Desde a saída de Hideo Kojima e o cancelamento de Silent Hills, a Konami tem sido crucificada pela comunidade de games. Seu excelente rendimento em seu último ano, contudo, contraria sua baixa reputação entre os jogadores e sua presença cada vez menor nos consoles – até porque seu maior sucesso tem sido um jogo mobile, lançado apenas no Japão.

Com mais de oito milhões de downloads em apenas quatro meses desde seu lançamento, o título de baseball Jikkyou Pawafuru Puroyakyu foi um dos grandes responsáveis pelo crescimento de 147% no lucro líquido, passando de 3,8 bilhões de ienes (US$ 31,7 milhões) do ano passado para 9,5 bilhões (US$ 79,1 milhões) do ano fiscal que terminou em 31 de março de 2015.

Ao contrário do que se imaginava, com isto, a divisão de games da Konami se mantém como a mais lucrativa da corporação, com rendimentos maiores que seus segmentos de lazer (máquinas de pachinko e arcades) e saúde (academias).

O relatório não faz nenhuma menção à saída de Hideo Kojima do estúdio, do cancelamento de Silent Hills ou de sua retirada da bolsa de valores de Nova York.

Como se isso já não tornasse a Konami, um dos maiores nomes dos videogames nas décadas de 80 e 90, quase irreconhecível, o novo presidente da companhia Hideki Hayakawa afirmou, em uma recente entrevista para o jornal Nikkei Trendy, que a plataforma “mobile é onde o futuro dos videogames se encontra” e que irá direcionar suas ações para ela. “Jogos se multiplicaram para um grande número de plataformas, mas ao final do dia, a plataforma que sempre está mais próxima de nós é o mobile.

Hayakawa adiciona ainda que a companhia estuda maneiras de levar franquias como Metal Gear Solid e Winning Eleven para smartphones e tablets.

“Com jogos multiplataforma, não faz mais sentido dividir o mercado em diferentes categorias. [Dispositivos] Mobile serão responsáveis por ligar o público geral ao mundo dos games.”