A especialista em marketing de produtos da Nintendo, Alison Rapp, foi demitida nesta quarta-feira (30) após ser alvo de uma campanha machista intensa que durou meses, entretanto a empresa nega que a ação tenha sido responsável pela demissão.

Para Rapp, o que levou ao seu desligamento foi uma campanha de meses liderada por machistas e até um site pró-supremacia branca (The Daily Stormer). A funcionária afirma que começou a ser atacada após a Nintendo aumentar seu cuidado com conteúdo sexualizado em seus jogos, o que fez com que pessoas encontrassem nela o seu bode-expiatório.

"Hoje a decisão foi tomada: não sou mais uma boa e segura representante da Nintendo e fui demitida."

“Hoje a decisão foi tomada: não sou mais uma boa e segura representante da Nintendo e fui demitida.”

A ação coordenada contra Rapp atingiu seu ápice quando a Nintendo anunciou que uma mecânica de “fazer carinho” em personagens de Fire Emblem Fates fosse retirada da versão ocidental do jogo. Isso fez com que os perseguidores achassem que a culpa era de Rapp (sendo que nem era esse o trabalho dela) e voltassem a ataca-la com mais força do que nunca.

Nos meses seguintes foi desenterrado um artigo acadêmico de anos atrás da funcionária no qual ela defendia que os valores culturais do Japão deveriam ser protegidos, incluindo uma argumentação meio obtusa de que a sexualização dos adolescentes japoneses estava encravada na cultura nipônica. Isso fez com que a ação contra Rapp centralizasse seus esforços em acusá-la de ser pró-pedofilia, enviando e-mails disfarçados de “pais preocupados” para executivos da Nintendo:

Site pró-supremacia branca divulga contatos de executivos da Nintendo para seus leitores forçarem Rapp para fora da empresa

Site pró-supremacia branca divulga contatos de executivos da Nintendo para seus leitores forçarem Rapp para fora da empresa

A Nintendo divulgou uma nota oficial sobre o caso:

“Alison Rapp foi demitida devido a uma violação de uma política interna da companhia que a proibia de ter um segundo emprego enquanto trabalhava para a Nintendo. Apesar da demissão da Srta. Rapp acontecer após críticas realizadas por certos grupos nas mídias sociais várias semanas atrás, os dois fatos não estão relacionados de maneira alguma. A Nintendo é uma empresa comprometida com a promoção da inclusão e diversidade, tanto dentro de nossa empresa quanto da indústria videogames e nós rejeitamos com firmeza o assédio dos indivíduos com base em sexo, raça ou crenças pessoais. Desejamos à Srta. Rapp sorte em seus empreendimentos futuros.”

Após a nota, Rapp foi ao Twitter dar o seu lado dos detalhes por trás de sua demissão:

Alison Rapp

“Para pagar empréstimos estudantis (weee), eu comecei a fazer ‘trabalhos por fora’ com um outro nome e sem nenhuma identificação. Um anônimo descobriu e contou à Nintendo e aqui estamos nós. Foi desse segundo trabalho que a Nintendo não gostou, mesmo sendo algo que eu fazia anonimamente. Mas olha só: vocês realmente acham que sem os ataques do GamerGate, o ‘movimento paralelo’ e a procura obsessiva por coisas privadas teriam acontecido? Vocês acham que se a indústria não tivesse medo mulheres, ‘sex-positivity’, etc. o meu segundo emprego teria sido um problema?”. A funcionária continua por mais outros tweets apontando o quanto a indústria de games sofre com esse ataque incessante contra mulheres e como esse movimento é mais proeminente especificamente nos games.

Mesmo que a Nintendo esteja no direito dela de demitir uma funcionária que quebrou um contrato, é realmente triste ver o quanto Rapp e milhares de outras mulheres sofrem de perseguição em nosso meio apenas por serem mulheres e até onde estas pessoas estão dispostas a ir apenas para denegrir a imagem delas.

  • Comunidade gamer consegue ser espantosamente machista, racista e homofóbica, olha… não sei sequer se no mundo dos esportes, do futebol, chega a esse nível de bizarrice. O que mais me preocupar é o fato do “gamer” não ser uma pessoa sem acesso a informação, mas se formar ignorante por conta de toda uma educação e distorção social, além do fetiche de opressor dentro de uma comunidade. É incrível que nos meus meios sociais eu não tenho de lidar com pessoas assim (trabalho com arte, design e meu meio é extremamente aberto e variado) e justamente dentro do meu HOBBIE eu acho essa podridão humana.

