Com exceção de listinhas clickbait, muitas vezes de qualidade duvidosa, é difícil encontrarmos conteúdos na web que documente com profundidade personagens LGBT em jogos. A partir de uma necessidade acadêmica, a professora assistente Adrienne Shaw, da Universidade Temple, localizada na Filadélfia, criou o LGBTQ Game Archive.

Com o apoio da universidade, que está financiando o projeto, ela pretende, juntamente com colaboradores (também acadêmicos) registrar toda a história LGBT nos videogames, partindo da década de 1980. Todo o conteúdo é público e faz referências a imagens e vídeos de gameplay registrados por jogadores e disponibilizados na internet.

Veja também:
– Mod adiciona a primeira (e indestrutível) parada do orgulho LGBT em GTA V

O arquivo, que separa o conteúdo por décadas, séries, personagens, tipos de relacionamento, sexualidade e outras categorias, aborda atualmente 490 jogos. A suposta homossexualidade de Tails, de Sonic the Hedgehog 2, a homofobia latente de um dos inimigos de BioShock 2,  o personagem gay de Firewatch e as questões políticas por trás do casamento homoafetivo em Divine: Dragon Commander mostram um pouco do amplo projeto em listar, categorizar, analisar e demonstrar a história da representação LGBT nos videogames.

Aos estudantes e interessados em se aprofundar no assunto, há também uma crescente lista de conteúdo acadêmico sobre gênero e sexualidade no meio de videogames, incluindo artigos e livros.