Videogames podem ser uma peça fundamental no desenvolvimento de inteligências artificiais avançadas. O laboratório inglês DeepMind Technologies, comprado pelo Google no ano passado, treinou uma IA usando games clássicos do Atari 2600. No estudo, o sistema foi capaz de vencer 49 jogos do console, incluindo Pac-Man e Breakout, a partir do aprendizado de suas mecânicas e elaboração de táticas baseadas em seus erros e acertos.

O estudo, publicado na revista científica Nature, se foca nas técnicas de aprendizado que permitem computadores identificarem padrões em meio a dados. Embora o método não seja novo (é o mesmo que permitiu o computador Deep Blue vencer o campeão mundial Garry Kasparov em uma partida de Xadrez em 1997), a abordagem biológica é: tal como um cachorro em treinamento ou animais de laboratório, o computador recebia o equivalente a recompensas quando passava de nível ou atingia uma nova pontuação máxima, o que servia como condicionador de comportamento. Tal como um humano, a partir de erros e análise de padrões, o computador foi capaz de aprender técnicas e elaborar estratégias que aumentavam suas chances de vitória.

A IA foi capaz de aprender e vencer 49 jogos do Atari 2600, sendo que em 29 deles superou a performance de jogadores experientes.

A ideia do co-fundador da DeepMind e vice presidente de engenharia do Google, Demis Hassabis, é mostrar que IAs podem aprender tarefas complexas para atuarem no mundo real de forma efetiva. Ou seja, basicamente, videogames clássicos estão servindo de treinamento para IA, por serem mais próximos do caos do mundo real do que, digamos, Xadrez.

“Se [esse sistema] for capaz dirigir um carro em um jogo de corrida, então potencialmente, com alguns ajustes, ele poderia dirigir um carro real”, disse Hassabis. “Esse é o objetivo final”.

Neste vídeo, fica claro como a IA aprendeu a vencer Breakout, desenvolvendo novas estratégias ao longo do tempo até chegar à boa e velha tática do jogo: intencionalmente direcionar a “bola” para os blocos laterais, criando um buraco até o topo, fazendo com que ela se mantenha presa enquanto destrói a maior parte das peças, sem risco ao jogador.

  • Bruno Ornelas Guerra

    Skynet.

  • Arthur Rocha

    Terminator is coming!

  • eduardogrolli

    Eternity is comming!

    A vida eterna, não o telhado de zinco…

  • Luiz Augusto Pereira Rodrigues

    Isso gera uma boa dicuçao, só as maquinas nunca serao imprevisiveis como os humanos. Ou será que ñ? O-o

  • Vinicius Siviero

    Simplesmente impressionante. IA é sem dúvida uma das áreas mais complexas da programação e sabemos que vencer no pacman não é fácil 🙂