Sylvio foi um dos meus jogos favoritos de 2015. Criado basicamente por um único desenvolvedor, Niklas Swanberg, o jogo traz um tipo de terror sutil e inteligente raro de se ver nos videogames. Agora, após receber uma atualização em 2016 que basicamente transformou o jogo original em uma versão remasterizada, com melhorias técnicas e visuais, Sylvio está para chegar ao Xbox One e PS4.

No controle da investigadora paranormal Juliette Waters, especialista em gravação de “vozes do além”, o jogo nos coloca para descobrir os mistérios por trás de um parque abandonado, no qual dezenas de famílias morreram em um acidente macabro. Usando um microfone de alta sensibilidade e um osciloscópio, temos que captar frequências sonoras inaudíveis ao ouvido humano. Em seguida, usando equipamentos analógicos, é preciso analisar o áudio, reproduzindo-o em diferentes velocidades ou invertendo-o, o que normalmente revela mensagens ocultas, como quem gira um disco ao contrário para ouvir uma mensagem subliminar.

Sylvio nunca recorre ao susto barato, se focando mais na composição de uma atmosfera perturbadora e inquietante. Evocando jogos de terror da geração PS2, como os títulos das séries Silent Hill e Fatal Frame, ele se foca em quebra-cabeças e na exploração dos cenários, com eventuais combates contra espectros de fumaça capazes de atravessar paredes (ou seja, você nunca está totalmente seguro) e bizarros seres gigantes.

Para a nova versão, Niklas adicionou a possibilidade de revisitar áreas, além de melhores animações para as mãos da personagem e “um monte de outras coisas”. As novidades também foram aplicadas na versão do jogo para o Steam.

Em 2016, Niklas anunciou uma continuação para Sylvio em uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, que acabou chegando ao fim sem bater sua meta. Embora ele não tenha obtido sucesso com a campanha, ele já afirmou em algumas ocasiões que não pretende abandonar o desenvolvimento da continuação, que continua explorando a ideia de se comunicar com os mortos por meio de equipamentos analógicos — no caso, uma câmera de vídeo.

  • Pedro Marinelli

    Jogo do capeta!

  • Batatas.

  • Márcio Barbosa

    Era esse o jogo que o shuffle nunca saiu? Se sim, acho que essa seria uma boa oportunidade pra fazer acontecer, não? XD

    • riquesampaio

      Sim, pensei a mesma coisa!