Continuação de Rock of Ages traz novos períodos históricos e multiplayer estendido

Todos os títulos do estúdio chileno ACE Team transbordam criatividade, mas Rock of Ages se destacou por canalizar o humor de Monty Python como nenhum outro jogo foi capaz. Sua continuação, anunciada nesta quinta-feira (2) não apenas aprimora o estilo e a fórmula do original, lançado em 2011, como explora novos períodos históricos, movimentos artísticos e amplia seu modo multijogador, focando na experiência competitiva.

A fórmula original foi mantida: no jogo, temos que arrombar os portões da fortaleza inimiga, rolando um imenso pedregulho (dotado de uma cara sorridente) ladeira abaixo, antes que seu rival faça o mesmo. A cada rolagem, contudo, podemos gastar nossos pontos em fortificações e unidades de combate e espalhá-las pelo percurso, diminuindo as chances do pedregulho inimigo atingir o nosso castelo. Entre uma fase e outra, animações bem humoradas fazem escárnio de obras famosas e personagens históricos.

Além do período medieval, o jogo explora diferentes períodos históricos e movimentos artísticos, como a arte egípcia, gótica, renascentista e surrealista, as quais ditam o estilo visual dos cenários. Uma das fases, por exemplo, simula o estilo impressionista de Van Gogh. Em outra, percorremos pelos desertos surrealistas das obras de Salvador Dali, com seus relógios derretidos e girafas de pernas imensas (que aqui viram camelos, aparentemente).

Rock of Ages II: Bigger and Boulder

A nova versão traz partidas online para até quatro jogadores, em times de dois, e percursos que se interseccionam, permitindo confrontos diretos entre as equipes. Há suporte também para partidas locais, mas o anúncio não deixa claro se há divisão de tela para quatro jogadores ou apenas dois, como no jogo original.

Rock of Ages II: Bigger and Boulder está previsto para a nossa primavera de 2016, com versões para PS4, Xbox One e PC, via Steam.

The Deadly Tower of Monsters, último jogo da ACE Team, é um dos jogos mais interessantes do início do ano. Você pode ler nossa análise dele e ver o Henrique e o Heitor jogarem-no.