Neste episódio mostramos como o tempo (mesmo que pouco) muda a opinião das pessoas e recebemos um especialista na série “Souls”.

Chega mais!

Assine o nosso feed ou baixe o MotherChip #28 – Bloodborne e Axiom Verge e escute no seu player predileto

Participantes:

Caio Teixeira
Heitor de Paola
Henrique Sampaio
Fernando Mucioli

Assuntos abordados:

23m – Bloodborne
1h33m – Axiom Verge
1h51m – Papo sobre Remasterizações
2h02m – Notícias
Novo Zelda é adiado
Steven Spielberg assume a direção do filme O Jogador Número 1
2h13m – Emails

Assine agora o nosso Patreon!

Envie perguntas para o email motherchip@overloadr.com.br

  • rodrigo

    bora ouvir a quinta cremosa

  • Felipe de Albuquerque

    Vocês acham a moeda da Córeia do Sul desvalorizada?
    Conheçam o Dólar do Zimbabwe, com direito a uma nota de 100 TRILHÕES.
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3e/Zimbabwe_$100_trillion_2009_Obverse.jpg

  • Java

    Quando li no post desse motherchip “…recebemos um especialista na série “Souls””, pensei que ouviria o Dogao no programa, infelizmente nao foi o que aconteceu, nada contra o Mucioli, mas o Dogao faz falta.

    • Thiago Nunes

      Fica aqui erguida a Estátua ao Dougão no Overloadr, feita pelos comentários dos fãs!

      • Alisson André

        Espero que ele apareça no DASH de Bloodborne

  • Lukas Leite

    Mussa

  • Fabiano

    sdds Muça no navio pirata

  • Grillo

    Bloodcast

  • Felipe de Albuquerque

    Pensar no Drake e o Sully como casal é meio estranho, porque o Sully conheceu o Drake quando ele tinha uns 13 anos.

    • Porque nenhum menino começa a ter sua introdução/descoberta sexual exatamente nessa idade né?…
      Tem pai que leva menino no puteiro com 12 anos.

      Eu não terminei Uncharted 3, mas agora que o Henrique falou isso tenho certeza que não vou conseguir ver outra coisa e vou ficar rindo o jogo inteiro.

      • Felipe de Albuquerque

        Olha, quantos casos de garotos com 12 anos tendo descobertas sexuais com um cara de quase uns 40 anos você conhece?
        Pois é.

  • Felipe de Albuquerque

    Para o amigo que quer usar glitches para passar pelo Bloodborne
    http://i1.ytimg.com/vi/RCLReWij1hs/hqdefault.jpg

  • Gabriel PS

    Teixeira: melhor imitador de maconheiro e de francês que aconselha fazer amor.

  • Gabriel.psd

    Só complementando aqui minha opinião sobre o começo do jogo de Bloodborn sem muito difícil, é que pra uma pessoa jogando pela primeira vez a série souls, ela com certeza vai ter algumas dificuldades, ainda mais se ela não for avisada previamente, e a curva de aprendizado la tem que ser muito grande, porque o jogo tem que ter certeza de que tu vai sair de la sabendo se virar, e depois o jogo pode dar uma folga, mas provavelmente é porque você ta muito acostumado, e tambem porque não muito longe, novas coisas complicada podem acabar aparecendo.
    Outra coisa é que tem 1 cenário pequeno e diferenciado que é sensacional, chegue até la pelo menos Heitor ô/

  • Raphael Campos

    Meus amigos, não vou ser chato e ficar elogiando todo episódio pois a qualidade dos programas (podcasts ok? Hahaha) é inegável. Quero só tirar uma dúvida e caso a resposta seja positiva, vcs terão o meu amor eterno; A música que tocou no final do cast é a mesma do final (e uma breve parte da metade) do Bioshock Infinite? Pra mim, sem sobra de dúvida os melhores jogos da geração PS3 foram lançados em 2013 e Bioshock estava lá. 🙂

    • Fabiano

      É a mesmo… chorei feito um bebê quando essa música tocou nos créditos de Bioshock Infinite

      • Raphael Campos

        Hahaha, acho que essa emoção tocou todos que jogaram.

