Qasir al-Wasat, jogo brasileiro com inspiração persa, chega ao Steam

Qasir al-Wasat é uma pérola do desenvolvimento de games brasileiro. Lançado originalmente em 2012, o jogo da equipe curitibana Aduge não se tornou exatamente um sucesso comercial, apesar de suas qualidades únicas e aclamação — eu mesmo, na época, o considerei um expoente dos jogos brasileiros. Agora, pouco mais de três anos depois, membros da equipe original, sob uma nova empresa, a Zueira Digital, estão trazendo-o de volta em uma versão aprimorada, para o Steam, intitulada Qasir al-Wasat: International Edition.

Qasir al-WasatEm Qasir al-Wasat assumimos o controle de uma criatura frágil de pelagem branca, meio lince, meio rato, meio ganso, que é invocada por um feiticeiro para assassinar terês indivíduos em um palácio na Síria do século XII.

Ao ser transportada de um plano paralelo, porém, a criatura se torna invisível, o que a permite passar despercebida entre os guardas que monitoram o local. Passar sobre poças d’água ou fazer barulho, porém, denuncia a posição da criatura aos inimigos, que são capazes de matá-la em um único golpe. Assim, é preciso manter a discrição, investigando o palácio e descobrindo seus segredos evitando ao máximo atrair a atenção para si.

Além de sua trama elaborada, que se ramifica em diferentes finais, dependendo de suas ações, a arte de Qasir, inspirada por pinturas persas medievais, se destaca pelo seu grau de detalhes e pela profunda pesquisa histórica. Outro elemento impactante é seu design de som, baseado em uma técnica conhecida como “mickey mousing”, em que o som tenta imitar os movimentos e ações na tela, formando uma paisagem sonora procedural com instrumentos orientais.

Qasir al-Wasat chega ao Steam nesta terça-feira (19). Veja o novo trailer e acesse o site oficial, onde os desenvolvedores contam detalhes da produção e da pesquisa histórica por trás do título.

  • Guilherme Gondin

    “para assassinar terês indivíduos” tem um pequeno erro nessa parte, acho que deveria ser “três indivíduos”