A maior feira de games do mundo está, novamente, passando por um momento peculiar. A Activision anunciou nesta terça-feira (01) que não terá um estande próprio na E3 2016, que acontece entre os dias 14 e 16 de junho em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Em um post no seu blog oficial, a empresa afirma que mostrará o novo jogo da Infinity Ward (sim, mais um Call of Duty) dentro do estande da Sony, mas que não terá um espaço próprio.

Não é a primeira vez que a Activision decide não ter um booth próprio dentro da E3: em 2010 a empresa preferiu fazer um show gigantesco com Eminem, Usher e Jane’s Addiction no Staples Center (estádio que fica ao lado do Convention Center, onde acontece a E3) do que ter de pagar pelo metro quadrado do evento.

A Activision é a segunda empresa a se afastar do evento físico da E3 este ano. A Electronic Arts já anunciou que também não estará dentro do Convention Center, mas fará seu próprio evento em Los Angeles durante o mesmo período da E3 chamado EA Play.

O questionamento das empresas sobre gastar ou não tanto dinheiro para ter um espaço no showfloor da E3 é um muito válido. Um dos principais motivos parece ser que as empresas não precisam estar no evento em si para participar do movimento descomunal de cobertura que cerca os videogames na época. A Nintendo mesmo já desistiu de seus eventos presenciais pré-E3 e prefere falar diretamente com seu público utilizando transmissões ao vivo em seu canal do YouTube.

De qualquer maneira, mesmo com estas grandes empresas readequando suas prioridades na E3, isso não significa necessariamente que a feira está perdendo sua importância. Mas é interessante a ESA (Entertainment Software Association, que é quem cuida da E3) olhar com cuidado estes movimentos, pois se eles se mostrarem mais atraentes do que empresas pagando para estar dentro do evento, é possível que mais empresas comecem a redirecionar seu dinheiro para outras ações.