Neste final de semana foi apresentado na PlayStation Experience o primeiro e belo trailer de gameplay de Final Fantasy VII. Um detalhe curioso anunciado pela Square Enix, que passou batido no evento, é que o jogo será dividido em partes, “com cada parte oferecendo sua própria experiência única.”

A companhia ainda não esclareceu o que isso significa exatamente. Uma possibilidade é que o jogo seja dividido tal qual Final Fantasy XIII, que recebeu três jogos fechados e independentes entre 2010 e 2014. Ou, talvez, siga a linha de Resident Evil Revelations 2, “fatiado” em cinco episódios, lançados com um intervalo entre cada.

Em entrevista à revista Famitsu, o diretor Tetsuya Nomura explicou a razão para dividir o remake em partes. “Se fôssemos tentar enfiar tudo em uma única parte, teríamos que cortar várias coisas e criar uma versão condensada de Final Fantasy VII. Mas não há por que fazer isso”, disse Nomura. “Por exemplo, jogadores vão poder explorar diferentes áreas de Midgar que não estavam no jogo original — se vamos refazer esse mundo, queremos adicionar áreas e detalhá-los com muito detalhes”.

“É claro que, talvez, algumas partes do original sejam cortadas por diversas razões, mas com toda a nova representação que estamos adicionando no game e o nível de detalhe que estamos incorporando, a quantidade geral de conteúdo vai aumentar. Tenho certeza que todos estão ansiosos sobre nossa agenda e queremos que todos joguem o mais rápido possível, também. Essa é outra razão pela qual estamos tomando essa decisão”.

Final Fantasy VII Remake, em desenvolvimento para PlayStation 4, ainda não possui previsão de lançamento. A versão original, contudo, foi disponibilizada na PSN para o PlayStation 4, e está com 30% de promoção (na loja americana) até dia 13 de dezembro.

  • André Luz

    Eu acho que pode ser bem legal, se for bem feito e tals, eu to realmente empolgado com tudo o que vi e ansioso para jogar ^^

  • guilherme oliveira

    Tem muita gente criticando mas na real, eu não me importo com o formato episódico, não é como se eu fosse tomar spoilers na cara por não acompanhar no lançamento. Só devo mesmo jogar depois que o jogo for inteiramente lançado, e ainda assim se for lançado no PC.

  • Silvio Luiz de Carvalho Filho

    Acho uma merda!

  • Anderson Cardoso

    O meu cacete viu uma hora me surpreendo outa já fico puto…cancelando a pré-venda em 3..2….1!

  • Vitor Calfa

    E se eles dividirem o jogo igual ao formato dos CDs do PS1? Digo, primeira parte vai de Midgar até a morte da Aeris, segunda parte vai da cidade dos Cetra até a batalha contra o weapon em Midgar e a terceira parte vai da batalha contra o Hojo até o confronto final na terra prometida. Não ficaria muito diferente do que foi no original. o_o

  • Niten Dōraku

    Na moral, não boto fé nisso. Além de ser um remake, algo que considero uma sacanagem, os caras sabem o poder que a nostalgia exerce nas pessoas e, portanto, a Square Enix fará de tudo para arrancar o máximo possível de dinheiro de nós.

    Não caio mais nessa, aliás, ninguém deveria cair nessa. Não faz sentido ter um console caro, com um poder de processamento maravilhoso e ficar jogando jogos antigos, com uma ou duas melhoras. Quero jogos novos, novas ideias, novas mecânicas.

    • Marcelino Pinheiro

      Bem, eles podem dividir em partes mas cobrar apenas um jogo… como em Resident Evil Revelations 2…

      • Niten Dōraku

        Sabe, o grande problema é o tempo (perdido). Independente de ser dividido ou não, o tempo gasto produzindo o REMAKE e o tempo que, supostamente, perderemos re-jogando, de forma alguma, não será recuperado.

        Por isso que defendo que as empresas foquem o seu trabalho no desenvolvimento de jogos novos.

        Novamente, temos um console novo com uma grande capacidade de processamento e, no lugar de estarmos esperançosos com um novo jogo, as pessoas falam e discutem sobre um jogo antigo que será relançado com algumas melhorias, NÃO! Não é por isso que comprei um console novo, as pessoas deveriam querer algo compatível com o seu console.

        Vejo isso tudo como um grande passo para trás, pois as desenvolvedoras não querem arriscar em um jogo novo, preferem refazer algo que já deu dinheiro antes e nós, os consumidores, dizemos: Tudo bem.

        O jogo é bom, mas não, definitivamente, não.

  • El Luchador > REBORN <

    Só espero que não exista barreiras de cenário de acordo com cada capítulo.
    Ou seja, seu eu quiser voltar para Gold Saucer um pouco antes de matar o Sephiroth, posso?

    • El Luchador > REBORN <

      Fora isso, tá bonito.