Pesquisadores transformaram um NES em um incrível party game coletivo

Bob Summer, pesquisador da Disney e fundador do Centro de Tecnologia para Games no Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (o ETH, onde estudou Albert Einstein), criou o primeiro NES coletivo para oito jogadores. Mas como isso sequer é possível, se os jogos do console malemal dão para dois jogadores? É aí que entra o brilhantismo deste experimento social.

O projeto utiliza um hardware DIY para integrar os oito controles na mesma partida e um software desenvolvido para transformar o cenário de jogos de plataforma, como Super Mario Bros., em um contínuo panorama, projetado por oito projetores nas paredes em um ambiente fechado.

Unfolding the 8-Bit Era

Cada jogador possui apenas alguns segundos de controle ou fica responsável por um trecho da superfície na qual o jogo será projetado. Passado este momento, seu gamepad é temporariamente desativado e a agência dentro do jogo é passada para o próximo jogador do círculo, em uma espécie de mistura entre WarioWare e batata-quente.

Conforme o personagem se desloca para a direita, o cenário vai sendo construído e projetado em tempo real nas paredes do ambiente, fazendo tanto quem joga quanto quem assiste se mover para acompanhar a ação.

A festa, na qual o experimento foi testado, aconteceu durante a Eurographics 2015, uma conferência realizada em Zurique, em maio de 2015. “Embora jogos 8-bit possuem um dramático impacto cultural coletivo, a experiência real de jogá-los é uma amplamente individual”, diz o artigo acadêmico, intitulado Unfolding the 8-Bit Era (Desdobrando a Era 8-Bit, em uma tradução livre).

Unfolding the 8-Bit Era

“Testamos nosso sistema em um evento ao vivo, com mais de 400 pessoas, e observamos um forte engajamento. No decorrer da noite, as pessoas jogaram o sistema, ativamente cooperando umas com as outras para avançar no jogo. Nós observamos uma gama de dinâmicas sociais, com estranhos conversando e rindo uns com os outros, alertando uns aos outros a se prepararem quando o controle era passado para o próximo jogador e chamando outros participantes para juntarem-se quando um gamepad era liberado.”

O conceito ainda foi transportado para um ambiente virtual, com o uso do Oculus Rift. Neste caso, o jogador vê o cenário sendo desdobrado ao seu redor, em paredes virtuais.

Veja a fascinante instalação e torça para um dia ela chegar ao Brasil:

  • rodrigo

    nunca em uma casa perto de você