No episódio desta semana chamamos o Eduardo Emmerich para falar um pouco mais de cursos de desenvolvimento de jogos e, de quebra, ele trouxe Tales from the Borderlands. Também falamos de FIFA 15 e The Vanishing of Ethan Carter.

Chega mais!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #13 – Desenvolvimento de jogos e Tales from the Borderlands e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Eduardo Emmerich
Heitor de Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

6m – Papo sobre cursos de desenvolvimento de jogos
40m – Tales from the Borderlands
54m – Far Cry 4
1h17m – FIFA 15
1h32m – The Vanishing of Ethan Carter
1h42m – Assassin’s Creed: Rogue
1h57m – This War of Mine
2h05m – Notícias da Semana
Xbox One é o console mais vendido durante a Blackfriday
Mas as vendas do console da Microsoft no Japão continuam terríveis
Nintendo encerrará a produção do 3DS XL no Japão
Steam lançou plataforma de transmissão
Vazou a ambientação do próximo Assassin’s Creed
2h21m – Emails

Envie emails com perguntas e sugestões para: motherchip@overloadr.com.br ou para http://ask.fm/motherchip01

  • M_Tulio

    Amo/sou Máderchip.

    • Grillo

      Oh, you think the MÁDERCHIP is your ally, but you merely adopted the MÁDERCHIP. I was bornin it, molded by it.

  • Minha preces foram atendidas: todos os integrantes do Overloadr + 1 convidado! =D

  • Grillo

    TRÊS HORAS DE PODCAST, YYYYYYYYYEA.

    Estou esperando pelo menos 4 horas de duração no programa de Natal

  • Leonardo Schmidt

    First! SQN. 🙁

  • Antonio Carlos Bleck Bento

    Damn it, vcs quebraram minha teoria de que não cabiam mais de três pessoas nos estúdios overloadr
    Brincadeiras a parte, todos os membros, mais convidado especial num podcast de 3 HORAS, is this the real life?

    • Heitor De Paola

      Olha, mas para ser sincero você não está TOTALMENTE errado sobre o tamanho do nosso estúdio.

      • Antonio Carlos Bleck Bento

        I knew it

        • É verdade. O estúdio overloadr é pequeno, mas cabe MUITO amor <3

    • Fabiano

      Pelo climão do início do programa, tinha gente no colo de alguém!

  • Vitor Calfa

    O_o Todos os meu conhecidos estão aparecendo nesse site agora? Outro dia foi a Karen Bitmoo, agora o Eduardo Emerich? WTF?

  • Antonio Marcelino

    Nessa onda de revisitar o Tesla, vamos resgatar Luigi Galvani também? O cara por trás da bioelétrica e que tentava reanimar corpos com impulsos elétricos nos nervos dos cadáveres. A galvanização tem esse nome em homenagem a ele.

  • Marco Ramos

    Nesta Black Friday ajudei as estatísticas da Sony comprando um PS4… Mas pelo visto comprar em mercado cinza não ajudou muito… Anyway, meu PS4 chegou HJ… Deixa eu ir lá baixar um monte de atualizações e com sorte, conseguir comprar algo na PSN e baixar pra jogar ainda hj antes de dormir…

  • Daian Ituriaçu

    O dc cast tem feed?

  • Fabiano

    Concordo com tudo o que foi dito sobre Farcry 3/4, porém amo ambos os jogos! Simplesmente adoro ficar andando pelo mapa fazendo coisinhas nele. Acho que o que é mal aplicado em AC é bem aplicado aqui. E só pra costar: no PS3 ele está rodando igual ao AC4 rodava: bonito, mas o frame rate oscila bastante, e dá pra perceber que as texturas foram nerfadas, mas dá pra jogar de boa.

