Após deixar uma série de pistas, John Romero e Adrian Carmack, co-criadores de Wolfenstein 3D, Doom e Quake e dois dos principais responsáveis pelo gênero de tiro em primeira pessoa, finalmente revelaram do que se trata seu novo jogo. Blackroom é um shooter ambientado em um mundo no qual simulações holográficas são indistinguíveis da realidade.

Para concretizar seu desenvolvimento, a dupla precisa primeiro atingir a meta de US$ 700 mil em uma campanha no Kickstarter. O financiamento do jogo também virá de investidores externos, caso a campanha seja bem sucedida.

Blackroom terá uma campanha individual de 10 horas e um modo multiplayer com pelo menos seis mapas, além de modalidade cooperativa. Mods serão permitidos e incentivados pela Night Work Games, o estúdio de Romero.

Santiago Sonora, o protagonista de Blackroom, é um engenheiro em uma empresa de simulações holográficas. A ação se passa dentro destas simulações, que variam de mansões vitorianas a cidades fantasmas do velho oeste e navios piratas, os quais o jogador pode hackear e manipular. A jogabilidade, de acordo com a descrição de Romero, parece mesclar o estilo contemporâneo de jogos de tiro com o antigo, exigindo que o jogador circule os inimigos, realize momentos rápidos e até salte com a técnica de rocket jump.

blackroom-1

Romero, que lançou uma nova fase de Doom no início de 2016, afirma no vídeo da campanha fará todos os mapas do jogo, juntamente com Adrian Carmack, que trabalhará como diretor de arte em Blackroom.

Por ora, os desenvolvedores apresentaram apenas imagens conceituais do título, que será construído com a Unreal Engine 4 e está previsto para o final de 2018.

  • Jumento Deus

    Gostei do Santiago Cenoura.

  • Jumento Deus

    Alguém podia ter falado pro Romero olhar mais pra câmera e mostrar mais as unhas.

    • Rane

      ele é vesgo cara, não tem como…

  • Felipe Malafaia

    Sei não… Toda vez que o conceito é “Fast Paced” ou “like the old fps” eu já fico imaginando que vai ser “descerebrado” até o talo. Algumas vezes isso é bom, na maioria não.

  • Edvaldo Nogueira Junior

    Só tenho uma coisa a dizer: Não seja um Daikatana da vida, pela mor de God

  • rodrigo

    SEI NÃO….