Você se lembra quando Monstros S.A. chegou aos cinemas, em 2001, e todos ficamos espantados com o realismo dos movimentos da pelugem do monstro Sulley? Na época, era inimaginável um processador que fosse capaz de calcular e renderizar em tempo real o comportamento físico de cada um dos milhares de pelos indivuais do personagem. Quase 15 anos depois, finalmente estamos vendo essa tecnologia sendo aplicada de forma satisfatória em jogos.

A pessoa responsável pelo canal CryZENx, no YouTube, publica com frequência vídeos de mods e demos técnicas para demonstrar o potencial gráfico de certas tecnologias ou mesmo trechos de jogos antigos recriados com gráficos atuais.

As últimas criações utilizando a Unreal Engine 4 do canal foram protagonizadas por Mario, obviamente sem autorização da Nintendo. Em uma delas temos uma versão fofa do personagem, inteiramente coberta por pelos lisos, que balançam realisticamente, bem como os de Sully, utilizando a tecnologia HairWorks da Nvidia (presente em jogos como Tomb Raider e The Witcher 3). Em outro vídeo, Mario pode ser controlado em um ambiente repleto de objetos físicos e líquidos, que se comportam com um impressionante grau de realismo. Ambos podem ser baixados e testados gratuitamente. Veja ambos a seguir.

Teste de pelos e cabelo:

Teste de objetos e líquidos:

É curiosa essa presença constante de Mario em demos técnicas recentes e reconstruções em alta definição de seus jogos. Recentemente, um outro desenvolvedor inseriu Mario em cenários realistas também construídos com a Unreal Engine 4, gerando um constraste bizarro entre o estilo cartoon do personagem com os ambientes (veja abaixo). Há alguns meses, a Nintendo impediu um outro desenvolvedor de tocar um projeto no qual ele reconstruía Mario 64 em alta definição.

Esse fenômeno provavelmente é resultado das facilidades de acesso a ferramentas como a Unreal Engine 4, permitindo que desenvolvedores brinquem com seus recursos. E a escolha por Mario parece óbvia, dado o status de ícone do personagem. Qualquer coisa minimamente bem feita com sua presença (oficial ou não) possui automaticamente um potencial muito maior de alcance, o que parece ser o caso das criações destes desenvolvedores.

  • Alex Palomino

    Spoiler:

    *Insira um debate sobre arquétipos, estratagema ultrapassado do copyright e um monte de fanboysismo*