Star Citizen ainda nem é um produto real, mas toda a história pro trás de seu desenvolvimento provavelmente já seria suficiente para preencher um livro. Desde o seu anúncio, o ambicioso jogo tem uma campanha de crowdfunding contínua em seu site e, até março deste ano, havia arrecadado mais de US$ 110 milhões através de pessoas interessadas no simulador espacial.

Junto da enorme quantia de dinheiro veio também uma série de polêmicas em torno do desenvolvimento. O título está em produção há aproximadamente quatro anos, tempo pelo qual tem vendido conteúdo adicional aos interessados – como naves que podem custar milhares de dólares – e até hoje teve poucas coisas concretas para mostrar.

Nada disso, entretanto, parece ter entrado no caminho do amor de sua comunidade, tão forte ao ponto de ter justificado a criação da Citizencon, um evento dedicado inteiramente ao título. A edição mais recente ocorreu no dia 9 de outubro e era muito esperada: era nela que muitos acreditavam que veriam pela primeira vez uma demo robusta de Squadron 42, aquela que será a campanha de Star Citizen. Isso, infelizmente, acabou não ocorrendo, pegando muitos de surpresa.

Para explicar os motivos que antecederam essa decisão foi criado um pequeno documentário, que mostra os dias que antecederam a Citizencon mais recente e como foi o caminho até ela, culminando na decisão de não terem a demo no local.

De maneira bem similar ao que a 2 Player Productions fez com Broken Age da Double Fine, o documentário é fascinante ao mostrar o que há por trás do desenvolvimento de jogos. É claro que por ser uma produção do próprio estúdio é válido termos uma leve desconfiança com o tom utilizado. No entanto, parte dele transparece atitudes de Chris Roberts que foram relatadas em uma excelente reportagem recente do Kotaku UK, sem colocá-lo sempre como uma pessoal razoável em seus desejos.

Esse mini-doc tem aproximadamente 20 minutos. Mais ou menos na marca dos 9 minutos que você poderá encontrar o momento em que é decidido não mostrar Squadron 42 na Citizencon.