Criado por brasileira, Pixel Ripped 1989 ganha campanha de financiamento no Kickstarter

O jogo de realidade virtual da maranhense Ana Ribeiro tem chamado atenção pela sua originalidade. Em Pixel Ripped 1989 (antes conheceido como Pixel Rift), somos a garota Nicola que, como qualquer criança, tem dificuldade de prestar atenção nas aulas mais enfadonhas de sua escola.

Sua arma contra o tédio é um console portátil Gear Girl, o qual ela deve jogar enquanto sua professora não está atenta às badernas da classe. Além do jogo dentro do jogo, há inúmeras maneiras de interagir com as pessoas presentes na sala de aula, o que geralmente envolve atirar bolinhas de papel contra os outros e fazer com que a imaginação de Nicola tome conta de sua realidade.

Ribeiro e Stef Keegan, as principais desenvolvedoras de Pixel Ripped 1989, buscam alcançar no Kickstarter a meta de £40 mil (aproximadamente R$ 200 mil) para financiar a última etapa de desenvolvimento do jogo. A campanha dura até o dia 14 de agosto e até o momento de publicação desta nota pouco mais de £7 mil foram arrecadados.

Se a campanha for bem sucedida, a dupla espera trabalhar em novos jogos planejados para a série Pixel Ripped, cada qual simulando uma era diferente da história dos consoles, sempre inserindo-os em simulações de realidade virtual.

  • rodrigo

    tomara que tenha fmv

  • Puruluchu

    O Alex Navarro mencionou esse jogo em um Beastcast. Pareceu interessante.

  • Mauricio

    Que sensacional cara 😀