Esses são os bonecos da Hora da Aventura que virão com o McLanche Feliz

Clique nas imagens acima para vê-las em tamanho completo

Okay, okay. Eu sei que o material primário de Hora da Aventura não são videogames e sim o desenho animado, o que faz com que falar sobre esses bonecos do McLanche Feliz seja um pouco desconexo em relação ao resto do site. Mas tecnicamente existem jogos da Hora da Aventura (por mais que não sejam bons), o que dá abertura para que haja algum sentido em postar sobre eles? A bem da verdade é que esses brinquedos nos foram enviados hoje e eu gosto de Adventure Time, então estou usando isso como desculpa para colocá-los de alguma forma no site (mas não se preocupe, não criaremos o hábito de escrever corriqueiramente sobre bonequinhos, até porque ninguém aqui manja ou vai muito atrás desse assunto).

Enfim, os bonecos de Hora da Aventura estão legais, mas não tanto quanto aqueles do Mario que foram distribuídos no ano passado. Finn está ótimo e a chavezinha nas costas dele, que faz com que seus braços girem, é divertida, assim como o Rei Gelado, que abre a fecha a boca de acordo com o movimento dos seus pés. Mas a Princesa Jujuba, por algum motivo, parece ser uma versão Lolita da personagem, como se fosse inspirada naquele arco do desenho em que, após ser atacada pelo Rei Lich, ela passa a ter 14 anos de idade por algum tempo. Ou talvez eu esteja vendo coisas, não sei.

A sanfona no meio de Jake é engraçada por conta das poses (no caso, a da foto foi criada pelo Henrique) e a Lady Íris, apesar de não ser minha favorita, tem personalidade. Porém, rapaz, Marceline não recebeu o melhor dos tratamentos. É até legal que ela toque guitarra, produzindo barulhinhos de verdade (e, não, não é a música sobre como o pai dela comeu suas fritas), mas ela é muito… oca? Não sei se é para que haja uma acústica melhor para os sons do instrumento, mas o bonequinho parece barato comparado aos outros.

E é isso. Esses brinquedos estarão disponíveis a partir do dia 6 de maio. E é válido lembrar que você não tem que pedir o McLanche Feliz para adquiri-los, você pode comprá-los separadamente.

Leia mais sobre A Hora da Aventura
– Fizeram um BMO, do Adventure Time, que funciona como um Super Nintendo portátil
– Criadores de Toren vencem game jam da Cartoon Network em RS

  • Paulo Macedo

    E lá se vai meu VR…

  • Diego Silva

    Que isso caras? Já detonaram o Finn!

    • riquesampaio

      Ele já veio sujinho rs

  • Marcelo Hagemann

    Eu vou dizer que só gostei do Finn, mas ao mesmo tempo estou olhando para eles mais como bonecos do que como brinquedos.

  • Júlio César S. Campos

    É hora de que?

    • Samuel Madeira

      de comprar bonequinhos e ter um ataque cardíaco no processo!

  • rodrigo

    Isso é o que pessoas como eu precisam para ser feliz…

  • OfudouMyou

    póta caráleo, será que vou comer na mcdonald’s? ew… alguém sabe quanto é com e sem o lanche? geralmente dá muita diferençca de valor comprar separadamente? pelo menos o finn e o jake vou TER de pegar… espero que não passe de 25/30 pratas cada.

    • Heitor De Paola

      Se eu me lembro direito dos bichos do Cut the Rope, custa algo como R$ 10

      • OfudouMyou

        opa, mió que comer aquele isopor, vlw!

  • OfudouMyou

    ei, ei, mais alguém notou o teixeira de fundo na primeira foto, encoberto pelas sombras, macabro e sinistríssimo? lol lol eu sempre desconfiei… ele tá voltando de algum assassinato cometido na rua.

  • Victor Hugo Machado

    E o BMO?????????? Que absurdo.

