O sueco Felix Kjellberg, conhecido por seu canal PewDiePie, que acumula mais de 53 milhões assinantes, perdeu seu contrato com a Maker Studio, de propriedade da Disney, e teve a segunda temporada da sua série Scare PewDiePie cancelada pelo YouTube. As companhias decidiram cortar laços com o youtuber após uma série de vídeos publicados em janeiro, que faz referências ao Nazismo e traz piadas antissemitas. Em um deles, dois homens indianos contratados por ele em um site de freelances levantam uma placa com a frase “Morte a todos os judeus”. Os homens afirmaram não saber o que a mensagem significava. Outros sugerem imagens relacionadas ao Nazismo, como a suástica.

A série Scare PewDiePie faz parte do YouTube Red, serviço de assinatura pago do YouTube em que Kjellberg é vítima de pegadinhas inspiradas em videogames. Além disso, o YouTube retirou seu canal da lista “Google Preferred”, que reúne criadores de conteúdo influentes — no Brasil, canais como Jout Jout Prazer, Coisa de Nerd e Manual do Mundo fazem parte da seleção.

Os vídeos que carregam as piadas com referências Nazistas e antissemitas foram retirados do ar, mas os trechos mais polêmicos foram destacados pelo The Wall Street Journal, neste vídeo:

No último domingo, Kjellberg se defendeu em um post no Tumblr, afirmando que no vídeo em que os homens levantam a placa com dizeres de ódio, ele estava apenas tentando mostrar “o quão louco era o mundo moderno, especificamente alguns dos serviços online disponíveis”, e afirmou que não suporta “nenhum tipo de atitude odiosa”.