Quando Super Impeachment Rampage surgiu, em abril de 2016, parodiando a situação política brasileira daquele momento, Dilma ainda era presidenta do Brasil. Muito aconteceu de lá para cá, mas o fantasma do impeachment voltou a perambular nas últimas semana, desde que gravações comprometedoras envolvendo o presidente Michel Temer foram entregues na delação da JBS. Diante do caos político, os criadores de Super Impeachment Rampage encontraram a oportunidade perfeita para lançar uma continuação, desta vez colocando um Temer vampiresco e satânico como protagonista.

O jogo repete as mecânicas do anterior e nos coloca para literalmente correr do impeachment, enquanto desviamos de jornalistas, manifestantes e coxinhas (literalmente coxinhas), que funcionam como obstáculos. Opositores e ameaças a Temer entram em cena como perigos adicionais, como Marina Silva, Joesley Batista e o solzinho do PSOL, que correm de um lado para o outro, atrapalhando sua fuga.

As fases bônus, novamente, são piadas com polêmicas recentes da política brasileira, como a operação Carne Fraca e as delações da Lava Jato. Nem mesmo o infame programa Cidade Limpa, do Dória, prefeito de São Paulo, e o pato da FIESP passaram incólumes.

Acesse o site de Super Impeachment Rampage Apocalypse para jogá-lo no próprio browser.

Veja também:
Suposto simulador de teleprompter faz paródia de jornalismo tendencioso