Passada uma semana desde seu lançamento, No Man’s Sky parece estar se revelando um jogo muito menos interessante do que aquele que nos foi prometido. Um dos títulos mais antecipados dos últimos anos está deixando um gosto amargo na boca de muitos que jogaram — em nossa análise, o classificamos como “uma enorme decepção”. Mas, afinal, o que aconteceu? A comunidade do jogo no Reddit está se unindo para tentar entender por que No Man’s Sky parece tão mais raso e simplório do que as demos apresentadas no passado.

Em um enorme esforço colaborativo, usuários estão identificando tudo o que havia sido prometido pela Hello Games e seu designer Sean Murray e que, aparentemente, não foi cumprido. Para isso, as pessoas estão separando trechos específicos de entrevistas e apresentações em que Murray menciona coisas que ainda não foram notadas na versão atual do jogo.

A lista é enorme, dividida entre oito categorias, e dentre as dezenas de features possivelmente cortadas ou ainda não implementadas, estão coisas como pouso em asteroides, grandes frotas de naves, varredura de planetas direto da órbita, afiliação a facções com impacto no gameplay, batalhas espaciais de grande escala, naves com classes e diferenciações, planetas anelados, de areia ou orbitando um corpo celeste equivalente ao Sol, recursos que dependem de fatores ambientais, presença de rios, portais e mais.

Veja também:
– Análise de No Man’s Sky
– Assista à nossa transmissão ao vivo de No Man’s Sky
– Frontier: Elite II fez em 1993 o que No Man’s Sky está fazendo em 2016

A ausência mais sentida pelos usuários, sugerida ou confirmada em diferentes ocasiões por Sean Murray e que ainda não deu sinal de existência, apesar das diversas tentativas dos jogadores, continua sendo a possibilidade de encontrar outras pessoas online, em um ponto específico da galáxia, e jogar ao lado delas.

no-mans-sky

Batalhas espaciais em larga escala e grandes frotas de naves, prometidas em trailers e imagens de divulgação, ainda estão para ser vistas em No Man’s Sky

O responsável pelo tópico, MeetWayneKerr, vai além e questiona. “Considerando quanta coisa está faltando no jogo, temos todas as razões para questionar se qualquer um dos complexos sistemas que nos foram prometidos estão de fato lá. Os planetas se tornam mesmo mais exóticos conforme você se aproxima do centro? Intervenções significativas de jogadores no mundo do jogo estão de fato sendo salvas globalmente? Há qualquer coisa além de nomes sendo salvos globalmente, se não há frotas a serem destruídas ou a possibilidade de destruir estações espaciais? Aquilo que eles falaram, sobre um sistema que governa coisas em larga escala, realmente existe? Se eles não tivessem falado nada sobre  a remoção de física planetária, que é mecanicamente importante, será que coisas menos notáveis também foram removidas e não nos contaram?”

Sua crítica se estende à superficialidade de No Man’s Sky, em seu estado atual: “Como você pode ver, o jogo que eles falaram que iríamos ter acesso era muito mais rico, complexo e dinâmico do que o que nós recebemos. O que temos é uma experiência estática, sem vida, da espessura de uma folha de papel, por comparação.”

O usuário ainda acusa as empresas por trás do jogo (no caso, a Hello Games e a Sony, que o distribui no PlayStation 4) de promovê-lo usando cenas que não representam a que o público tem acesso, mesmo após seu lançamento. “A sequência que está sendo usada para vender o jogo atualmente não é melhor do que o que a Sega fez com Aliens: Colonial Marines”, em referência ao escândalo envolvendo o execrado jogo da Gearbox. Na época, um processo judicial foi aberto contra as companhias por divulgar uma versão superior àquela disponibilizada para a venda.

