O recesso acabou, mas voltamos ao passado recente e contamos como gastamos nossas horas livres – basicamente tentando entender a aventura do Heitor no condado de Campos do Jordão.

Chega mais!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #16 – StarFox 64 e Harvester e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Heitor de Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

36m – The Harvester
1h05m – Diablo III
1h18m – Styx: Master of Shadows
1h34m – Middle-Earth: Shadow of Mordor
1h40m – Assassin’s Creed Rogue
1h47m – StarFox 64
1h59m – Aventuras com um DreamCast (essas que você está pensando aí)
2h10m – Notícias
– Você pode jogar mais de 2 mil jogos de MS-DOS de graça (e legalmente) no seu browser
– Maratona de speedruns Awesome Games Done Quick 2015 vai até dia 10; veja ao vivo
– Serviço de aluguel de jogos do PS3, PlayStation Now, terá redução de valores
– PlayStation 4 já teve 18,5 milhões de unidades vendidas
2h37m – Emails

Envie emails com perguntas e sugestões para: motherchip@overloadr.com.br ou para http://ask.fm/motherchip01

  • Grillo

    Nem deu tempo de ter saudade

  • Gabriel PS

    “1. Foda-se paste e 2. Foda-se Maluf” é o “1 por dinheiro 2 por amor” do Heitor.

  • Giovanni Romanelli

    Jesus Cristo numa bicicleta!
    vocês me fizeram ter a mistura de euforia nostálgica e infarto mais esquisita da minha vida ao me fazer procurar Syphon Filter no youtube. Esse foi um dos jogos da minha infância, e apesar do ps1 ter sido meu console formador minha tolerância aos gráficos poligonais e jogabilidade primitiva não é tão grande. Em compensação Pepsi Man continua divertido como sempre e recentemente comprei a série Legacy of Kain na Steam e LoK: Soul Reaver continua fantástico, tendo um mundo contínuo, pouco linear e sem loadings pra se explorar com uma jogabilidade sólida e mecânicas interessantes(ou pode ser só o fato de que eu não sabia jogar quando criança).

  • Trilha sonora de Ocarina of Time no MotherTeria e agora na volta do MotherChip, gostei

  • Leandro Tavares

    Chateado com a possibilidade de o Heitor ter passado por mim em Campos sem eu ter percebido e ele achar que eu era um dos coxinhas :
    BTW, sim a cidade é cara, mas dá para fazer muita coisa legal por lá, desde que não seja na rua que tem o bar da Baden Baden (que ali sim é caro, o ponto focal da ostentação). E tem muito lugar lindo para visitar. Em especial curti o Palácio do Governo (lá tem um café com uma vista incrível da serra, e se o Alckmin não estiver por lá o passeio fica mais agradável ainda) e o Tarundu (apesar do preço). E apesar de curtir muito pastel de feira, foda-se o Maluf, né. Me recuso a comer num lugar associado a esse ser.

    • Heitor De Paola

      Não, não, eu não olhei para ninguém especificamente pensando “coxinha!” Foi mais uma sensação geral da cidade mesmo, no jeito “certinha” dela e, talvez, um tanto heteronormativa.

      • Leandro Tavares

        Você realmente é um ser feito de luz e amor. Vi mais coxinhas naquela cidade do que pastéis do Maluf 🙂

  • Grillo

    Heitor, que comercial é esse do Space Ghost que você comentou?

  • SouoMaia .

    Pessoal qual a musica que toca no final do cast ?

    • Grillo

      We are burning rangers, do jogo…..Burnin Rangers. Só descobri pesquisando a única frase que entendi.

      • SouoMaia .

        obrigado! 🙂

  • Marcus Ribeiro Bobby

    Caras, eu tenho que falar que vocês estão se tornando o meu podcast favorito. Alem de ser muito divertido ele é muuuuito grande. Da pra ouvir só vocês por uma tarde inteira 😀 Isso me salva aqui no trabalho.

  • Antonio Marcelino

    E apenas nessa edição: Heitor Lendo Contos Eróticos

  • Leandro

    Haha, muito engraçado a alegria do Caio quando o cara conseguiu perder a virgindade.

  • Alexandre Barbosa da Silva

    Total apoio ao Retroscópio de Kameo. Eu só comprei um 360 ano passado pelos exclusivos que me faltaram (tive um PS3 e um Wii antes) e logo de cara a Live deu Kameo. Eu o joguei por ser fã da Rare e a minha primeira impressão foi exatamente o que o Heitor disse: O design parecia ultrapassado, e os gráficos eram feios.

    Mas essa impressão durou mais ou menos uma hora. Logo você chega a um lugar muito bonito, o vilarejo onde Kameo vive. A grama alta balançando e a água são efeitos lindíssimos pra época. Tem uma sala no castelo desse vilarejo em que é possível acessar as dungeons já superadas, essa sala é visualmente impressionante até hoje, com muitos efeitos de luz e reflexo. Existem muitos cenários incríveis como esse e outros em que se percebe que o jogo na verdade era originalmente um projeto do GameCube.

    Quanto ao design, o jogo realmente é “clunky”, o mapeamento dos comandos são esquisitos e alguns desafios são meio mal pensados, mas com o tempo me acostumei e o jogo foi bem divertido até o fim, devido a quantidade de detalhes e variedade no controle dos diversos monstros e dos templos estilo Zelda. É um jogo bem caprichadinho e agradável, com ótimo senso de humor. Gostei tanto que comprei uma cópia física (pra não ocupar mais o pen drive plugado ao meu 360 de 4GB…) e também comprei o bundle de Viva Piñata e Banjo Nuts and Bolts (ambos muito bons também, principalmente Banjo, pela viciante ferramenta de construir veículos).

    Fora isso chorei de rir aqui ouvindo o Heitor ler o e-mail pro Marcelinho que o cara enviou sem querer pro Motherchip kkkk.

    Prossigam fazendo podcasts de 3 horas (ou mais!) e com o ótimo trabalho!

  • Fernando Henrique

    Cadê o Marcelinho pra ler esse conto erótico? kkkkkkkkkkkkkkk

  • Felipe de Albuquerque

    “…Quase gozando em um familiar”
    De Paola, Heitor, 2015

  • Victor Domiciano

    O time de futebol americano Atlanta Falcons está construindo um novo estádio, e ele parece um Boss que saiu direto do Star Fox. Confiram o vídeo:

    https://www.youtube.com/watch?v=SPKP7FaiqEE

  • Rafael Rigon Maier

    Meu problema com Diablo III:
    Mesmo em duas dificuldades acima do normal o jogo ainda é ridiculamente fácil.