O começo de Half-Life 2 é um dos momentos mais icônicos do videogame contemporâneo. Sentimos toda a opressão de um governo totalitário na City 17, com sua força militar abusiva e os City Scanners, drones ameaçadores que monitoram a cidade, certificando-se que seus cidadãos não cometam nenhuma infração. E, como bem notado pelo Motherboard, “a espera pela continuação para o lendário jogo de tiro em primeira pessoa se estendeu por tanto tempo que a tecnologia de hoje já está alcançando a ficção científica do título.”

Nenhum governo instalou City Scanners para monitorar seus cidadãos — ainda –, mas um russo chamado Valentin Demchenko provou que, ao menos termos de tecnologia, não estamos tão distantes assim da realidade de Half-Life 2.

Equipado com uma câmera GoPro, uma carcaça de fibra de carbono e poliestireno, seu drone parece funcionar exatamente como no jogo da Valve. E no mundo real ele parece ainda mais assustador, principalmente quando direciona sua ameaçadora luz vermelha para a direção do observador.

Em seu canal no YouTube, Demchenko também mostra como construiu o dispositivo.

Veja também:
As corridas futuristas dos videogames estão se tornando reais nestas disputas com drones

  • gusRamos

    Que irado. HL2 é tão icônico que as pessoas lembram muito do jogo até hoje.
    Próximo passo poderia ser uma câmera com flash pra ver a cara das pessoas ao ver o bagulhinho voando.