    Sobre Hearthstone, pelo que eu já joguei (muito) até agora, posso dizer que ele depende pouco de sorte. se você fizer as contas, em uma partida de 10 turnos, uma carta com 2 no deck tem uma chance de 66% de sair na sua mão em algum momento do jogo (isso devido a ter apenas 30 cartas no deck). E diferente de Magic, a montagem do seu deck não é a parte mais importante do jogo. Saber usar o que você tem na mão exige muita criatividade, tanto é que no modo arena tem gente que ganha todas, devido à experiência ao montar o deck com as cartas aleatórias, e a criatividade das jogadas. O melhor conselho que eu já li sobre o jogo é gastar todo o tempo do seu turno planejando as suas jogadas, e só no final executá-las – na primeira vez que fiz isso em ganhei 6 vezes seguidas no ranqueado!

    E, porra… preciso jogar o Tales From the Bordetlands…

  • Rodrigo Soares

    Episódio muito bom! E o tema de desenvolvimento de jogos muito me interessava. Valeu galera

  • Rafael Rigon Maier

    Porque deablos vcs deixaram o spoiler de farcry 4 do rick no ar? Bipa esta merda!

  • Fernando Henrique

    Porra! Eu concordo com muita coisa que vocês falam, mas, é sério, vocês exageram um pouco, Far Cry 4 não tem tanto problema assim, eu acredito que estamos passando por um momento em que a Ubsoft ainda não chegou no equilíbrio entre mainquest e sidemission, mas eu fico feliz de saber que os jogos estão tentando ter mais longevidade, muito diferente de jogos como CoD!
    Vamos repensar e veremos que não é tão ruim assim!

    Abraços!

  • Antonio Carlos Bleck Bento

    Por um lado acho um pouco de nitpicking ficar reclamando do far cry4/todos os games da Ubi, dizendo q eles pecam pelo excesso, por outro sempre me lembro da comparação entre batman asylum e city cujo sempre preferi o primeiro por ser um jogo mais fechadinho e conciso, enquanto em city como fiz tudo da campanha single acabei achando o game enfadonho perto do final, o que me desanimou de fazer o mesmo em origins no qual me mantive apenas nas main quests e nas investigações.
    Portanto não sei realmente oque pensar dessa inflação de conteúdo que existe em certos triple A, mas sempre defendo que na maioria dos casos ignorar esses conteúdos e uma opção, então não acho que seja um demérito para o game.

    • Fernando Henrique

      Foi o que eu falei, não acho que seja um ponto negativo, ele simplesmente está lá, você usa ou não. No caso do Batman, eu adorei o City pelo enredo muito superior que o Asylum e até q gostava das sidemissions.

      • Antonio Carlos Bleck Bento

        Concordo
        Eu ainda prefiro o roteiro de asylum mais pelo clima que era criado por você estar preso no inferno que é aquele lugar, e eu tbm sentia que você sempre descobria algum segredinho escondido o que acho que se perdeu um pouco devido ao cenário mais mundo aberto de city, mas city realmente tem sidequests excelentes como a do hush por exemplo, quando eu disse dele se tornar enfadonho foi mais por causa dos desafios do charada que eu achei meio exagerados em quantidade, mas de forma alguma acho city ruim apenas um pouquinho inferior por ser menos sombrio que asylum e arrastado em certos aspectos, na minha opinião.

        • Fernando Henrique

          Com certeza, Antonio. O ponto negativo desse tipo de jogo é que se ele começa, como fez o batman, em um local fechado, parece que se torna obrigatório que o próximo seja em um local mais aberto.Veja como vai ser o arkham knight, muito maior e com muito mais coisa, correndo o risco de ficar sem foco ou enfadonho!
          É uma coisa complicada, mas foi como falamos, Far Cry 4 tá longe de ser ruim por causa das sidemissions!

