enfim, é legal também ela falar sobre exemplos positivos, mas seria mais legal, como falei, se mais gente pudesse participar 🙂

          • Eu sempre acho interessante como as pessoas confundem a interatividade da internet com “obrigação de interação”, ou seja, se ela fez vídeo ela TEM que escutar todo mundo, ela TEM que mudar o discurso, ela TEM que responder a toda e qualquer crítica que recebe.

            Eu não concordo com boa parte dos argumentos dela, mas nada, nenhuma racionalização possível é capaz de justificar essa enxurrada de merda e ameaças na “vida real” que ela recebe. Sério.

          • katarina

            Mas já dizia o ditado popular “quem diz o que quer ouve o que não quer” não é mesmo? Acha que Jesus foi recebido com palavras carinhosas quando ele pregava sobre amores? Não, ele foi crucificado e humilhado. Sofrimento faz parte do caminho de martir, que é o q ela quer alcançar.

          • Manoel Ricardo

            o projeto é dela, ela faz do jeito que achar melhor. em nenhum momento eu disse que ela TEM que interagir com o público, de onde você tirou isso? eu apenas disse que seria mais interessante se ela ligasse pra oq o pessoal está falando pra ver se ela aprende coisas novas. é normal em qualquer tipo de discussão. mas se ela quer continuar fechada assim, que continue e arca com as consequências.

            e, sobre todas essas ameaças e merdas que falam dela… sério que você não acha um argumento racional que explique isso? dica: internet.

          • Você baseou sua primeira crítica falando que o “erro” dela é não escutar críticas ou “aprender” com as mesmas. Só apontei que isso não é obrigação de ninguém, alguns se abrem para isso e outros não, mas, de qualquer forma, não é um problema. E continuou apontando que essa chuva de babaquice é uma resposta direta a ela não querer interagir diretamente com um público que, veja só, a xinga na maior parte das vezes. Entendo ela não querer fazer isso.

            E se você acha que invocar a “internet” como uma explicação racional para qualquer babaquice dita online e offline, bom, não temos muita conversa, só acho que você está completamente errado. A internet não é isso, ela é uma coisa bem diferente, pessoas que abusam da anonimidade e distância do interlocutor para ofender de maneira gratuita só são imbecis. E nem isso é desculpa.

          • Pra vim esse tipo de agressão que ela sofre seria melhor combatido se fosse ignorado, me parece que se criou uma aura sobre a situação dela que carrega todo esse preconceito e assedio negativo, a imagem/pessoa idela que ela representa acaba sendo associada a uma “mulher gamer/feminista” numa cruzada contra os haters ignorantes preconceituosos do mundo, ao invés de focar no que realmente ela agrega de bom pra cultura gamer, mas entendo que esse tipo de agressão não se limita a comentários no twitter e ignorar isso e difícil de ignorar.

          • Gustavo Karsten

            O problema é que ela só deu bola para alguns haters e ignorou pessoas que realmente queriam criticar alguns argumentos dela. Mas a ignorância dela quanto aos críticos se deve ao fato de ela ser alvo de haters e receber mais hating do que criticas construtivas. Anyway… Ela não merece nem um pingo do ódio que ela ta recebendo…

        • katarina

          Exemplo positivo = mulher que é casta, que não faz sexo e sabe conseguir prazer por conta propria. Tipo eu.

          • Andressa Ojea

            Po você não conhece o trabalho da Anita pra dizer algo assim…

      • Tiago Ribeiro Xavier Cordeiro

        Eu odeio tudo que essa fdp faz, msmo assim nunca ofendi ela publicamente. Não acho que ela deva escutar feedback, a proposta dela é dar a opinião dela, não abrir uma discussão pública sobre o assunto.

        • Manoel Ricardo

          bem mas qual a graça disso? se ela quiser ficar falando apenas por falar, fique parada na frente do espelho falando com ela mesmo (!). o legal é discutir ideias com pessoas diversas e contrária a sua opinião pra você aprender coisas novas 🙂

        • riquesampaio

          “Eu odeio tudo que essa fdp faz, msmo assim nunca ofendi ela publicamente.” Boa champs.

          • Tiago Ribeiro Xavier Cordeiro

            hahahahaha Essa foi a primeira vez na verdade, mas não quis ofender ela, só não gosto do trabalho dela. Entendo que é necessário a criação dessa discussão toda, mas o jeito que ela faz, muitas vezes soa burro e extremista.

