Battletoads. Fase 3. Turbo Tunnel. É possível que você tenha sentido calafrios. Considerado um dos momentos mais impiedosos da história dos videogames e responsável por muitos controles arremessados contra paredes, a fase que nos colocava em uma corrida alucinada em um túnel repleto de obstáculos em Battletoads foi recriada no jogo Back to the Turbo Tunnel, feito pelo estúdio paulistano Bogdog.

Homenagem ao clássico da Rare (e que, aparentemente, pode voltar em breve ao Xbox One, como indicam isso e isso), o jogo dos paulistanos é ainda mais perverso, uma vez que já começa na velocidade e dificuldade máxima, diferentemente de Battletoads, que ia incrementando a intensidade aos poucos. Back to the Turbo Tunnel tem até um charme próprio: embora os visuais seja basicamente uma recriação da nostálgica terceira fase do jogo original, as diferentes animações de morte do sapo que protagoniza o jogo tornam seu constante fracasso mais divertido.

No site oficial do jogo é possível acompanhar a quantidade total de mortes contabilizadas desde que o jogo foi lançado, em tempo real, além do placar de melhores pontos. Ele está disponível para download gratuito e sem propagandas no PC, iOS e Android.

Além de ter lançado recentemente o Back to the Turbo Tunnel, a Bogdog tem planos para desenvolver um jogo de sobrevivência inspirado na vida de mendigos na cidade grande, Hobohood.

back-to-the-turbo-tunnel-2

  • Luiz Augusto Pereira Rodrigues

    Moto? uuuu queee? Pra mim sempre foi um Jet Ski!

  • Vinicius Siviero

    Logo a fase que dá uma aula de péssimo level design…

    • crowsg

      Turbo Tunnel é uma ótima fase, sério, tenta jogar de novo, é bem mais fácil do que a gente costuma lembrar, tirando a última parte dá pra passar tudo no reflexo. É da sétima fase em diante que o jogo realmente ganha o direito de ser chamado de uns dos jogos mais difíceis de todo tempo.

      • Luiz Augusto Pereira Rodrigues

        Jogar sozinho realmente era facil. Mas tenta nao dar rage jogando em dupla.

        • crowsg

          Hehe, fico feliz tendo finalizado sozinho, ter que coordenar os movimentos com outra pesoa num jogo desses já é masoquismo.

          Sem falar que em uma das versões do jogo (acho que a dos EUA mesmo) tinha um bug que fazia com que o segundo jogador não conseguisse passar da Clinger Winger (11ª fase se não me engano) mas corrigiram quando trouxeram pra outras regiões.

      • Heitor De Paola

        Cacate, sério? Eu nunca sequer passei da fase “da motinho”, e mesmo assim só cheguei nela jogando sozinho. De dois era garantia que nos matarmos na fases de antes, vertical.

        • crowsg

          O resto do jogo é BEEEM mais difícil, mas também muito criativo, tem até uma fase de corrida! Você tem que chegar numas bombas antes que uns ratos suicidas explodam elas, o que necessita basicamente decorar a fase inteira. É um dos jogos do NES com maior variação de mecânicas que eu conheço.

          Fica a dica pra quem gostava só da primeira fase que era um beat ‘em up mais puro, tem um crossover de Battletoads e Double Dragon chamado “Battletoads and Double Dragon: The Ultimate Team” pra NES e SNES, a versão de NES é basicamente Battletoads só que mais focado em porrada. (apesar de ter fase de moto também, só que mais fácil)

        • Vinicius Siviero

          Dito isso só posso gritar: Shuffle! Shuffle! Shuffle!

        • marcosr.

          Pode ter sido por causa do bug do jogo(caso tenha jogado a versão americana) na parte final do turbo tunel, onde os muros vem sem aviso, o bug é que você sempre bate, só passa dessa fase pegando o warp zone

      • Vinicius Siviero

        Vou re-jogar (no emulador) para ver se supero esse trauma 🙂