O primeiro pacote de DLC de The Legend of Zelda: Breath of the Wild trará uma variedade grande de novidades e, dentre elas, a possibilidade de nos vestirmos como Tingle. Finalmente.

Com o nome específico de The Master Trials, o conteúdo adicional incluirá modalidades novas, itens inéditos a serem descobertos, funcionalidades não vistas antes e outras coisas mais. Primeiramente, aqueles que querem jogar novamente com um desafio extra poderão fazê-lo no Hard Mode. Na modalidade difícil, os inimigos já vêm em um ranque superior, sendo que na aventura normal eles subiam progressivamente, após horas e horas de exploração. No exemplo dado, os Bokoblins vermelhos já serão azuis, que demandam uma quantidade maior de golpes para serem derrotados, além de nos causarem mais dano e quebrarem nossas armas mais rapidamente. Fora isso, é também dito que existem ranques de inimigos não vistos no modo regular. Além de uma força maior, os oponentes conseguirão avistar Link mais facilmente e regenerarão sua vida com o passar do tempo, o que deve aumentar a tensão dos combates.

Em termos de conteúdo inédito, o mundo de Hyrule terá agora uma localidade em que jogadores encontrarão a Trial of the Sword (A Prova da Espada). Como já apareceu em jogos anteriores da série, trata-se de uma sequência de salas focadas em combate. Há um total de 45 ambientes que devem ser limpos de inimigos, sendo que no início do desafio Link começa sem armas ou armadura. ** Leves Spoilers ** Aqueles que conseguirem terminar todas, no entanto, receberão uma boa recompensa: a Master Sword passará a não perder mais seu brilho, estando em seu estado de força total o tempo todo (o que, presume-se, também a torna inquebrável). ** Fim dos leves spoilers**

Há outros tesouros novos escondidos. Há agora uma máscara de Korok que ajuda na descoberta dos pequenos seres. Quando ela é usada, o utensílio chacoalha, indicando que há um Korok – e consequentemente, uma semente – por perto. Além disso, existem armaduras baseadas em personagens icônicos à série, como o já citado Tingle, Midna, Phantom e Majora’s Mask. Ainda sobre itens, foi incluso também em algum baú de Hyrule o Travel Medallion, que é um artefato que permitirá que jogadores criem temporariamente um novo ponto de viagem rápida. Apenas um ponto pode ser feito de cada vez. Não é algo que pareceu fazer falta na minha experiência com Breath of the Wild, mas deve facilitar para atividades específicas.

Leia mais sobre Breath of the Wild:

Parece que há um tributo a Satoru Iwata escondido em Zelda: Breath of the Wild
Ao esconder informações, Zelda: Breath of the Wild torna seu mundo aberto muito mais instigante

Encerrando o conteúdo do The Master Trials há a funcionalidade chamada de Hero’s Path Mode. Com isso, cada passo dado por link é documentado no mapa, mostrando as rotas feitas nas últimas 200 horas de jogo. É possível deslizar uma pequena chave para ver onde você estava em uma hora específica, tornando mais simples saber por quais locais sua aventura já o levou. O efeito é retroativo, então mesmo que já tenha jogado dezenas de horas de Breath of the Wild, se você adquirir o DLC poderá ver o histórico de suas andanças.

Tal qual o Travel Medallion, o Hero’s Path Mode não soa particularmente necessário. Dito isso, mesmo desconsiderando essas duas adições, parece haver aqui conteúdo novo que é chamativo. Pessoalmente, me sinto animado em jogar tudo novamente em uma dificuldade elevada.

A expansão de The Legend of Zelda: Breath of the Wild é vendida apenas em um pacote de US$ 19,99, que inclui os dois conteúdos adicionais. The Master Trials será lançada em algum momento na metade deste ano. Já o segundo DLC estará disponível no final de 2017. Ambos chegarão tanto ao Switch quanto o Wii U.

The Legend of Zelda: Breath of the WildThe Legend of Zelda: Breath of the WildThe Legend of Zelda: Breath of the Wild
  • Márcio Barbosa

    Como vc sabe que esse era meu sonho? Anda lendo minha mente? XD

  • lacmetal

    Nunca tive este sonho….

  • joan aquino

    Meu deus, realizarei meu sonho #SQN