    Pelo menos temos um pouco de fé com comunidades como do Overloadr…

    • Algures Cara de Mais

      Bom voiage

  • Tinha escrito um textão mas acho que fica desnecessário depois de tudo que vocês falaram. Acho que ela errou em ter um segundo emprego, porém é bizarro o quanto a Nintendo não se preocupou de onde veio a informação que levou a demissão dela.

    • rodrigo

      mas deve ter checado a fonte , ela usou de má fé, coisa que também não é legal..

  • Marcelo Hagemann

    Parece quase óbvio que a Nintendo não iria demiti-la só por causa de trabalhos por fora, ainda mais se esses não tiveram nenhum vínculo empregatício. O que me leva a questionar se o contrato realmente foi quebrado pelo lado dela.

    Mas enfim, ela sendo perseguida da forma que estava, era só uma questão de encontrar uma desculpa para demiti-la.

    • PauloHDSousa

      E ela deu a desculpa quebrando o contrato.

  • kievrobb

    “acusá-la de ser pró-pedofilia”
    Engraçado omitir o detalhe que ela confessou várias vezes no próprio twitter dela que é a favor de pornografia infantil e sexo com menores.

    • Manoel Ricardo

      sim, inclusive ela tem um artigo publicado a favor de cancelar as leis que proíbem pornografia infantil. não tem nada a ver com fato dela ser mulher kkkk

  • Allan Samsa

    É realmente triste ver esse tipo de atitude de ambas as partes (Nintendo e os escrotos perseguidores). Nintendo perdeu uma ótima chance de se posicionar fortemente contra essa opressão num mercado em que cada vez mais mulheres chegam junto. Falta de visão e de caráter da marca. Melhore.

    • rodrigo

      mas é a quebra de contrato?

    • PauloHDSousa

      E quer que a Nintendo faça o que? um poste falando que a mulher é tão capaz quanto o homem? Acha que os haters ligam para isso? São só pessoas de cabeças vazias que acham que mulheres não podem estar nos joguinhos… a Nintendo fez o certo, ignorar… e só demitiu porque ela errou

    • Allan Samsa

      É muito ingenuidade achar que a Nintendo demitiu ela somente pela “quebra de contrato”. Ela usou uma identidade anônima e explicou. E toda vez que você simplesmente ignora, você na verdade, está dando margem para que isso continue. Se a Nintendo, mesmo que pelo marketing, se posiciona contra e, no ato de coragem e de visão, abre o debate sobre isso no próprio ramo dela (games) sobre o tema, ela iria ganhar pontos com muita gente e não só com as mulheres. Trabalho com marketing e na moral, ninguém tá mais interessado em empresas de produtos, as pessoas querem valores, caráter de marca e a Nintendo mostrou um caráter duvidoso nessa decisão. Ruim pra eles, ruim pras mulheres, ruim pra todos, menos pro machistas e pros que acham melhor simplesmente ignorar.

      • PauloHDSousa

        Cara, a Nintendo não ligou dela ser a favor de pedofilia, porque ligaria para Hater de criança catarrenta na internet?

        Para de querer achar que ela foi demitida por que é mulher, SE FOSSE ASSIM NÃO CONTRATARIA para começo de conversa.

        Não é mesmo?

        • Allan Samsa

          O que você chama de “hater de criança catarrenta” é responsável por grande parte do capital da Nintendo. E sim, eles tem meios de sondar de onde vem as reclamações e saber se é relevante para o LUCRO deles. O que seu argumento faz na verdade é desconsiderar que nenhuma decisão das grandes empresas são tomadas à toa. Acredito que eles avaliaram sim os riscos de uma comunidade machista unida mas que consome e gera lucros. Além disso, como já dito, não é tão simples. O fato dos protestos terem cunho machistas elevam a discussão para a representatividade de gênero nessa esfera, logo não podemos ser simplistas, vai além.

          • PauloHDSousa

            Caraca cara, você acha que um jogador A ou B sabe quem é o diretor(A) de marketing da Nintendo ? Bem, ao menos no Brasil eu sei que não.

