Uma das principais atrações da Game Developers Conference 2016, realizada na semana passada em São Francisco, nos EUA, foi o postmortem de Diablo, no qual David Brevik, co-fundador da Blizzard North, falou sobre os bastidores do desenvolvimento do clássico.

Ao final da apresentação, uma surpresa: um homem, Shivan Batt, enquanto realizava uma pergunta sobre a Battle.net, pegou sua carteira, tirou US$ 40 (a média de preço de Diablo quando ele foi lançado, em 1996) e disse a Brevik que iria pagar pela cópia do jogo que ele pirateou em 1997. Tudo foi testemunhado por um auditório lotado, além do próprio Brevik.

Em entrevista ao Kotaku, Batt afirmou que ele e um amigo piratearam o jogo quando ele tinha 16 anos, assim que adquiriu seu primeiro drive capaz de gravar CDs. “Levava algo como quatro horas para copiar um jogo ou um CD de música e os discos em si eram bem caros.”

– Diablo ficou em 19o lugar em nossa lista de melhores jogos dos anos 90; veja

Segundo Batt, em sua época de colégio, sua família não tinha muito dinheiro e ele sabia que copiar ilegalmente Diablo seria sua única forma de jogá-lo. E como fã da Blizzard e de jogos de fantasia, ele não hesitou.

Batt também conta que Diablo foi responsável por muitos momentos de alegria ao lado de seu amigo que havia originalmente emprestado o CD de Diablo a ele, o qual faleceu de câncer. Assim, inspirado pelo discurso de Brevik, o rapaz espontaneamente pensou em compensar o desenvolvedor pela cópia pirateada e agradecê-lo pelas boas experiências.

“Diablo é um dos meus jogos favoritos, e se meu gesto trouxe ao Sr. Brevik uma pequena fração do prazer que seu jogo me deu, eu acho que valeu a pena”, disse. “Todos nós fazemos coisas burras quando mais novos, e quando temos a chance de corrigir alguns dos nossos erros, devemos fazê-lo.”

  • rodrigo

    atualização monetário, juros e multa ninguem paga né

    • Lucas Sobral

      Você deve ser ótimo em festas.

  • PauloHDSousa

    Acho justo, eu paguei um livro que piratiei no Kindle comprando ele fisicamente mesmo após ter lido no dispositivo.

  • mazuka

    se eu fosse paagr por cada torrent que baixei….