  • Mary Cavalcante

    É receber dinheiro e gastá-los no Mc. Faltou a princesa Caroço :/

  • OfudouMyou

    Heitor De Paola

    ei, ei, viram isso? tão entrando no MP contra as campanhas do McLanche feliz do Hora da Aventura:

    O Instituto Alana, ONG que atua em defesa da criança, encaminhou ao Ministério Público uma reclamação contra a rede de lanchonetes McDonald’s. A ONG afirma que é abusiva a nova campanha publicitária do McLanche Feliz, por se dirigir diretamente às crianças.

    A campanha associa a compra do lanche a seis bonecos dos personagens do desenho “Hora de Aventura”, exibido pelo Cartoon Network. A publicidade, segundo o instituto, contraria “a prioridade absoluta dos direitos das crianças” previstos em lei.

    Procurado pelo UOL, o McDonald’s afirmou que segue, voluntariamente, um código de ética próprio para a publicidade de alimentos, que, segundo a empresa, é ainda mais rigoroso do que a legislação brasileira (leia a íntegra do posicionamento abaixo).

    “O McLanche Feliz é comercializado com brinquedos que representam seres do imaginário infantil, o que contribui para atrair as crianças ao consumo e com isso aumentar a venda do produto”, afirma a ONG.

    “A ação é claramente configurada como publicidade abusiva, pois tem como objetivo seduzir crianças ao consumo de um produto”, diz Ekaterine Karageorgiadis, advogada do Instituto Alana.

    Campanha com crianças nas redes sociais

    O instituto afirma, ainda, que o McDonald’s entrou em contato com crianças que publicam vídeos no Youtube sobre diversos assuntos infantis e são visualizados por milhares de crianças em todo Brasil, os chamados youtubers mirins.

    Segundo a ONG, a rede de fast food enviou a essas crianças uma carta sobre a nova promoção do McLanche Feliz e os produtos para que divulgassem aos seus espectadores infantis antes do lançamento oficial.

    “Chama especial atenção a divulgação dos brinquedos feita em redes sociais por crianças que são presenteadas pela empresa, com o objetivo de que sejam seus promotores de vendas”, afirma.

    A reclamação foi enviada por meio do projeto Criança e Consumo da ONG para a Promotoria de Justiça de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos da Infância e Juventude da Capital, do Ministério Público de São Paulo.

    Leia a íntegra da resposta do McDonald’s

    “O Instituto vem questionando há muitos anos, através de diversas demandas, a publicidade e forma de comercialização do McLanche Feliz. No entanto, tivemos diversas decisões, inclusive no Conar (Conselho Nacional Auto Regulamentação Publicitária), favoráveis à legalidade da publicidade. Isso é resultado, além de todo o cuidado e observância às normas, de uma rígida política institucional em relação às opções que a empresa oferece a seus clientes. Por exemplo, seguimos, voluntariamente desde 2007, um compromisso e código de ética próprios em comunicação publicitária de alimentos. Essa auto-regulamentação interna é ainda mais severa que as normas que regem a publicidade brasileira. Por acreditar nesse compromisso, a companhia não envia materiais de divulgação para crianças. A empresa, que até o momento não recebeu qualquer notificação, ainda acrescenta:

    Em agosto de 2009, empresa assinou o compromisso público de publicidade responsável de alimentos e bebidas para crianças da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (ABIA) e da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA), firmado por mais de 20 empresas do setor de alimentos e bebidas.

    A empresa oferece todas as informações nutricionais e opções para que os pais possam decidir como alimentar seus filhos.

    As surpresas que acompanham o McLanche Feliz são produzidas sob o mais rígido critério de segurança e contam com a obrigatória certificação do Inmetro.

    A empresa garante que os brinquedos podem ser adquiridos separadamente do McLanche feliz e independentemente de qualquer outro consumo.”

    fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/05/07/ong-encaminha-ao-ministerio-publico-reclamacao-contra-o-mclanche-feliz.htm