  • FHC

    É só eu que amo a versão de Will the Circle Be Unbroken do Bioshock? <3

    • Giovanni Romanelli

      não…

  • Fabiano

    Bem, sobre o que o Heitor disse sobre essa geração:
    Concordo que a 7ª gen foi a melhor de todos os tempos (considerando tudo entre 2006 e 2013). Mas isso não impediu que TODOS os sites, revistas, jornalistas, entusiastas, sua mãe, seu vizinho e seu cachorro de falar o tempo todo que TUDO estava uma merda, que tudo estava morrendo, que nada tinha futuro. Nesse meio tempo:
    – PCs iam morrer porque consoles agora tinham online
    – consoles iam morrer por absorver features de PC
    – Wii ia morrer por não ter imagem em HD
    – joysticks convencionais iam morrer (alguns anos depois, os controles por movimento é que iam morrer)
    – PS3 ia morrer por ser caro
    – X360 ia morrer por não ter muitos exclusivos
    – Smartphones iam matar os portáteis
    – tablets iam matar os PCs
    – indies iam matar os AAA
    – jogos de Facebook iam matar jogos de PC (hue)
    – Steam ia matar os consoles

    O que quero dizer é: ninguém sabe o que vai vingar ou o que não vai. Nós só podemos consumir o que mais nos agrada e ver qual o rumo essa industria vai levar pelos próximos anos. Tento ser sempre otimista com as novidades, pois tenho certeza que quem está criando todas essa obras maravilhosas dos joguinhos é muito mais competente do que eu no que faz. As pessoas não sabem o que querem, é preciso alguém de visão apresentar algo novo pra todo mundo decidir se gosta ou não.

  • Jota

    Caralho!!!! Leiam o livro!!! Principalmente pra vcs que jogaram os jogos dos anos 80/90.

  • Giovanni Romanelli

    a opinião do Heitor sobre animes e o fato dele ter assistido os fillers mais inúteis de Naruto me intriga bastante…

    • Heitor De Paola

      Houve uma época, quando eu tinha mais tempo, em que eu corria uma hora todos os dias na esteira, daí aproveitava para assistir seriados. Naruto foi um deles, por isso vi esses fillers também.

  • There is a single game or announcement, which can leave a boost in PS4 in 2015, many call him …. The last guardian XD

    • que os anjos sentados ao lado do deus do video game, Kratos, digam amém

  • Roberto

    Olá caros Overloadeiristazeiros, meu nome é Roberto e sou um daqueles ouvintes que se camuflam no meio dos usuários de transporte público, se espremendo e suando enquanto mal sente que está ali, graças a majestosa presença de suas vozes em meus ouvidos. Por isso já agradeço por tornarem minhas viagens diárias, seja para ir pra faculdade, ou para ir à casa do meu namorado de outra cidade incrivelmente mais rápidas, ao menos psicologicamente.
    Pois bem, o motivo de ter saído do meu esconderijo e decidido me pronunciar, foi um comentário rápido do meu querido amigo, mesmo que não me conheça, e diva desse show, Henrique, que comentou, acho que em apenas uma frase, sobre uma discordância com o uso do termo audiovisual para abranger os video games. Sou estudante de Comunicação Social com habilitação em Audiovisual (ou como digo para os familiares, “é tipo cinema”), estou em meu último ano da faculdade e meu TCC é sobre games, então queria saber mais sobre o que vocês acham sobre essa relação entre games e audiovisual, por que na minha faculdade e até pra mim, me parece claro que jogos são um produto audiovisual, em sua base. Queria saber então qual o problema dessa correlação se acharem que ela existe mesmo.
    Muito obrigado pela atenção, e antes de ir quero deixar duas perguntas, sei que, assim como eu, vocês são fãs de smash, e queria saber se vocês já jogaram o tão acusado de plágio Playstation All Stars Battle Royal, o que acham do jogo e se ele merece tais críticas (se não jogaram, eu super recomendo). E por último mas não menos importante, como estão vocês hoje? Tudo bem?
    PS: Voto pro Henrique ser host em alguns dos podcasts vez ou outra, e por favor não parem de responder as perguntas pessoais e estranhas que tanto me fazem rir e parecer um idiota no ônibus.
    Bjus <3

  • toda vez que o Heitor usa a expressão “a whole other beast” diretamente traduzida pro português me da uma frio na coluna =[

  • Shwggar

    O Livro do Jogador n°1 é um grande filme sessão da tarde, eu li, gostei, mas não é nada que vá impressionar o mundo inteiro, você começa a história ja sabendo td que vai acontecer.

  • Gustavo Silva

    Que música é essa do final? Vocês poderiam colocar no post né?

  • dereck ryan

    Achei meio palha falar mau do livro sem ter lido. Resenhas na internet não conta hehehehehe, Livro não é fodão mas também não deixa de ser divertido, é muito mais sobre a cultura pop, não somente sobre os jogos. Vai que quem nunca ouviu falar fica desestimulado de começar a leitura.

  • Eu não sou especialista, não quero cagar regra nem nada, mas peço encarecidamente que o Teixeira pare de falar blüüdborne e fale blããdborne, isso está doendo no meu coração. Desculpa qualquer coisa.