            Mas vamos lá,DIGAMOS que a galera não aprova a mulher trabalhando na Nintendo… eles VÃO PARAR DE COMPRAR POKÉMON só por isso?

            ACHO que não…

            Pra mim é simples

            Ela foi demitida por quebra de contrato e quer colocar a culpa na galera que pegava no pé dela, e não no erro dela.

            NÃO ANULA O FATO DE SER ERRADO O POVO SER MACHISTA E TER MACHISMO NO MUNDO E DERIVADOS…

            SÓ não tem a ver com a demissão dela.

          • El Luchador

            Sim.

      • Paulo

        É lamentável alguém ser demiitido e atacado por expressar a opinião.

        As mesmas pessoas moralistas que perseguem quem defende a pornografia, são as mesmas que perseguiriam quem fosse contra o racismo, quando era lei nos EUA segregar e escravisar negro.

    • Algures Cara de Mais

      Claro que sim, e no próximo ano lança tambem uma franquia de jogos eróticos infanto-juvenis.

  • Luan

    Tenho mixed feelings. Enquanto acho assustador um bando de gente investigando seus tweets e sua vida para encontrar algo comprometedor só porque não gostam dela, é óbvio que não tem como trabalhar na área de relações públicas na Nintendo e defender a descriminalização da posse de pornografia infantil. Não é assim que o mundo real funciona. É a Nintendo!

    Eu tenho certeza que a Alison Rapp não é uma pessoa ruim, não é pedófila e nem defende a pedofilia, eu discordo de algumas opiniões dela sobre sexualidade e pornografia infantil, mas isso é completamente normal. Nenhum assunto deve ser tabu. Mas classificar o que aconteceu como uma “campanha machista” é simplificar muito tudo que aconteceu. Citar que a campanha recebeu apoio de um site pró-supremacia branca (não duvido que seja verdade) me parece uma forma de criar um espantalho—todo mundo aqui sabe como a internet funciona, todo mundo sabe que tem retardado apoiando qualquer coisa. Essa tentativa de pintar argumentos contrários como filhotinhos de Hitler não fortalece o debate, pelo contrário. Ninguém é beneficiado por isso.

    Até porque é um erro o argumento de que esse tipo de linchamento virtual acontece com maior frequência com mulheres, alguns estudos apontam o contrário. Linchamento virtual é uma realidade horrível que merece uma discussão mais séria do que essa, não é invenção do gamergate, não é exclusividade da indústria e não é uma guerra do patriarcado contra as mulheres. É bem mais complexo do que isso.

    • Louis

      Ótima exposição de um ponto de vista.

  • Vitor Calfa

    Difícil permanecer otimista com relação a humanidade ultimamente…

    • PauloHDSousa

      Por que?

      • Vitor Calfa

        Filho, há uma notícia de uma injustiça desmedida acima destes comentários caso você não tenha percebido. Mais uma injustiça. Mais uma perseguição por motivo A ou B. Mais uma barbárie para se juntar a lista quase infindável de absurdos que a humanidade vem cometendo ultimamente. Estamos no Século 21, você esta vendo o planeta ficar mais parecido com filmes futuristas otimistas aonde a sociedade é perfeita e todo mundo se respeita? Eu não. Eu estou vendo a gente caminhar pra um futuro Mad Max… Eu caso 100 no chão que um dia, ainda no meu tempo de vida, vamos ver um enorme cogumelo nuclear no horizonte de depois, churrasco…

        • PauloHDSousa

          Õk

        • Luan

          A humanidade nunca esteve melhor, menos violenta e mais bondosa do que hoje. Pode parecer que não porque temos fácil acesso a esses tipos de informações, mas estamos evoluindo.

    • Paulo

      É lamentável alguém ser demiitido e atacado por expressar a opinião.

      As mesmas pessoas moralistas que perseguem quem defende a pornografia, são as mesmas que perseguiriam quem fosse contra o racismo, quando era lei nos EUA segregar e escravisar negros

  • Carlos Pacheco

    Ué, ela errou, não errou? Então…

  • rodrigo

    Eu realmente acredito que , de alguma forma, a Nintendo só se importou quando viu uma quebra de contrato, e uso de má fé de um de seus funcionários.