          • Wellington Franke Jr.

            Mesmo assim eu concordo em chamá-la de fdp porque ela realmente é fdp.
            Exemplos?
            Uso indevido de imagem de terceiros (gameplays).
            Manipulação seletiva.
            Os vídeos dela tem os comentários e like/unlike removidos pois ela sabe que todo o seu projeto é baseado apenas nas ideias que ela prega, pois não há um estudo apresentado, apenas argumentos fracos e desonestidade intelectual.
            Quando mandam a ela uma critica direcionada as falácias dela, a conta do Twitter do critico apenas “some”, isso sem ser um anônimo qualquer, sem ameaça, apenas um questionamento de suas ideologias forçadas.

            Isso só comprova o quanto ela é desonesta, oportunista e covarde, pois, Anita vive sendo refutada por vloggers (e com ótimos argumentos) e até hoje ela não desce do palanque para replicar seus críticos mais moderados. Uma baita vigarista isso sim, acordem para a realidade!

            Na boa, acho que a galera aqui não assistiu nenhum dos vídeos dela (que foi financiado por um homem, mas ela alega que recebeu “doações”). Ela apenas quer pregar moral de cuecas furadas criticando jogos que ela sequer jogou, falando mentiras e provocando os gamers. Agora ela usa o GamerGate como trampolim para usar todo o vitimismo possível para se auto promover. É provável até que as ameaças sejam enviadas por ela mesma só para gerar polêmica e aumentar mais ainda seu status de vítima.

            Pensamento critico pessoal e canja de galinha não faz mal a ninguém, o problema não é o sexismo no mundo dos games, sim, uma oportunista gerando mais e mais ódio entre as pessoas…

    • Vitor Calfa

      Complexo de inferioridade provavelmente. Moleques imaturos devem não suportar a ideia de que uma mulher possa ter mais direitos e jogar melhor os jogos que eles “amam”. Eu caso vinte no chão que 99,9% desses caras são todos adolescentes, não trabalham, virgens e vivem com a avó ou os pais.

  • trOOly

    O problema real é quando as ameaças de Internet se tornam ameaças reais, como aquele lance da ameaça de bomba na palestra que ela iria realizar.

    Eu não concordo totalmente com os argumentos dela, e gosto menos ainda do delivery dela. Mas

    a vejo como algo necessário, assim como eram necessários um Martin Luther King e um Malcolm X nos anos 60 nos EUA. Infelizmente, isso pode lhe custar muito mais coisas além de demonstrações de raiva de anônimos pela Internet.

  • katarina

    Deve ser muito odiada porque ela sabe que comentário negativo sempre dá bem mais cliques e notoriedade. Na verdade ela não é coitadinha coisa nenhuma, sabe muito bem o que tá fazendo e tá rindo de vcs todos por ajudar a expandir popularidade dela 🙂

  • romulodearaujo

    Nenhuma mulher deveria ser tratada assim. Só que essa sabe muito bem o que está fazendo. Essa forçação de barra dela querendo ser Jesus Crista é bem chatinha. Os tetudos não vão se conscientizar por aí.

  • KauCaze

    Isso, de longe, lembra aquele caso da moça que “stalkeou” alguns haters que a ameaçavam de morte/estupro e, depois de descobrir que eram moleques, conversou com as mães deles sobre o que os filhos faziam na internet. Se não concordam com a opinião dela, poderiam formular um argumento que explicando o porque… ou simplesmente ignorar. Sinceramente, gostaria de entender se existe alguma satisfação mórbida em ameaçar alguém pelo computador.

    • Gustavo Karsten

      Essa moca seria a Alanah Pearce?

      • KauCaze

        Essa mesma!

  • slashrick

    Assim… Eu só “acho” que entrar no mérito da qualidade do trabalho dela no contexto dessa notícia é “miss the point” COMPLETAMENTE.

  • Li vários dos comentários aqui, e a coisa esta quente, só me esclareçam uma coisa, a Anita Sarkeesiangerou sofre todo esse lance de ódio, ameaças e perseguição pela postura e maneira como ela expressa sua opinião e se relaciona com o publico? Ou isso aconteceu de maneira gratuita? (digo isso porque vi aqui vários comentários afirmando que ela que ser um mártir) Ou isso aconteceu de maneira gratuita? já que isso é uma situação muito comum, o cara vem e malha o autor de um texto em um blog ou vídeo no youtube sem sequer entender do que a pessoa ta falando. Só fiquei confuso com todo esse bafafá sobre ela, e tamanha notoriedade que ela tomou, eu realmente não acompanho muito esse lance do gamergate e outros movimento desse tipo.

