O amigo da vizinhança parece ter aprendido bastante com o Batman. O jogo do Homem-aranha, em desenvolvimento pela Insomniac, encerrou a coletiva da Sony na E3 2017 e mostrou ter diversas ideias similares às vistas nos títulos da Rocksteady do homem-morcego.

No primeiro momento da apresentação, por exemplo o aracnídeo permanecia nas alturas, escondido de oponentes enquanto os eliminava um a um sem que os outros percebessem nada. Isso era feito de maneiras diversas, como puxando-os com teias ou ativando armadilhas do cenário. O Homem-aranha parece também empunhar diferentes tecnologias, pois um dos itens mostrados funcionava como um explosivo de proximidade que, quando tinha um oponente perto o suficiente, disparava uma teia que o puxava fortemente.

A outra similaridade apareceu nos combates corpo a corpo. A luta parecia seguir um ritmo bem específico, envolvendo desvios que deviam ser executados no momento correto e golpes que podiam ser encadeados de inimigo em inimigo. Além disso, similar a Sleeping Dogs, existiam pontos do cenário com os quais é possível interagir, que levam a inimigos sendo derrotados imediatamente.

Após um confronto contra um vilão maior que demandava diferentes táticas, a demonstração seguiu por uma perseguição, em que Homem-Aranha ia atrás de um helicóptero. Esse momento serviu bem para mostrar a vastidão da cidade e como podemos nos locomover livremente por ela, não muito diferente do que já ocorreu em outros jogos do aracnídeo.

O que chamou a atenção nesse momento, no entanto, foi a quantidade de quick-time events. As cenas eram lindas e bem dirigidas, mas a ação era constantemente interrompida por um comando que aparecia na tela que precisava ser executado. Por toda a parte final da demo, esses comandos foram frequentes.

O jogo do Homem-Aranha term lançado previsto para 2018, exclusivamente para PlayStation 4.

  • José Cordeiro

    A pior parte foram os quick-time events. Parece que quiseram fazer tudo muito cinemático, mas acaba tirando a graça e imersão do jogo.

    Mas tenho esperança que esse v[ídeo ainda seja meio conceitual e a versão final não seja tão repleta de QTEs.