Nesta semana o Rique traz um panorama dos discos da banda Flaming Lips, Heitor se prepara para o novo filme do Paul Thomas Anderson e Teixeira assiste algo que não é terrível.

Escute agora!

Assine o nosso feed ou baixe o Bilheteria #26 – Flaming Lips e Paul Thomas Anderson e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixera
Heitor De Paola
Henrique Sampaio

Assuntos abordados:

12m – Música: Flaming Lips
1h – Filme: Paul Thomas Anderson
1h28m – Série: Sleeping Hollow
1h34m – Livro: Fama & Loucura, do Neil Strauss
1h41m – Emails

Caso tenha interesse, assine o nosso Patreon!

Envie emails com perguntas e sugestões para: bilheteria@overloadr.com.br ou para http://ask.fm/bilheteria

  • Gustavo Sanjuán

    É engraçado que o Rique é mais velho que o Caio e o Heitor, mas na verdade parece que é o inverso.

  • Puruluchu

    A banda que o Teixeira fala sobre o hino indie e talz é a The Killers.

  • FHC

    Vocês esqueceram que tem o Steven Tyler naquele filme do John Travolta sobre indústria musical!

  • Diogo Macedo

    O mano do Efeito Borboleta, é o Ashton Kutcher. Ele fez uma penca de filme ruim, mas o Efeito Borboleta é bom mesmo hahahaha

  • Thiago Nunes

    Acho que pendo mais pro lado do argumento do Heitor sobre as classificações muito específicas em música serem mais excludentes (e até culturalmente elitistas) do que ajudarem a pessoa a compreenderem a sonoridade da banda. Acho que quando se tem amigos e colegas que curtem subgêneros de metal fica meio inevitável não pegar nojo da rotulação excessiva também, hahaha

    Simples é melhor (até porque tem bandas que não são UM GÊNERO SÓ O TEMPO TODO): Flaming Lips, Restart, Aerosmith, tudo rock, em essência. Aí pra explicar as particularidades você parte pras associações dos rótulos mais “guarda-chuva” e acessíveis no contexto da conversa.

  • A Feist não era do Arcade Fire, mas também é canadense. Eles fizeram uma turnê juntos na promoção do ultimo álbum do Arcade Fire, o “Reflektor”. Quanto á bateristas que tocam com um braço só, eu destacaria Travis Barker, que vez ou outra tocava com um braço só quando estava machucado nas turnês do +44.

  • Platynews

    E tem aquele Velvet Goldmine, o filme sobre o David Bowie que não é sobre o David Boiwe e na verdade é um yaoi do Obi Wan e do Batman =O

    Tem QUATRO Efeito Borboleta

  • Seus loucos! Não é o Bella Lugosi no Thriller. É o Vincent Price. E o Ashton Kutcher fez sim um filme com a Britany Murphy: Recém Casados, era o filme. Uma comédia romântica bem qualquer nota

  • Victor Domiciano

    Uma curiosidade do Deff Leppard, o acidente com o baterista aconteceu pouco antes do Rock’in Rio de 1985 o que forçou a banda a cancelar shows por 4 anos. No lugar deles foram chamados o Whitesnake que fez um pulta sucesso no festival. Resultado: até hoje quando o Whitesnake vem fazer turnê no Brasil tem lotação em estádio , enquanto que na vez que o Deff Leppard veio e teve 250 pessoas .

    Realmente esse golpe do destino foi pesado que praticamente tornou eles desconhecido pro público daqui.

  • Thiago Nunes

    Curto muito aquele podcast lá, com três participantes que trabalhavam naquele outro provedor de Internet lá e agora estão num site, um projeto novo… aquele lá, qual que era mesmo?

  • Guilherme Brito

    Dream pop: vocais calmos, às vezes sussurrados; melodia meio etérea, com guitarras barulhentas (algumas vezes até demais). Para saber mais recomendo o documentário Beautiful Noise, que fala dessa cena barulhenta do Reino Unido nos anos 80-90.

    Cocteau Twins:
    https://www.youtube.com/watch?v=gDyujx0BZSg

    Slowdive:
    https://www.youtube.com/watch?v=e1DkfphhRFw

  • Modest mouse é mto bom(pelo menos até o quarto álbum)

  • Marcelo Marzola Duarte

    Texeira, quando falou da cultura judaica, você não confundiu Gárgulas com Golens?

  • Leonardo Zavan

    qual a música do final do podcast?