  • PauloHDSousa

    Regra A – Não pode trabalhar em outro lugar enquanto trabalha na Nintendo ou sera demitido, quebrou a Regra e agora acha que é errado ser punida por isso? Não acho que demitiram ela só porque a galera ficou hateando.

    HATER TEM EM TODO LUGAR, ela errou, “não tem nada a ver com os haters” (tirando a parte que denunciaram)

  • PauloHDSousa

    Caio Teixeira -> Que tal o Título – Funcionária da Nintendo é demitida após quebra de contrato.

  • Manoel Ricardo
    • Luan

      Sendo justo com ela, existem estudos que encontraram ligações entre a descriminalização da posse (não confundir com a criação/venda) de pornografia infantil com uma baixa no abuso infantil, então não é um argumento necessariamente pedófilo. Pode não ser um argumento que a Nintendo se sinta confortável com seus funcionários compartilhando na internet, mas não é justo demonizar a mulher.

      • Manoel Ricardo

        a posse tudo bem, isso não é problema. mas imagina se pornografia infantil fosse liberada pra ir pro mainstream. você acharia isso legal? no japão, atualmente, tem uma trend de fazer mocinhas sexualizadas infantilizadas. isso é apenas bizarro e “errado”, ao meu ver, ser aceito com tão naturalidade no mainstream…

      • Os estudos falam de hentai ou pthc?
        Se for o segundo tudo fica muito escroto.

        • Luan

          Não sei o que é pthc e estou com medo de pesquisar e encontrar algo horrível, então vou assumir que é pornografia infantil com crianças reais, ok? Eu também acho escroto, acho que a maioria das pessoas acham escroto, a simples criação de pornografia infantil já é abuso infantil, vou dar o benefício da dúvida pra Alison Rapp e supor que ela concorda com a gente aqui. Mas esse tipo de estudo faz eu entender o argumento porque um pedófilo vendo pornografia em casa é melhor que um pedófilo abusando de crianças.

          Claro que não é tão simples assim e isso pode aumentar a produção ilegal da pornografia (o que é inaceitável), mas é uma discussão interessante e não faz da mina uma pessoa ruim só por ter essa opinião diferente.

          • PauloHDSousa

            Luan, ela não foi demitida por achar que comer pizza com Ketchup é certo ou por achar que manteiga é melhor que margarina, ela foi demitida por que quebrou uma regra da empresa (o próprio título do site foi meio TENDENCIOSO, mas ok)

          • Luan

            Você tem razão, Paulo. Mas o linchamento ainda é relevante pra história, acho.

          • PauloHDSousa

            Pode ser.

      • Paulo

        É lamentável alguém ser demiitido e atacado por expressar a opinião.
        As mesmas pessoas moralistas que perseguem quem defende a pornografia, são as mesmas que perseguiriam quem fosse contra o racismo, quando era lei nos EUA segregar e escravisar negros.

    • kievrobb
      • Paulo

        Qual o problema? Muita gente faz sexo antes dos 18. Historicamente, mulheres começavam a ter filhos aos 12 anos.

  • Antônio Arnaldo Ferreira Xavie

    O acesso excessivo dos Hater’s revelou essa “segunda função” da Rapp. Quando se trabalha numa corporação muito grande as regras são restritas e sim ela estava descumprindo a lei. independente de usar outro nome ou quaisquer coisas do tipo ela feriu o regimento da empresa. O que estava previsto no caso que é passível de demissão.

    Agora, fica a par da nintendo se postar positivamente sobre o caso, já que o problema era o trabalho paralelo que a empresa então coloque outra mulher no cargo para continuar o mesmo trabalho que Rapp fazia. O que passaria a mensagem certa para seu publico.

    • Manoel Ricardo

      não duvido que até a e3 a nintendo não coloque outra pessoa (seja mulher ou homem) no lugar da rapp, até pq o trabalho principal da rapp era na treehouse

  • Fly

    Lendo os comentários fiquei sem ter uma opinião formada sobre esse assunto =X

  • Ainda nao havia sido mencionado nos comentários o fato de que a presidenta de uma ONG de young womens rights ter sugerido a demissão dela, em virtude do constante discurso que pode ser encarado por alguns como pró-pedofilia.

    http://imgur.com/a/uGLHz

    https://twitter.com/JamieWalton/status/704804554454515712

  • Algures Cara de Mais

    Empresa familiar não deveria contratar pedoativistas.