Desde a saída de Hideo Kojima e o cancelamento de Silent Hills, a Konami tem sido crucificada pela comunidade de games. Seu excelente rendimento em seu último ano, contudo, contraria sua baixa reputação entre os jogadores e sua presença cada vez menor nos consoles – até porque seu maior sucesso tem sido um jogo mobile, lançado apenas no Japão.

Com mais de oito milhões de downloads em apenas quatro meses desde seu lançamento, o título de baseball Jikkyou Pawafuru Puroyakyu foi um dos grandes responsáveis pelo crescimento de 147% no lucro líquido, passando de 3,8 bilhões de ienes (US$ 31,7 milhões) do ano passado para 9,5 bilhões (US$ 79,1 milhões) do ano fiscal que terminou em 31 de março de 2015.

Ao contrário do que se imaginava, com isto, a divisão de games da Konami se mantém como a mais lucrativa da corporação, com rendimentos maiores que seus segmentos de lazer (máquinas de pachinko e arcades) e saúde (academias).

O relatório não faz nenhuma menção à saída de Hideo Kojima do estúdio, do cancelamento de Silent Hills ou de sua retirada da bolsa de valores de Nova York.

Como se isso já não tornasse a Konami, um dos maiores nomes dos videogames nas décadas de 80 e 90, quase irreconhecível, o novo presidente da companhia Hideki Hayakawa afirmou, em uma recente entrevista para o jornal Nikkei Trendy, que a plataforma “mobile é onde o futuro dos videogames se encontra” e que irá direcionar suas ações para ela. “Jogos se multiplicaram para um grande número de plataformas, mas ao final do dia, a plataforma que sempre está mais próxima de nós é o mobile.

Hayakawa adiciona ainda que a companhia estuda maneiras de levar franquias como Metal Gear Solid e Winning Eleven para smartphones e tablets.

“Com jogos multiplataforma, não faz mais sentido dividir o mercado em diferentes categorias. [Dispositivos] Mobile serão responsáveis por ligar o público geral ao mundo dos games.”

  • André Luz

    acho que da pra imaginar onde foi o problema com o kojima, acho difícil ele ter concordado ou mesmo querer uma versão de mgs em Smartphones e tablets. Boa Sorte para a konami e espero que façam jogos decentes para mobile

    • Cesar Vital Crivelaro

      Realmente. Por essa estratégia, o Kojima era um verdadeiro problema para a empresa. Vamos acompanhar os próximos passos dele!

      • rodrigo

        Já pensou ” E ai Kojima, depois vamos fazer duas versões de MG, uma para mobile e outra para consoles/pc beleza?” ele deve ter virado e dito Impossibru

  • Lucas de Lima

    Eu não gosto muito de jogos para celular. Não pela qualidade dos jogos , mas por que depois de um tempo usando os controles de toque as pontas dos meus dedos começam a doer.
    Se antes as pessoas reclamavam de LER quero ver daqui a alguns anos. Por isso que gosto dos controles e teclado e mouse, ao longo dos anos eles melhoraram muito em ergonomia.

    • rodrigo

      telas touch não são ainda tão precisas para múltiplos toque, quando você precisa de diversos comandos em um game… então preferi comprar um joystick para isso.

      • Lucas de Lima

        Nem me diga, tentei emular super mario world no cel uma vez e me senti um bosta! Agora se e uma empresa grande um dia lançar um jogo a la pokemon que não seja free to play, putz, sucesso na hora.

  • rodrigo

    MG mobile? Não cara, faz isso não,

  • Jorge Adriano

    Cara, a Konami não precisa justificar o fato dela não está se saindo bem nos consoles dizendo que o futuro tá no mobile. Até agora não vi um titulo mobile (que não tenha sido port de algum jogo existente) que tivesse a mesma qualidade de jogos para consoles. Quando Hideki Hayakama disse que o futuro tá no Mobile me lembrei da empresa responsável pelo reboot do Devil May Cry que disse a mesma coisa, jusificando seu fracasso. No mais eu só tenho uma coisa pra dizer a Konami: Boa sorte.

  • Vitor Calfa

    Ouço o tempo todo sobre o mobile ser o futuro, que todo mundo está migrando para o mobile, que mobile é isso e aquilo, mas penso, se todo mundo for pro mobile, não teremos uma bolha? Muita oferta para pouco demanda?

    • Thiago Nunes

      A verdade é que todo mundo praticamente JÁ FOI pro mobile e toda semana tem pequenas bolhas sendo criadas e estouradas nesse mercado. Só ver a biblioteca de jogos pra Android e iOS.