Trailers e demonstrações em eventos raramente representam com fidelidade o produto final. Isso é uma característica da indústria de games e, até certo ponto, compreensível, já que muitas vezes o que está nos sendo mostrado é aquilo que os desenvolvedores pretendem alcançar. O que temos em No Man’s Sky, contudo, parece ser algo diferente, pois muitas promessas de mecânicas foram feitas por Sean Murray em entrevistas, que afirma a existência dessas características como partes integrais do jogo, raramente as ressaltando como meras possibilidades a serem implementadas na versão final.

Este vídeo, que tem circulado por aí, deixa bem clara (de forma humorada) a discrepância entre o que é vendido e o que, de fato, recebemos:

  • Ricieri Ferreira de Paula

    Como eu não tenho um ps4 (ainda…pqp) estou apenas assistindo vídeos. Vou dar uma confessada que estou gostando, mesmo vendo que é repetitivo.
    Acho que essa ideia megalomaníaca de fazer trocentos quintilhões de planetas acabou trazendo o público no hype, mas na prática está fazendo muita gente mudar de opinião.
    Talvez se o jogo fosse mais fechadinho, tivesse uns 10 planetas com mais diversidades, mais variedade de gameplay, que pudesse construir algo em um planeta e se tivesse missões, talvez… Eu disse TALVEZ fosse um jogo melhor apreciado por todos.

  • Vinicius Siviero

    Acho que um jogo como esse precisa realmente de um modo multiplayer. Pessoas tendo seus próprios planetas, defendendo e conquistando. Vivendo em naves gigantes, com grandes frotas e um pouco mais de ação.

  • Coala

    Droga! Eu sempre perco para esse vídeo.

  • A publicação foi deletada do Reddit.
    Eu tinha a visto ontem, fui acessar hoje e não tinha mais.

  • Fly

    Cara de Indie, estilo de indie, proposta de indie e preço de triple A, quando estiver custando os mesmos 26 obamas do Minecraft quem sabe xD

  • El Luchador

    E tô pegando trofeús mais fácil do que (acho que) deveria ser.

    Sei lá.

    Tô gostando,ou me convencendo de que estou gostando.
    Tô mais na pilha de fazer upgrade dos equipamentos do que de explorar tudo

    APESAR DO BURACO NEGRO SER BEM MANEIRO.

    Mas o que mais me incomoda, é que, 50% das vezes que vou viajar na velocidade da luz de uma galáxia pra outra (selecionando pelo menu do universo), dá crash no jogo e sai do jogo (no PS4).

    Porra…
    -_-

    Me ajuda, Sean Murray.

    • Guilherme Garcia

      Então cara eu tbm to curtindo,curto o lance dos upgrades,gosto de batalhar contra as naves e os cargueiros espaciais,e o lance de dar crash é MT irritante, não tem nenhum problema a gente GOSTAR do jogo,eu fiz o caminho do atlas,vi a estória, curti,entendi a proposta do jogo,e continuo jogando,o próprio criador do jogo disse q vai continuar a trabalhar no jogo,e lançar várias dlcs gratuitas, se isso for verdade,ótimo,pq só vai deixar mais divertido pra quem ta gostando do jogo,e quem sabe fazer mais pessoas experimentar

  • Nix

    Dando uma olhada nisso, estou começando a questionar fortemente a ética da Hello Games… Diante de tantas promessas, esse era um jogo pra ter sido adiado por mais uns anos ou cancelado totalmente. No mínimo do mínimo, era pra ser vendido em early-access.

    Fizeram um ciclo de desenvolvimento baseado em hype sem se abrirem sobre as mudanças no jogo e os recursos que não implementaram. E se aproveitaram do hype e do mistério que ganhou quase um status de lenda urbana em relação a como de fato seria o jogo, seu escopo e as possibilidades do jogador. Um exemplo claro são os vídeos em que Sean Murray comenta sobre a possibilidade de encontrar outros jogadores, sendo obscuro em sua explicação de propósito.

  • ‫בѦȱ Þȱ۱۱ΔↄỻΔ‬‎

    esse vídeo me rendeu boas gargalhadas KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK