Com um ritmo agradável e cheio de pequenas boas surpresas, a coletiva da Ubisoft na E3 2017 foi um dos melhores momentos da feira até agora. Além de Assassin’s Creed Origins, que foi apresentado na conferência da Microsoft, e o já conhecido Far Cry 5, eis o que tivemos:

Mario + Rabbids Kingdom Battle é um RPG tático similar a XCOM

O jogo que fez muita gente torcer o nariz quando foi vazado há algumas semanas acabou rendendo um dos melhores momentos da coletiva da Ubisoft. Yves Guillemot, ao lado de ninguém menos que Shigeru Miyamoto, apresentaram o título que mistura os Rabbids, personagens surgido na franquia Rayman, com Super Mario.

Trata-se de um RPG com exploração, quebra-cabeças e batalhas em turno táticas com elementos de jogos como XCOM.

O título chega em 29 de agosto exclusivamente para o Switch.

The Crew 2 terá veículos na terra, no ar e no mar

Novamente trazendo corridas espalhadas pelos EUA, o jogo de corrida agora incluirá diferentes tipos de veículos, incluindo lanchas, motocicletas e aeroplanos, com troca instantânea entre eles. Uma das coisas mais legais, contudo, são os cenários que, por alguma razão, se dobram, como em Inception.

O título está previsto para chegar no início de 2018 para PC, PS4 e Xbox One.

Starlink: Battle for Atlas é um “No Man’s Skylander”

Starlink é a aposta da Ubisoft na categoria toys to life, da qual fazem parte Lego Dimensions e Skylander. Aqui, em vez de seguir o estilo de ação e aventura, temos um jogo de exploração espacial aos moldes de No Man’s Sky., mas com foco em batalhas.

Suas naves são miniaturas físicas compostas por partes partes intercambiáveis. Quando encaixado em um acessório anexado ao controle, elas são transferidas para dentro do jogo.

Starlink é um dos poucos jogos até agora desta E3 anunciado tanto para o Switch, quanto PS4 e Xbox One.

Transference é um jogo para realidade virtual produzido pelo Elijah Wood

Um dos títulos mais curiosos a aparecer na coletiva foi Transference, que está sendo produzido pela Spectrevision, empresa de Elijah Wood. O jogo parece seguir uma estética VHS e é sobre um experimento realizado nos anos 90 que permitia usuários experienciarem atividades cerebrais de outras pessoas.

Está previsto para o início de 2018, para dispositivos VR.

Ambientado antes do original, Beyond Good and Evil 2 terá um mundo online

Um dos grandes momentos da Ubisoft em sua conferência na E3 2017 foi a apresentação de Beyond Good & Evil 2, reintroduzido após quase 10 anos desde que ele foi anunciado, na E3 de 2008. Michel Ancel, criador do jogo original, de 2003, subiu emocionado ao palco acompanhado de Gabrielle Shrager, diretor de narrativa da Ubisoft Montpellier e, após o trailer em CG de quase quatro minutos, falaram sobre o projeto.

Beyond Good & Evil 2 se passa antes do nascimento de Jade, a protagonista do original, e engloba diferentes planetas de um sistema solar, que podem ser explorados pelos jogadores.

Pouco foi dito sobre o jogo em si. Sabe-se que ele utiliza uma tecnologia que levou três anos para ficar pronta, que unifica os jogadores em um mesmo universo. Embora isso soe como um MMO, a Ancel confirmou que Beyond Good & Evil 2 poderá ser jogado sozinho.

Não há previsão de lançamento e nem plataformas anunciadas.

Macacos me mordam! Skull and Bones é um jogo de piratas de combate em alto-mar

Já há algum tempo ouvíamos rumores de que a Ubisoft estava trabalhando em um jogo com uma temática pirata, inspirado nos combates marítimos apresentados em Assassin’s Creed III e expandidos em Assassin’s Creed IV: Black Flag e Assassin’s Creed Rogue.

Durante a coletiva da Ubisofto na E3 2017 descobrimos que esse jogo era real, em desenvolvimento pela Ubisoft Singapura. Skull and Bones nos colocará no comando de um navio pirata, que deverá batalhar com outras naus pelos oceanos.

A demonstração feita no palco deixou bem clara as raízes em Assassin’s Creed. Aqueles que jogaram a aventura de Connor ou de Edward Kenway imediatamente reconhecerão as mecânicas de combate, como no modo que disparamos canhões e morteiros. Até mesmo as cantigas marítimas estão presentes.

O que também fica evidente é que tais ideias estão maiores agora, sendo que parte disso foi visto brevemente na variedade da personalização que navios podem receber. Além disso, apesar de ter sido dito que é possível jogar sozinho, Skull and Bones parece ter um foco no multiplayer, em partidas de cinco contra cinco. Em determinado momento, o desenvolvedor que estava no palco disse que deveremos tomar decisões táticas, como entrarmos no caminho de um ataque e recebermos toda a carga de canhões para protegermos um companheiro que tem uma embarcação mais frágil.

Também é válido deixar claro que, apesar das comparações com Assassin’s Creed, isso é especificamente sobre a parte e navios. Pelo demonstrado, SKull and Bones não tem trecos em terra firme e de combates corpo a corpo. A ideia é afundar inimigos e roubar seu dinheiro.

Ao final da apresentação, pudemos ver de relance que mais coisas nos esperam nesse mundo. Uma espécie de Kraken pôde ser vista no mar abaixo de um navio, gigantesco e ameaçador. Isso abre as portas para que outros elementos fantásticos existam nesse mundo, como outros monstros e navios fantasmas.

Skull and Bones será lançado no segundo semestre de 2018 para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Ele terá melhorias no PlayStation 4 Pro e no Xbox One X.