    • Manoel Ricardo

      Ela é confusa mesmo. É difícil entender o que a pessoa quer quando gera debate mas se fecha pra ouvir opiniões. No fim, acaba dando impressão que ela quer se fazer de coitadinha e aproveitar da situação.

      • katarina

        Se ela abrisse espaço para discussão e conversasse com mero mortal como vc, acha q ela vai conseguir o que ela quer querido?

    • Hey Deep, vai fundo e forma sua própria opinião: https://www.youtube.com/user/feministfrequency =)

    • Heitor De Paola

      Algumas pessoas tentarão argumentar com você que a raiva ignorante é proveniente do fato da Anita não responder aos contra-argumentos feitos aos vídeos dela no Tropes vs Women in Video Games. Mas a verdade é que o ódio irracional já acontecia antes disso. Quando ela fez um Kickstarter para juntar dinheiro para produzir essa série de vídeos já foi alvo de severos ataques. É só puro ódio ignorante de pessoas que tem medo de qualquer mudança no passatempo delas, procurando por auto-afirmação em tudo que consomem e discutem. Qualquer desfio ou confronto é visto como um ataque pessoal direto, levando à explosão de raiva como retaliação.

  • lelecoleco

    Eu tenho um medo absurdo do que nossa “sociedade” vai se transformar daqui uns 10 anos. Talvez menos até.

    • Leandro Tavares

      Eu tenho esperança. Lutas como a dela mostram como de fato há um lado para o qual a sociedade caminhou e que precisa ser evitado nas gerações futuras. Quem tem senso crítico olha isso, fundamenta seu próprio argumento e entende melhor as regras do jogo social para não virar um desses babacas do tweet, concorde ou não com os argumentos da Anita.

  • Susana Rodrigues

    Uau como é bom olhar só um lado.
    https://www.youtube.com/watch?v=9MxqSwzFy5w
    sério ninguém pesquisa, a Anita é uma mentirosa e picareta sem tamanho q se faz de vitima para conseguir o q ela quer, e esta com muito dinheiro.
    e talvez venha melhor de alguém q é mulher, como eu, e sou feminista, mas sou extremamente contra ela, ela não auxilia ninguém, ela não é uma donzela, ela roubou dinheiro sim, e não cumpriu o q disse q ia fazer.
    compartilhe a Factual feminist, alguém completamente entendido no assunto feminismo, com muito mais conteúdo q a Anita, acreditem, Anita é uma bela de um farsante que manipula tudo.
    https://www.youtube.com/watch?v=WuRSaLZidWI/ <- e assistam os videos do thurnderfoot tb, ele fez o q um pesquisador faz, a lição de casa.
    não fiquem vangloriando alguém que não merece ser vangloriado, que rouba os dinheiro dos outros, abusando da pena dos mesmos que doam.

    • Thiago Salvador
    • Se você é feminista, Susana, por que justifica os ataques exagerados, ameaça de estupro e morte a outra mulher?

      Pq assim, o post nem é pra defender a qualidade do trabalho dela, a ideia é mostrar o tanto de ataque que ela recebe por ele. O seu comentário, no final das contas, é triste e só se junta à categoria: “Mas ela falou bosta, então merece tudo isso aí “

      • Susana Rodrigues

        caro Caio, não justifiquei nada.
        e convenhamos ameaças todo mundo recebe, ela mesma q se colocou no cenário público, então não estou justificando que ela merece ser atacada, mas ela também deveria tomar uma atitude melhor do que gritar lobo, porque se acontecer ninguém vai acreditar, esse que é o lance, quanto mais você grita, menos as pessoa acreditam em você, não o contrário.
        e ela sim escolheu os piores dos piores, mas para ouvir quando alguém vai educadamente falar que não concorda com ela, vem meio mundo defendendo ela.
        o feminismo é necessário aqui no Brasil, onde sim temos muita desigualdades sociais, onde temos diferenças de pagamentos reais, onde muitas mulheres são atacadas.
        Ameaças de morte que não são concretizadas, ameaças de estupro já vi homens recebendo, então não é exclusivo a ela, se falou besteira que defenda sua besteira e não se faça de vitima, esse q é o ponto principal, agora se quiser defende-la até o fim, fique a vontade.
        e fora, olhe as celebridades, é a mesma coisa, se falam merda muitos mandam ameaças de morte, estupro e por ai vai, não a coloque num pedestal, se ela entrou numa rede pública onde todos podem se expressar, ela deveria fazer como todo mundo faz, não ouvir e continuar em frente.

