Não que a gente ainda tenha qualquer expectativa de ver a Rare voltando a ter a relevância que ela tinha nos anos 90, dado o que ela tem feito nos últimos anos (ninguém liga muito para Kinect Sports, convenhamos). Mas de acordo com o diretor criativo da Microsoft Studios, Ken Lobb, durante o podcast Inner Circle, em existe uma intenção por parte da companhia de reviver franquias clássicas do estúdio.

“Teremos algum dia um novo Banjo, Viva (Piñata), Blast Corps, Battletoads? Sim, um dia”, ele disse. “Sabemos que existe um valor. Temos muita paixão internamente para cada jogo. Nós temos algumas surpresas guardadas em um futuro próximo e distante.”

Segundo Lobb, a Microsoft constantemente atualiza as licenças das franquias da Rare, o que possibilitou, por exemplo, o relançamento de jogos como Banjo Kazooie, Banjo Tooie e Perfect Dark no Xbox 360.

“Eu acho que a melhor mensagem para dar aos seus ouvintes é que amamos IPs antigas tanto quanto vocês. Por favor, sejam pacientes para que possamos construir tudo isso em um momento.

  • Gabriel Raposo

    O Nuts and Bolts foi tão ruim quanto disseram? Entendo a decepção, mas ouvi mais sobre o que ele não é do que ele realmente é

    • Heitor De Paola

      É, vai depender realmente do que você espera. Muitos achavam que tinha que ser mais um jogo de plataforma, o que eu acho que nunca funcionaria na época em que ele saiu. Nuts and Bolts fugiu disso e eu achei o jogo incrível. É divertido, as fases são criativas, ele é divertido e o sistema de construção de veículos funciona muito bem. Vários jogos falam sobre terem um sistema de criação e compartilhamento, mas Nuts and Bolts foi um dos poucos casos em que eu senti que isso era integral á experiência do jogo e que era fácil de ser utilizado. E é muito legal ver as soluções criadas por outras pessoas para conseguirem os melhores tempos dentro de cada uma das fases.

  • Banjo-Tooie é simplesmente o melhor jogo de 64.