          • Antonio Carlos Bleck Bento

            Concordo plenamente
            Estou bem empolgado com arkham kinght, mas fico receoso com esse tendencia que esse e muito outros jogos estão assumindo de que o mapa tem que ser cada vez maior, medo de acontecer algo como origins em que o mapa maior so servia de empecilho pra você chegar onde voce queria… ta certo que foram produtoras diferentes mas arkham city ja tinha um pouco disso
            Mas vou dar o voto de confiança pra rocksteady porque aquele batmovel ta muito foda
            Quanto a Far Cry 4 acho que seu unico grande defeito foi ser parecido de mais com o 3 o que parece ser um grande problema para muitos, so que para mim e so a Ubi me dando um pouco mais daquilo que eu ja gostava muito, quanto a tanta side missons é o que a gente falou, vou me divertir com muitas e ignorar varias outras e enquanto eu tiver essa opção no harm done

  • Antonio Carlos Bleck Bento

    Quanto a caça eu pessoalmente gosto muito de como ela é feita em far cry, e curto que exista uma recompensa por faze-la, mas concordo que pode ser frustrante principalmente no inicio do game ter todas essa melhorias (muita vezes essenciais para o aproveitamento 100% do gameplay) travadas ate você achar um animal la no outro lado da ilha.
    Acho que um game que resolve isso de uma maneira justa é assassins creed rogue, onde você pode optar entre caçar os animais para fazer melhorias no personagens ou simplesmente comprar os materiais necessários em uma lojinha, oque eu fiz porque diferente de Far cry caçar em assassins é uma merda.

  • Rafael Rigon Maier

    Sobre ser escroto ou herói em RPGs.
    Sou sempre um Neutro/Bonzinho, que tem pequenos ataques de fúria demoníaca em momentos específicos.
    Bonzinho no sentido de querer ajudar as pessoas, ser o herói e talz.
    Neutro no sentido de: Se eu for matar as pessoas dessa casa por um motivo nobre, eu não vou diferenciar crianças ou mulheres, todos morrem do mesmo jeito.
    Ataques de fúria no sentido de eu ter colocado um mod no Skyrim que me permitia matar crianças. Ai eu fui lá e matei TODAS.

  • gustavo dias

    Finalmente um tema diferente do tradicional “o que estamos jogando”!

  • Aracy

    Curti demais a trilha sonora desse. Qual o nome da música que toca no fim? tem uma linha de baixo bem lega ;P

    • Aracy

      Deixa pra lá, acabei de achar no Kexp.

  • Fernando Henrique Rosa

    Mais uma dica (ou duas dicas) de jogo cooperativo para o cara jogar com a namorada: Rayman Origins e Rayman Legends.
    Joguei junto com minha esposa e é uma experiência muito superior a jogar sozinho.
    Além de ser tanto um jogo que pode ser jogado de forma simples, que até minha filha de 5 anos consegue, como um jogo cheio de desafios que podem se tornar um pouco difíceis.

  • Armoderic

    Sobre construir/representar personagem: Não faço eu mesmo, gosto de pode criar algo, tanto que fora JRPGs e jogos com o The Witcher, Deus Ex (com bons protagonistas), eu não curto muito os que não deixam você construir o personagem ou o grupo. Como curto mangá shoujo meus personagens se possível sempre faço eles (em geral faço tantos personagens masculinos como femininos) parecendo galãs e fico pretendo um enorme tempo escolhendo nomes.

    Quanto a representar normalmente meus personagens são sempre bozinhos, exceto quando jogo algo como The Witcher, onde eu tento pensar: ok o que o Gerald faria nessa situação?

  • Renan Oliveira

    Só um pequeno update, pessoal: A Telltale, pelo menos para TWD, liberou uma atualização com legendas em PT-BR. Não verifiquei para a primeira temporada, mas confirmo para a segunda que joguei.

  • Vinicius Siviero

    E quando a atualização vem no meio do jogo? Toda aquela empolgação vira frustração a ponto de você sentir saudade do seu offline snes. Obrigado Shadown of mordor. ..

  • Pingback: [31 Gaems] Skyrim: O Dovahkiin desperta()

  • 3 HORAS? YEAAAAAAAAAAAAAAH!