No ano passado, o desenvolvedor argentino Ariel Arias apresentou ao mundo seu projeto pessoal The Hum, baseado em seus medos infantis de histórias de alienígenas. Embora seu primeiro jogo, um simulador de sobrevivência durante uma invasão alienígena, não tenha sido bem sucedido em sua campanha no Kickstarter, Arias decidiu reduzir o escopo e criar um jogo menor, mais contido, mais… intimidante.

Assim surgiu The Hum: Abductions, que parece seguir a linha de jogos como Among the Sleep e Gone Home, mas focando nos horrores das histórias de alienígenas e abduções. No jogo em desenvolvimento por apenas três pessoas, com a Unreal Engine 4, somos Holly Sanders, uma mulher que sofre com o desaparecimento súbito do marido, cuja única companhia agora é seu pequeno filho Dan. Até que:

Uma das características do jogo são “cenas onde você jogará dentro de sua mente sendo experimentada”, o que dá a entender que… Sanders também será abduzida? Ok, isso está ficando ainda mais sinistro.

Segundo o site oficial, The Hum: Abductions, que ainda não tem previsão de lançamento, está sendo desenvolvido para PC, Mac e PlayStation 4 e terá suporte para realidade virtual com o Oculus Rift.

Abaixo você vê imagens conceituais do universo expandido de The Hum, que parece ser muito mais Guerra dos Mundos do que a primeira parte de Contatos Imediatos de Terceiro Grau, de Abductions:

the-hum-1the-hum-2the-hum-3the-hum-5the-hum-6the-hum-7the-hum-8the-hum-9the-hum-10the-hum-11the-hum-12Untitled-4

 

  • confesso q morro de medo de aliens desde q assisti o filme sinais, ainda mais por eu morar numa chácara ,da mó medo ir na roça buscar milho. Enfim compra certa !

  • André Luz

    como assim vc vai voltar a ter medo de alienigenas??? eu nunca perdi o medo ahuehuaehuah que horror

  • Alisson André

    Eu só queria ver minhas mãos.

  • Felipe Pimentel

    Curti bastante esse trailer… parece uma mistura de PT com Sinais (aliás, a casa lembra muuuuuuuito a do filme).
    Mas uma coisa me incomodou bastante…. geração nova e nada de mãos e pés em primeira pessoa?? Não tá na hora disso ser padrão, não?! =/

    • tambem acho isso um saco cara, é mt ”prazeroso” olhar pra baixo e ver seu corpo e não parecer q é so uma câmera flutuante.

    • thales_cr

      Mas eu acho que quebra um pouco da imersão, porque o corpo nem sempre é tão bonito quanto o cenário e gera um contraste

      • Felipe Pimentel

        Eu entendo o seu ponto de vista mas eu acho que perceber que vc é apenas uma cabeça flutuante tb quebra a imersão… acho que seria só uma questão de costume até aceitar completamente o contraste cenário-corpo. E sem contar que com o tempo, acho tb que o aumento da qualidade das texturas e animação vai cada vez mais diminuir esse estranhamento.

  • Fernando Henrique

    Muito bom! E sem um projeto argentino é melhor ainda!
    Precisamos de mais projetos assim na América do Sul!

  • Random T800

    uuuuhuuu finalmente um jogo de terror com alienígenas….sem zumbis, sem demônios…Aliens….

  • Muito massa! Quero ver esse projeto evoluir!

  • Gabriel Valente

    Nunca senti tanto medo na vida como quando assisti Fogo no Céu com sei lá, 6 anos de idade.

  • Marcus Vinicius Lima Martins

    Que cagaço.