Wattam, o novo jogo do criador de Katamari Damacy, é uma maluquice adorável

Wattam, novo jogo de Keita Takahashi, criador de Katamari Damacy, em parceria com Robin Hunicke, produtora de Journey, ganhou detalhes e um novo trailer. Em um post no PlayStation Blog, Hunicke explica como funcionam as mecânicas do jogo, que até então só havia sido mostrado em um pequeno evento fechado em Los Angeles há algumas semanas.

No jogo somos um simpático cubo verde, prefeito de uma cidade cujos habitantes se espalharam pelo universo após uma grande explosão. Para atraí-los de volta, é preciso convocar o povo de Wattam que restou, formando correntes, empilhando-os ou segurando-os pelas mãos, para então retirar a bomba que existe debaixo de sua cartola e mandar tudo pelos ares, em uma espalhafatosa explosão. Ou seja, a mesma causa que separou o povo de Wattam também é a solução para uni-lo novamente.

Para atrair a atenção de outros personagens, porém, é preciso realizar certas ações. No trailer apresentado pela Funomena, empresa co-fundada por Hunicke após sua passagem pela Tiny Speck (onde trabalhou em Glitch com Takahashi), vemos que é preciso comer um personagem maçã e digeri-lo para que ele vire um cocôzinho, capaz de despertar a atenção de uma privada, assim, criando uma interação entre eles. Quanto mais personagens você tiver em seu grupo, maior será sua explosão, que resultará na abertura de novos mundos, com ainda mais coisas a serem descobertas.

Veja também:
– Perguntei a 16 desenvolvedores de jogos quais são seus livros favoritos
– [31 Gaems] We Love Katamari – mas eu amo um pouquinho mais que você

Definitivamente há um quê de Noby Noby Boy em Wattam: todos os personagens são adoráveis letras e objetos antropomorfizados, com nomes próprios, e muito do prazer que o jogo parece despertar está na descoberta de como interagir com eles, uma vez que cada personagem traz sua própria gama de ações e comportamentos.

Wattam será lançado exclusivamente ao PlayStation 4 no início de 2016.

 

  • Manoel Ricardo

    me parece que ele encontrou um meio termo do conceito de brinquedo explorado em noby noby boy e do conceito de jogo explorado em katamari. eu gostei! pena que não tenho um PS4 😛

  • OfudouMyou

    faz um shuffle pra gente sacar direitinho…