O canal do Youtube Game Score Fanfare é dedicado a analisar o trabalho musical de videogames. Em um dos vídeos publicados, por exemplo, o foco está no trabalho do estúdio Supergiant Games como um todo, enquanto em outros a atenção é dedicada a jogos específicos, como Final Fantasy IX e Bravely Default.

A mais recente publicação, no entanto, agarra um arco maior de eventos, observando a história por trás da músicas de fases aquáticas, olhando como elas diferem dos estágios tradicionais e de onde vêm suas inspirações. Começando em Super Mario Bros., a análise verifica que a trilha de Koji Kondo para fases submersas tem elementos de uma valsa como forma de representar a maior lentidão que temos quando Mario está nadando. Isso seria algo que veríamos como padrão até que compositores passassem a usar como tema todo o ambiente existente embaixo d’água, em vez da movimentação lânguida dos personagens ao estarem envoltos no líquido.

O vídeo não tenta contar de maneira absoluta toda a história por trás dessas trilhas sonoras, mais interessado em pegar alguns pontos que se destacam e como estes se tornaram influências. De qualquer forma, não é comum vermos músicas de videogames analisadas dessa forma, não só pelo seu papel dentro do jogo em questão, mas também posicionando-a em um contexto histórico específico.

O único empecilho para o aproveitamento do canal é que a narração do Game Score Fanfare é em inglês e, infelizmente, não existem legendas disponíveis em nossa língua. Se essa barreira não for um problema para você, assista também suas outras produções. Nenhuma delas me foi tão chamativa quanto essa breve história da música de fases aquáticas, mas isso não significa que também não seja boas.