        • Bom, tudo o que falou continua a ser uma tentativa de justificar ou diminuir os ataques. O que só me parece uma posição porque ela não necessariamente representa o seu ideário feminista – que, inclusive, é muito interessante, já que trata ameaças de estupro contra uma mulher (que, como deve saber, é mais suscetível a eles doq homens).

          E eu nunca vi alguém, educadamente, discordando dela e uma miríade de respostas contra essa voz dissonante. Você viu isso mesmo ou está apenas supondo?

          Por que você delimita “o feminismo é necessário aqui no Brasil”? O movimento sempre me pareceu global, mesmo em países mais avançados… Tem algum dado que o feminismo é menos necessário nos EUA? E você continua usando, durante todo esse parágrafo, argumentos no mínimo duvidosos (para não falar completamente errados, como “no Brasil, onde sim temos muita desigualdades sociais”, como se nos EUA os mesmos problemas não existisse).

          Não dá para entender como você consegue olhar para “ameaças de morte não concretizadas” e achar que isso é banal, normal no mundo. Não importa se ela não morreu, ou se outros já sofreram as mesmas: não é ok, não é normal e nem deve ser menosprezado. E, de novo, a matéria é sobre isso. Não entendo onde mora a dificuldade de interpretação de texto que todos usam o espaço de comentários para questionar a qualidade do trabalho da Anita quando não é o assunto em questão. Parecem aqueles comentadores de portal que lêem a notícia sobre um meteoro e já chegam com “Mas a Dilma e os PTralhas!”. Pô, leia o texto antes de comentar, sabe? Pq quando vocês comentam esses tipos de absurdo só fica ainda mais claro que não conseguem mais olhar além do ódio (que eu tb não consigo entender, “ódio” pq a mulher falou “se pá seria legal games serem mais inclusivos”).

          Ela não está num pedestal para mim ou para o Overloadr, são vocês que a colocaram em um, apenas para ter onde focar um ódio irracional contra mudanças que irão e já estão acontecendo.

          • acho que tá bem claro que é um fake quero aparecer. Não perca tempo Caio!

    • Thiago Salvador
  • Thiago Salvador

    Como muitas pessoas mais sensatas já falaram nesse post: não concordo com tudo que ela diz. Isso não indica que ela não está fazendo um bom trabalho. Especificamente o vídeo dela sobre como a gravidez é usada como ferramenta de roteiro para aterrorizar ou ameaçar mulheres me fez questionar muitas obras que consumo como leitor/espectador/jogador.

    https://www.youtube.com/watch?v=0rhH_QGXtgQ

    Como o tr00lly falou ali embaixo, Malcom X e Martin Luther King foram figuras controversas e talvez radicais na sua época. Não gosto de radicalismo, mesmo em causas que seriam benevolentes. Mas são os radicais que costumam ser os agentes da mudança na nossa sociedade.

    Ano passado me tornei pai de uma garotinha e espero curtir junto dela jogos que ela se identifique. Como aquela versão de Donkey Kong que você joga com a Pauline.

    https://www.youtube.com/watch?v=JeXDNg7scyU

  • Green ZOMBIE

    Acredito que quando você se torna uma pessoa publica, ainda mais quando se levanta uma bandeira, terás os fãs e haters. Sério, isso não vem ao caso o nível de qualidade do trabalho da moça ou de qual assunto ela propaga mas da quantidade de Haters que infesta a web.

    Não somente sobre o feminismo em si, mas de sua opinião sobre o mundo ou de qualquer outra coisa relevante ou até mesmo irrelevante, sempre haverá um desinformado, desocupado, deselegante com o anonimato da web ao seu favor pronto a desferir palavras grotescas contra tua pessoa só porque pensa diferente de você ou acha legal ficar pagando de Hater.

    E podem apostar, a quantidade de usuários que destilam tais ódios a maioria são de adolescentes ou crianças, mimados, donos da razão e sabedoria suprema sem nunca ter lido um livro sequer.