A Nintendo afirmou na noite deste domingo (12) que o presidente da empresa, Satoru Iwata, morreu no último sábado (11) aos 55 anos de idade.

A informação foi dada em uma carta, publicada em seu site oficial, indicando que a causa do falecimento foi um câncer em seu canal biliar.

Iwata vinha lutando contra um tumor. Em julho de 2014, realizou uma cirurgia, que o deixou afastado de seu cargo por seis meses, impedindo-o de participar da E3 do mesmo ano.

A Nintendo ainda não informou quem ocupará a vaga de Iwata, mas reforçou que Genyo Takeda e Shigeru Miyamoto permanecem na empresa como diretores representativos.

De programador à presidente

Satoru Iwata começou a sua carreira na indústria dos videogames ainda jovem, trabalhando como programador para a HAL Laboratory Inc., uma subsidiária da Nintendo, enquanto ainda cursava ciências da computação no Instituto de Tecnologia de Tóquio.

Em 1983, Iwata se tornou o coordernador de produção de software da HAL, ajudando na criação de títulos como EarthBound, a série Kirby e Balloon Fight. Dez anos depois, em 1993, ele chegou à presidência da HAL.

Em 2000 ele foi indicado como diretor da Nintendo, cuidando da parte de planejamento da empresa, para em 2002 substituir o antigo presidente da empresa Hiroshi Yamauchi. Em 2013 Iwata assumiu o cargo de CEO da Nintendo of America. Apesar do cargo executivo, o presidente da Nintendo era também uma das maiores personalidades dentro da empresa, frequentemente falando diretamente ao público através do Nintendo Direct.

Leia a carta escrita por Iwata em 2014 aos acionistas da Nintendo, na qual ele anunciava a descoberta do câncer e a necessidade de afastamento temporário:

“Muito obrigado pelo seu extraordinário e contínuo apoio. Eu sou Satoru Iwata, o presidente da empresa.

Hoje, há uma coisa que eu gostaria de compartilhar com você. Recentemente, como resultado de um dos meus exames físicos de rotina, um problema foi detectado. Após um exame mais detalhado, foi encontrado um crescimento nas minhas vias biliares.

Geralmente, é dito que um crescimento nas vias biliares pode ser difícil de ser tratado, devido à dificuldade de detectá-lo precocemente. No meu caso, felizmente, foi detectado muito cedo e eu não apresentava sintomas.

Fui aconselhado que a remoção em fase inicial seria a opção médica mais desejável. Por isso, eu fiz uma cirurgia na semana passada e estou bem, como o previsto. Eu já retomei meu serviço por e-mail e outros meios, mas antecipo que será preciso um pouco mais de tempo para voltar ao meu horário de trabalho regular.

Como resultado, não tenho escolha a não ser me ausentar da importante atividade da empresa, a Assembleia Ordinária Geral de Acionistas, que será realizada neste mês. Como presidente da empresa, lamento não poder participar da reunião.

No entanto, compreendo que tenho que priorizar o meu tratamento médico para me recuperar o mais rápido possível para que eu possa voltar a fazer o meu melhor para ajudar a empresa a crescer. Espero que você entenda.”