O novo episódio da segunda temporada de Tropes vs. Woman in Videogames se foca na falta de diversidade de corpos femininos nos videogames. A crítica Anita Sarkeesian aponta que, diferentemente do que ocorre com os personagens masculinos, representados de inúmeras formas — gordos, magros, novos, velhos, humanoides, monstruosos, bonitos, feios –, as mulheres tendem a ser retratadas como jovens magras dotadas de traços convencionalmente belos. “Em vez de termos uma animadora gama de personagens femininos, nós vemos sempre o mesmo tipo de corpo repetidamente: um criado para ser sexualmente atrativo ao suposto jogador masculino heterossexual.”

Com exemplos, ela mostra como jogos baseados em uma grande diversidade de heróis, tais como League of Legends, Dota 2 e Overwatch acabam cometendo a mesma falha de representatividade, com a maioria de suas personagens femininas sendo jovens e magras, ao mesmo tempo em que o elenco masculino abrange uma enorme diversidade de formas e aparências. Apesar das críticas, ela reconhece que após o anúncio original, Overwatch se tornou mais diverso com a inclusão da gordinha Mei, da corpulenta Zarya e de Ana, que além de parda, é uma mulher de meia-idade.

Veja também
– Anita Sarkeesian diz algo bem importante sobre legitimidade masculina e videogames em seu novo vídeo

“Quando a maioria das mulheres que habitam os mundos desses jogos são criadas a partir do mesmo modelo limitado, o problema não é apenas o que estamos vendo nos jogos, mas também o que não estamos vendo”, explica Sarkeesian. “O fato de que mulheres gordas e mulheres com diferentes formas não estão presentes nestes mundos reforça a falsa noção de que essas mulheres são menos valiosas e dignas de reconhecimento do que as mulheres cujos corpos se aproximam do padrão cultural de beleza.”

Sarkeesian também aborda o fato de que raramente vemos mulheres maduras nos videogames, diferentemente do que acontece com personagens masculinos, como Old Snake e Joel, de Metal Gear Solid e The Last of Us, respectivamente. Segundo Sarkeesian, eles transmitem a ideia de que homens podem continuar sendo ativos, vigorosos e poderosos no decorrer de suas vidas. “Enquanto isso, a ausência de personagens mais velhas e jogáveis erroneamente sugerem que o valor da mulher está diretamente ligado à sua beleza e juventude, e que quando elas envelhecem, esse valor se esgota.

  • …..

    • Faço de Saitama as minhas palavras

  • Rafael Rigon Maier

    Quando penso em “personagem gordo” logo me vem a cabeça os “gordões” de brigas de rua. Dali me pareceu uma caminho natural eles deixarem de ser vilões e virarem herois, como o Zanguief por exemplo.
    Será que personagens femininas vão precisar por um processo como esse para se tornarem padrão?

  • Michael Pereira

    Ótimo vídeo. Vou até assistir os outros segmentos do canal dela para entender melhor os argumentos e observações feitas no vídeo.

  • Leonel Marconi

    tantas verdades, em tão pouco tempo de video

  • O ponto é muito importante e deve ser debatido. Gostei muito dos exemplos mais trabalhados por ela. Contudo, ela parece acreditar que os corpos masculinos são bem diferenciados nos jogos, o que discordo. É inegável que as mulheres são retratadas de forma mais similar que homens, mas não quer dizer que exista, de fato, uma variedade grande de corpos masculinos, pelo menos fora do espectro sarado. Isso, obviamente, não invalida o ponto dela, ao contrário, acho que homens e mulheres deveriam lutar para termos mais corpos. Afinal, o Joel não seria tão sarado comendo ração.

    • Platynews

      É como falaram num forum que eu visito … pra cada 10 homens sarados tem 1 não sarado. Pra mulheres esse numero sobre pra 100 ou até mais pra cada não sarado.
      E PRINCIPALMENTE, existe uma VARIEDADE em homens sarados. O Zangief é sarado de um jeito diferente do Ryu que é sarado de um jeito diferente do Alex. Enquanto isso o tamanho e as proporções de “sarado” das personagens femininas são sempre as mesmas

  • Rodrigo Souza

    Realmente uma discussão válida. Só acho estranho o excesso de representatividade, talvez por eu não enxergar elementos tão profundamente em videogames(por exemplo o fato de personagens homens em sua maioria fortes, atléticos serem assim para instigar a molecada mostrando a superioridade masculina). As HQs estão seguindo o fluxo da representatividade e por um lado isso é bom, como por outro lado vai se tornar uma “obrigação” no futuro que haja a representatividade em tudo. Há quem diga que vai ser chato, há quem diga que não. Entender os motivos das pessoas é realmente complicado, espero que os radicais de ambos os lados um dia entendam que a empresa faz o que ela quiser, porque é privada.

    • Platynews

      O maior motivo pra representatividade é …. que nós vivemos num mundo assim =P
      Se o seu jogo é um desfile neonazista de tanto homem branco que tem, que tipo de mensagem de representação de um mundo vc ta dando ? Pq no mundo real ta cheio de pessoas negras, gordas, trans, gays, de todas as formas e tamanhos e cores.
      A empresa faz o que ela quiser, mas isso mostra como ela vê o mundo

  • Davi Jucimon Monteiro

    Eu não sei se eu que entendi errado. O Dota2 pareceu um pouco injustiçado. Não estou discordando com ela sobre a falta de variedade de tipos de corpos femininos, mas ela não comentou da existência da Broodmother, da Winter Wyvern e da Medusa no jogo. Talvez não comentou por elas serem monstros, mas daí ela citou o Slark como exemplo de variação masculina.

    • Tais

      eu dei uma olhada rapidão no google images e creio que ela não falou dessas personagens por serem pouco a nada humanoides. esse slark ainda tem proporções reconhecidamente humanas. quanto à medusa, a parte que a caracteriza como humanoide mulher está no padrão de beleza tanto como as outras (em relação à silhueta, ao menos) :p

  • Amaranto_cristal

    Essa mulher engana inocentes.Não passa de uma feminista radical querendo impor uma ditadura moralista em cima dos jogos .Não sejam inocentes e estudem a história dela.

    • Mauricio

      Você come merda né ?

      • Amaranto_cristal

        Feministo voce ? Voce sabe pelo menos a história desta sem vergonha ?
        Ou sabe ,mas quer defender a causa desonesta dela né pilantra.

        • Mauricio

          Independente de quem ela é, ela expõe no vídeo uma verdade vergonhosa dessa indústria.

          • Amaranto_cristal

            Então acredite na boa fé dos discursos.Afinal os humanos nunca tem segundas intenções por trás das conversinhas fiadas .E não é válido o que ela fala .Ela quer empurrar a agenda feminista lixo dela falando que é errado sexualizar mulher enquanto homens “não são sexualizados”.

    • Cuidado com a Burra!™
      (tive que editar pq ele pode achar que to falando da Anita. Não estou)