oferecido2Como alguns devem se lembrar, no primeiro teaser de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, muitos acharam que o personagem que víamos brevemente na tela se tratava de uma versão feminina de Link. A ideia foi rapidamente anulada pela Nintendo, que disse se tratar de um Link homem, como sempre.

Isso, no entanto, não impediu que alguns mantivessem na cabeça a ideia de que, talvez, no Zelda que será lançado para Wii U e NX, poderíamos escolher uma versão de outro gênero do herói da Triforce (ainda mais depois de Linkle ter aparecido em Hyrule Warriors). Agora, com mais detalhes sendo providenciados sobre Breath of the Wild, Eiji Aonuma, produtor do jogo, deixou claro que isso não será possível oferecendo uma explicação.

Em entrevista ao Gamespot, Aonuma afirmou que ele e a equipe estavam cientes do burburinho online relacionado ao gênero de Link e que houve uma discussão sobre a possibilidade de implementarem isso no título. A linha de pensamento, no entanto, foi a de que, se fosse para ter uma heroína, que ela fosse Zelda e não uma nova versão de Link.

Acontece que, uma vez que isso começou a ser esboçado, o papel de Link começou a ser questionado. “Se tivéssemos a princesa Zelda como a protagonista que luta, então o que Link iria fazer? Levando isso em conta, e também a ideia do equilíbrio da Triforce, decidimos que seria melhor voltarmos à formação original,” disse Aonuma.

A explicação não deixa bem claro por que, então, não seria possível simplesmente termos uma versão feminina de Link. Seja como for, apesar do protagonista continuar como o mesmo de sempre, The Legend of Zelda: Breath of the Wild está trazendo algumas mudanças bem drásticas e inéditas à série, bebendo do gênero survival.

Você acham que seria importante termos um Zelda com uma heroína, ou isso seria alterar algo que, a essa altura, é consagrado demais na série? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.