Não foi só no Reino Unido que jogadores descontentes com No Man’s Sky registraram queixas em órgãos de defesa ao consumidor, como noticiado pelo Polygon nesta quarta-feira (28). Em São Paulo, o Procon recebeu uma reclamação, conforme apurou o Overloadr. “O consumidor reclama que o jogo não contempla diversos recursos que foram anunciados”, respondeu a assessoria de comunicação do órgão estadual.

Segundo o Procon-SP, a reclamação foi encaminhada à Sony, que distribui a versão física do jogo no Brasil. A data da ocorrência não foi informada, mas segundo o órgão, a empresa ainda está dentro do prazo de 10 dias para dar uma resposta ao consumidor, o que indica que a reclamação foi feita recentemente.

No Reclame Aqui, já foram registradas diversas queixas de usuários que acusam a Sony e a Hello Games de propaganda enganosa. As reclamações estão sendo atendidas pela Sony, que afirma reembolsar os jogadores no valor da compra de No Man’s Sky, de R$ 199,99. A empresa argumenta, contudo, que o cliente insatisfeito deve solicitar o cancelamento da compra em um prazo de sete dias, como prevê o código de defesa do consumidor.

Veja também:
Usuários do Reddit estão listando tudo o que No Man’s Sky prometeu e não cumpriu
Em entrevista, Shuhei Yoshida comenta sobre a recepção de No Man’s Sky

Apesar das constantes acusações de propaganda enganosa, No Man’s Sky continua sendo anunciado com diversas características que nunca foram implementadas no jogo. A página do jogo no site brasileiro do PlayStation diz: “Faça inimigos e forme alianças participando de batalhas entre as facções que ocupam a galáxia. Participe de invasões ousadas a postos móveis de comércio e ataques audaciosos a naves de batalha, pegue sua recompensa e melhore seu armamento. Mas não se esqueça: se você ajudar uma facção, os inimigos dela também passarão a ser seus inimigos.” Com exceção das recompensas e melhorias, essas características nunca foram implementadas em No Man’s Sky.

no-mans-sky

Batalhas espaciais de larga escala e conflitos entre facções são algumas das funções nunca implementadas em No Man’s Sky que continuam sendo divulgadas no Steam e na PlayStation Store.

No Reino Unido, a Advertising Standards Agency (ASA), órgão que regulamenta a propaganda no território britânico, está investigando a Hello Games e a Valve, acusadas de realizar propaganda enganosa no Steam — onde o jogo acumula tantas avaliações negativas de usuários que recebe a classificação “extremamente negativo”. A página de No Man’s Sky na plataforma traz o vídeo de anúncio do jogo, mostrado pela primeira vez em dezembro de 2013, que não representa a versão final, com gráficos aprimorados e características inexistentes, como batalhas espaciais em larga escala e criaturas gigantes e com comportamentos únicos. O mesmo vídeo também aparece na página do jogo da PlayStation Store brasileira.

Pedimos um posicionamento da Sony do Brasil sobre as acusações de propaganda enganosa, mas até a publicação desta reportagem, não recebemos uma resposta. Atualizaremos a nota assim que a companhia retornar nosso contato.

  • El Luchador

    Toda vez que eu lembro de No Man’s Sky (eu tenho o jogo), só me vem frases do Alborghetti na cabeça…

  • mickrussom

    SEAN MURRAY = LIAR SCUM. Sean Murray es un mentiroso.